Consultor Jurídico

Antecipação penal

Réu em liberdade não pode ser preso no momento da sentença, diz STJ

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

Homicídio...

Oh Direito (Funcionário público)

Caro Neli - procurador do Município ....
Com a devida venia, concordando plenamente com suas colocações quanto ao mérito, ouso alertar que suas considerações foram dirigidas à Instituição inadequada para atender sua demanda. Se há, e de fato existem, enormes incorreções que conduzem a injustiças, por certo, em sua maior parte, não cabe ao Judiciário Legislar e sim simplesmente ater-se ao que diz a lei. Seja boa - ótimo - seja ruim - paciência. Assim, o que quero dizer que essa lamúria deve ser dirigida aos nossos Legisladores (Congresso nacional) para que promovam leis mais justas, inclusive, estabelecendo prazos e sanções para que os "juízes" julguem em tempo razoável, como está previsto da Constituição, acabando com a impunidade pela lerdeza da Justiça (ou excesso de velocidade, em raras exceções).

Homicídio...

Oh Direito (Funcionário público)

Caro Neli - procurador do Município ....
Com a devida venia, concordando plenamente com suas colocações quanto ao mérito, ouso alertar que suas considerações foram dirigidas à Instituição inadequada para atender sua demanda. Se há, e de fato existem, enormes incorreções que conduzem a injustiças, por certo, em sua maior parte, não cabe ao Judiciário Legislar e sim simplesmente ater-se ao que diz a lei. Seja boa - ótimo - seja ruim - paciência. Assim, o que quero dizer que essa lamúria deve ser dirigida aos nossos Legisladores (Congresso nacional) para que promovam leis mais justas, inclusive, estabelecendo prazos e sanções para que os "juízes" julguem em tempo razoável, como está previsto da Constituição, acabando com a impunidade pela lerdeza da Justiça (ou excesso de velocidade, em raras exceções).

Teoria "Lulla"

Francisco Lobo da Costa Ruiz - advocacia criminal (Advogado Autônomo - Criminal)

Quem pode mais chora menos, é de se lamentar !

piada

yasminpilla (Advogado Autônomo)

É lamentável que esteja lendo uma matéria desta, seria bem melhor acreditar tratar-se de um "fake news" . Entendo que a vida pregressa, com mais de 7 anos após condenação do acusado não configura reincidência, MAS SIM MAUS ANTECEDENTES, e é com base exatamente nisto que se pede a prisão. Ademais o fato novo esta no próprio crime de MATAR ALGUÉM. Oras que juízo "a quo" de certo estudou o que manda a Lei, mas nossos M. Ministros estão mais interessados em criar jurisprudências com fim de absolver /beneficiar os próximos que virão a ser julgados ... Nem precisamos adentrar no mérito da demanda para entender que estão fazendo a cama e levando café da manhã para os próximos bandidos que ficarão em liberdade com uma porcaria de entendimento deste.

Homicídio.

Neli (Procurador do Município)

Sem adentrar no mérito desse caso concreto; percebo que é banal a pena aplicada ao crime de homicídio no Brasil.
Outros crimes são inafiançáveis e imprescritíveis.
Uma vida humana não seria o bem mais importante para a Lei e a Justiça tutelarem?
Não seria a sensação de impunidade que faz o Brasil um dos países com mais homicídios no mundo?
E condenar alguém a uma pena carcerária pífia não enaltece o menoscabo para a vida humana?
Um parêntese, há um caso concreto que a pena foi exacerbada para o casal! Homicídio preterdoloso de uma criança.O pai teria cometido o homicídio(preterdoloso), e a madrasta não teria participado no homicídio, foram condenado a mais de 30 anos .Fecho o parêntese.
E a Justiça tardia?
Que triste essa quadra histórica no Brasil.

Comentar

Comentários encerrados em 5/04/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.