Consultor Jurídico

Mercado Jurídico

Por Sérgio Rodas

Blogs

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Segurança na recuperação

Administradora judicial cria primeiro canal para receber denúncias

A Capital Administradora Judicial, do Grupo Capital, é a primeira empresa do ramo a disponibilizar em seu site um canal direto de denúncias envolvendo os casos de recuperação judicial em que atua. O autor da denúncia pode permanecer anônimo, se assim preferir.

De acordo com o advogado Claudio Montoro, sócio fundador do grupo, todas as denúncias — venham elas de credores, de outros interessados ou da própria companhia em recuperação — serão cuidadosamente investigadas e informadas ao juiz responsável.

“Esse pioneiro canal de denúncias contribuirá para evitar fraudes nas contas e nas documentações, dando maior segurança aos juízes, às empresas e aos credores”, afirma Montoro.

Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 25 de março de 2018, 9h40

Comentários de leitores

1 comentário

Administrador judicial

Adm. Renato Viana (Administrador)

ADMINISTRADOR JUDICIAL

No art. 21 da Lei 11.101/2005 identificamos que o profissional graduado em Administração está legalmente apto e qualificado para exercer essa atividade, segue o que direciona e ou rege a lei;

Lei Federal n. 11.101/2005
Art. 21. O administrador judicial será profissional idôneo, preferencialmente advogado, economista, administrador de empresas ou contador, ou pessoa jurídica especializada. (grifo meu)
Parágrafo único. Se o administrador judicial nomeado for pessoa jurídica, declarar-se-á, no termo de que trata o art. 33 desta Lei, o nome de profissional responsável pela condução do processo de falência ou de recuperação judicial, que não poderá ser substituído sem autorização do juiz.

Uma das principais funções do Administrador Judicial é fornecer aos credores e ao Juízo, relatórios e laudos consistentes e claros para aferição da viabilidade econômica-financeira da empresa recuperanda. Para ter sucesso nesse quesito é necessário, no meu ponto de vista, a obrigatoriedade do acompanhamento contínuo das atividades da empresa em recuperação. E afirmo, não há como executar e acompanhar os processos internos de toda empresa sem visitá-la semanalmente por duas ou três vezes.

Pesquisa realizada pelo IRB - Instituto Recupera Brasil, identificou que 27,7%, dos Administradores Judiciais (A maioria absoluta são nomeados os doutores Advogados) não apresentaram qualquer relatório consistente sobre a real situação da empresa em RJ - Recuperação Judicial.

Foi mensurado também que 44,8% dos relatórios apresentados pelos Advogados exercendo a função de Administradores Judiciais também se mostrou equivocada e sem... CONTINUA NO BLOG

https://www.adm.admrenatoviana.com/2017/11/administrador-judicial-no-art.html

Comentários encerrados em 02/04/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.