Consultor Jurídico

Colunas

Justiça Tributária

A reforma tributária acontecerá. Vamos esperar e ter esperança!

Comentários de leitores

4 comentários

iludido advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

Este título já é cansativo no cenário das hipóteses. Se se pensam que vão baixar os impostos, acho dúbio pensar. Pode até ocorrer uma criação mais sofisticada da CPMF. Cabeça de politico e do diabo se confundem. O politico precisa de dinheiro para suas manhas. Muito dinheiro. E de onde vai tirar! Se se fala o seu governo é claro, em deficit orçamentário por necessidade. Se se você vê o seu brasil nesta penúria com seus cidadãos contribuintes forçados, (não amo a DEUS apenas o TEMO) sem assistência social alguma, o que se pretende na reforma tributária é apenas uma acomodação de conforto entre os entes federativos famélicos. O povo não. Gostaria de ser como muitos, que depois dos 50 anos continuasse a sonhar com a inocência.

Militares

O IDEÓLOGO (Outros)

"O Brasil só teria uma reforma tributária substancial se houvesse um golpe de Estado e fosse instituída uma nova ditadura no país, afirmou na quinta-feira (16/11) o professor da PUC-SP Paulo de Barros Carvalho. Numa democracia, disse, só será possível racionalizar o sistema, sem grandes alterações" (CONJUR - 18 de novembro de 2017).

Estatismo

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Esperar e ter esperança, porém

“Quanto mais se submeteu o homem a normas coletivas, tanto mais aumentou sua imoralidade individual.” CARL JUNG
A fórmula para o desenvolvimento político, econômico e social nas sociedades civilizadas - têm por base os princípios da moral e institucional formulados ainda pelos filósofos contratualistas - PRINCÍPIO DA MORAL, de DAVID HUME (1752) originados dos romanos – pacta sunt servanda – os contratos, os pactos devem ser honrados; PRINCÍPIO INSTITUCIONAL, de JOHN LOCKE (Segundo Tratado sobre o Governo Civil - 1860) – a sociedade se funda sobre um contrato social entre seus membros, consubstanciada em sua CONSTITUIÇÃO, da qual derivam as LEIS. Daí decorre o IMPERATIVO DA SEGURANÇA JURÍDICA - como condição para o desenvolvimento econômico e social, inclusive ‘inclusão social’, de qualquer País ou sociedade.

Em nossas plagas a atividade econômica empreendida pela livre iniciativa foi capturada pelo Estado, com o avanço do Estado regulador – nas relações econômicas, políticas e sociais. Agências Reguladoras e órgãos de fiscalização e controle – controlam absolutamente tudo.

E, pela via do estatismo instaura-se, inevitavelmente o Estado inepto [improper state – ADAM SMITH] – corrupto, ineficiente, injusto, contrário as regras da livre economia [só funciona livre - o mercado do crime] e aos bons costumes e sem uma economia racional temos preços distorcidos, transporte e infra estrutura deficientes, elevada carga de impostos [extorsão tributária], dólar depreciado – sendo extremamente difícil a competição e o sucesso de empreendimentos honestos. Ou é diferente do que ‘aí está’?

SAÍDA: LIBERDADE com uma reforma tributária, ampla, geral e irrestrita que afaste os estatistas de plantão, coveiros do capitalismo.

Dr. Haidar, não é bem assim

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Podemos e devemos pressionar os parlamentares para um "teto" nas alíquotas, JÁ! Nenhum imposto poderá ter alíquota acima de 10%. Que tal ?

Comentar

Comentários encerrados em 27/03/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.