Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Causa não divulgada

Desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná é encontrado morto em casa

O desembargador Carlos Eduardo Andersen Espínola, do Tribunal de Justiça do Paraná,  foi encontrado morto na tarde de domingo (18/3) em seu apartamento em Curitiba. A informação foi confirmada pela Polícia Militar ao portal G1. A causa da morte não foi divulgada.

Espínola tinha 70 anos e se tornou desembargador em 2012. Começou a carreira na magistratura em 1986, na comarca de Paranavaí. Formou-se na Faculdade de Direito de Curitiba em 1972.

Revista Consultor Jurídico, 19 de março de 2018, 15h20

Comentários de leitores

3 comentários

Ficou no prejuizo

Silva Cidadão (Outros)

Perdeu o privilégio da aposentadoria compulsória.

Suicídio

Pekush (Advogado Sócio de Escritório - Tributária)

Aparentemente foi suicídio, segundo o que foi divulgado aqui em Curitiba.

Precisa investigar

O IDEÓLOGO (Outros)

É necessária ampla investigação. Trata-se um membro da honorável Magistratura do Paraná.

Comentários encerrados em 27/03/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.