Consultor Jurídico

Notícias

Homem "lava jato"

Sergio Moro aceita convite de Bolsonaro para assumir Ministério da Justiça

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

26 comentários

Sempre atrasados

Eududu (Advogado Autônomo)

O curioso de tantos comentários e previsões catastróficas é que Álvaro Dias disse várias vezes, desde o início das eleições, inclusive nos debates na TV, que se fosse eleito convidaria Sérgio Moro para ser Ministro da Justiça.

Não houve nenhum comentário ou análise a respeito disso, ninguém devaneou em teorias de conspiração ou denunciou uma possível troca de favores.

Algumas reações agora são, no mínimo, engraçadas. Tem brasileiro que está sempre atrasado.

Um duende me disse

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Que todos terão uma grande surpresa.

Como será?

Fernando Lira (Outros - Internet e Tecnologia)

Pego-me em uma reflexão de nível mais prático, mais cotidiano, sobre a notícia em discussão.

Creio que muito certamente, o futuro Ministro Moro trabalhará com afinco para que uma proposta nos moldes (mais incisiva, digamos) da defendida pelo doutor outrora seja reapresentada ao Congresso.

Imagino, voltando ao início, como se dará uma reunião ministerial com Onyx Lorenzoni ou mesmo ter que, eventualmente, lidar com Fragas que farão parte do (mais do mesmo) governo Bolsonaro.

A ver.

Parabéns!

Neli (Procurador do Município)

Uma indicação perfeita do presidente, que não votei, para o Ministério da Justiça.
Vejo inúmeras tecladas em cima do Juiz.
Só que, ele é de primeira Instância e errou na r. sentença prolatada contra o ex-presidente.
Tanto errou que o Tribunal Federal Regional da 4ª Região, aumentou a pena imposta.
E vejo pessoas, atirando tecladas contra ele.
Oras, ele condenou e o Tribunal, repiso-me, confirmou a r. sentença e o que é pior: a corrigiu aumentando a pena carcerária imposta ao processado.
No mais, minha defunta mãe sempre dizia: tome cuidado com o que pede, porque o Universo pode entender errado.
O PT sempre pediu a saída do JF Moro.
Peço ao Universo que seu substituto seja Justo como ele sempre foi.

A distribuição de prêmios começou...

Persistente (Outros)

Kkk, uma coisa não se pode criticar no bufão: começou cedo a distribuição dos prêmios!

Quem será o próximo da fila? E quem serão os próximos a se candidatar aos prêmios futuros?

A coisa toda é morbidamente hilária neste país em que o palhaço do livro do Stephen King se tornou presidente!

então...

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Como disse Bolsonaro: "Só que a faxina agora será muito mais ampla. Essa turma, se quiser ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão pra fora ou vão para a cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria."

MORO num País tropical, abençoado por Deus

DPF Falcão - apos (Delegado de Polícia Federal)

O Ministério da Justiça volta a ter, com o Dr. Sérgio Moro, reconhecido pela rigidez, probidade, e competência com que sempre se houve na Magistratura, a importância e a relevância perdidas há tempos.

O problema é ou não o Moro?

LeandroRoth (Oficial de Justiça)

Para a esquerda, isso confirma que toda a operação Lava Jato é uma farsa perpetrada por Moro especificamente para perseguir e prender Lula.
.
Ótimo então, com a saída dele de Curitiba, vocês devem estar convictos de que Lula será absolvido nos outros 04 processos criminais aos quais ainda responde. Afinal, o problema era o Moro, não era?

A Constituição adota uma Política

Holonomia (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

contrária à corrupção.
Ao contrário da política que adota a corrupção como método de atuação.
Se não for assim, também sou suspeito, político e partidário, porque entendo ser necessário todo rigor contra os crimes contra a administração pública e contra atos de improbidade.
É lógico que Moro tem um lado, o lado da Constituição, da Lei e da Justiça, e fica bem claro os que estão contra a Constituição, pois estes acusam o Moro de parcial.
A Constituição poderia dizer assim:
"Toda pessoa que não está comigo, contra mim está, e aquele que comigo não ajunta, espalha" (Lc 11, 23).
www.holonomia.com

Novos tempos

Arlindo Galdino (Advogado Autônomo - Civil)

Parabéns ao Presidente eleito pela excelente escolha e parabéns ao destemido juiz Sérgio Moro pelo espírito público de aceitar tão honrosa função. Novos tempos, tempo de combater com vivacidade e firmeza a corrupção instalada nas instituições e o crime organizado, já não era sem tempo, de termos cidadãos empenhados, destemidos, honrados e ilibados no topo da Administração Pública, parabéns.

Parabens a moro e bolsonaro

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Felicito o juiz Sérgio Moro e o presidente eleito Jair Bolsonaro pelas congruentes decisões. A de nomear e a de aceitar a nomeação. O Ministério da Justiça do Brasil não poderia estar em melhor mãos. Sem dúvida a parceria Moro/Jair objetivando expungir a corrupção e a violência de nosso país é divinamente bem vinda. Todos nós, pessoas de bem e esperançosas por um porvir luminoso, a aplaudimos, ao mesmo tempo que rogamos as bençãos de Deus sobre ela.

Sacerdotes

Lógica Cartesiana (Outros)

Os sacerdotes do Apocalypse Now - que F. F. Coppola consegue superar - estão como o Banco Central com viés de alta para os juros; Vai dar ruim... Não se pode separar as apocalípticas previsões de algum viés de "revolta de perdedor" imbuídos de um patológico pessimismo esquerdista. Apostam mais no caos como sucessor do atual sistema, sem olhar para o que de bom a guinada do Bolsonaro promete: menos corrupção sistêmica, menos fraudes em lei Rouanet e Bolsa família, menos ministérios, menos subsídios à mídia em troca de apoio, sem doutrinação partidária nas escolas e universidades, etc etc. As perspectivas de melhora superam em muito os prognósticos sombrios. Sempre haverá quem ache que o novo Ministro da JUSTIÇA não serve; claro, o Lula e os presos da Lava-Jato pensam igual...

Então...

Gabriel Severo de Oliveira (Estudante de Direito)

À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta.

Mas Sérgio Moro nunca foi muito afeito ao adágio. Ponto pra narrativa petista.

Correção

Observador.. (Economista)

"Sob um mecanismo"

Fascinante

Observador.. (Economista)

Já existem afirmações categóricas sobre tudo o que ocorrerá no Brasil.

Joguem na mega sena.

É lamentável que deixem de fora a mola condutora da existência, cheia de nuances, imprevisibilidades etc.
Não acredito que o Ministro indicado Sérgio Moro vá para o STF.
Sinceramente, vejo de outra forma o movimento atual sobre sua indicação. Surpreenderá a muitos no futuro.
Já tivemos Ministros da Justiça que mais pareciam advogados de um Partido.
O Juiz Moro não é inferior a nenhum Ministro de outrora.

O país vive sobre um mecanismo que reage (muito mal) à derrota e à possibilidade do seu desmantelamento. Afinal são anos de manipulação da máquina do sistema em benefício próprio ou de suas corporações.
Projetam em outros tudo o que fizeram e são. Totalitários, amantes das piores ditaduras do planeta (Kadafi é o exemplo maior), avessos ao contraditório e com projeto de poder perpétuo que deu errado.
Tal comportamento de mau perdedor do jogo democrático só clarifica - para quem ainda procura olhar de forma serena para os acontecimentos políticos recentes - que o Brasil está no caminho certo e o novo governo terá muito trabalho adiante.

Um pouco de Thomas Sowell cai bem para esta gente:

https://www.youtube.com/watch?v=bA_OoP0QREY

O que uma grande República esperaria dos ministros Mello

Luiz Fernando Cabeda (Juiz do Trabalho de 2ª. Instância)

Se tivéssemos uma grande República, pessoas bem situadas socialmente, porque têm poder ou influência, estariam 'atentas aos sinais' e perceberiam quando se apresenta um novo desenho para as relações institucionais.
Assim, o escritor L.F. Veríssimo, cujo talento como humorista é indiscutível, principalmente em relação aos atos irrisórios da vida, os pequenos desvãos da existência e a face no espelho que não nos agrada, resolveu tachar de omissos todos os que - julga ele -deveriam ter manifestado oposição quanto ao resultado das urnas. Enfileira Marina, FHC, Ciro e outros.
Ocorre que Veríssimo sempre foi um grande omisso, nunca participou ativamente de nenhum movimento e talvez isso até tenha sido bom para seus apreciadores, pois pôde explorar o histriônico desde seu posto de observação nas sombras. Nada que o autorize a culpar os outros pelo que ele nunca fez.
Talvez lhe ocorra escrever também sobre os dois Mello do Supremo Tribunal Federal, Celso e M. Aurélio.
Quando foi aprovada a PEC da bengala, Celso de Mello estava às vésperas da aposentadoria compulsória aos 70 anos. Até se falava que iria advogar em Tatuí/SP, sua terra natal. Seguiria o exemplo de Adroaldo Mesquita da Costa que, sendo tio do general Costa e Silva e havendo exercido a Consultoria Geral da República, foi ser vereador em Taquara/RS. Celso e M. Aurélio nada mais têm a fazer no Supremo. Seu tempo se esgotou. As características jurisdicionais que adotaram não mais servem de semente. Eles fariam bem à República antecipando a aposentadoria aos 75 anos, já tão próximos, dando vaga a integrantes que deem nova feição ao tribunal. Isto é o que se pode chamar com propriedade de 'saída honrosa'. O STF não pode continuar como está, pois simplesmente "não está" em lugar nenhum da República.

Não pegou bem.

Wellington Téo (Assessor Técnico)

Como um Juiz que julgou e condenou um candidato a Presidente, segundo alguns sem provas, aceita entrar para a política, convidado pelo maior beneficiado daquela condenação, o Presidente eleito?
No mínimo, a parcialidade ficou patente.

Todo mundo olha só para o próprio umbigo (1)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Começou o fisiologismo demagógico e o populismo.
Não sei se me arrependo ou apenas lamento ter votado em Jair Bolsonaro, tendo em vista essa e outras iniciativas e declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro.
O fato é que o juiz Sérgio Moro, se for guindado ao STF, estará impedido de participar de qualquer julgamento relativo à Lava Jato decorrentes de processos em que haja proferido alguma decisão. Penso até que se tiver participado, na condição de ministro da Justiça, em atos da Lava Jato, isso também constitui causa de seu impedimento.
Na verdade, nem o juiz Sérgio Moro conhece o presidente eleito Jair Bolsonaro, nem este conhece o juiz Moro a tal ponto para saber se suas ideias e ideologias são convergentes. Por isso, a indicação, a aceitação e eventual nomeação futura para o STF pode ser um tiro de bazuca no pé. Mas esse efeito, se ocorrer, será tarde demais para ambos.
Além disso, o presidente eleito Jair Bolsonaro tem dado mostras de ser apenas mais um pouco do mesmo que a Nação conhece há muito e pretendia debelar, ao menos em parte, nessa última eleição.
Não é possível passar o País a limpo sem reformas profundas, inclusive da Constituição Federal e do Poder Judiciário. Mas quando ele traz para o governo um juiz de carreira, acenando para guindá-lo ao STF, jogando para tirar proveito dos interesses pessoais do juiz Sérgio Moro, que, naturalmente e por vaidade, aspira progredir na carreira até o ápice da Suprema Corte, o presidente eleito Jair Bolsonaro age tal como agiam seus antecessores, e está jogando no lixo a oportunidade para realmente fazer a coisa de modo diferente, quebrar paradigmas e vetustas e ultrapassadas tradições que nos mantêm reféns de um passado com traços e heranças absolutistas.
(continua)...

MAP

Professor Edson (Professor)

O doutor MAP que costuma produzir textos gigantes e lógicos dessa vez se conteve com um comentário pequeno e superficial, sem apresentar nenhum indício apenas achismos.

Todo mundo olha só para o próprio umbigo (2)

Sérgio Niemeyer (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

(continuação)...
Vai colher os mesmos malfadados louros que o PT colheu daqueles que indicou para o STF.
(a) Sérgio Niemeyer
Advogado – sergioniemeyer@adv.oabsp.org.br

  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

Comentários encerrados em 9/11/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.