Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

A greve dos caminhoneiros sob o enfoque jurídico ou Polític

Renato Adv. (Advogado Autônomo - Civil)

A greve dos caminhoneiros sob o enfoque jurídico ou Político.
O senhor desembargador está completo de razão em seu comentário/s.
Porém, de meu ponto de vista, a questão é política, vejamos.
Os Partidos de esquerda, especialmente P.T apoiado pela CUT e demais coligados deles, permaneceram em Absoluto Silencio Antes e Durante e Atualmente a essa parada Radical.
Convém, realmente apurar se esse movimento tem braço político nisso tudo.
Renato.

Senhor Desembargador

Observador.. (Economista)

Acompanho há muito seus textos. Sempre muito lúcidos e claros.
Que pessoas como o senhor, dentro do Poder Judiciário, percebam que não é a gasolina (ou o Diesel) que gerou toda esta situação que - como o senhor bem alertou - pode perder o controle.
Alguns se acostumaram com a ideía de que "tudo é contornável" no Brasil. E não tem percebido o cansaço do povo diante de tantos impostos e de certos privilégios que atingem não só políticos, mas uma ampla gama de agentes públicos de primeiro (e às vezes segundo) escalão.
Tudo isso deve começar a ser revisto.
As pessoas estão cansadas - sinceramente - de sustentarem um Estado obeso, perdulário e pouco afeito a prestar contas.
É tudo repassado ao povo, por meio de impostos.
Tudo.
Precisamos mudar isso.
Pessoas como o senhor devem começar a provocar debates em suas áreas de atuação.
O que alguns esperam acontecer para acordar?

Força e Honra!

P.S. Aproveito o espaço para lembrar uma grande mulher do passado. Seu discurso tem TUDO a ver com nosso presente.

https://www.youtube.com/watch?v=WFIN5VfhSZo

Empresas podem quebrar

Thiago Alberton (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Hoje o padeiro me disse que está ficando sem gás. Ele depende da receita para pagar os funcionários. Afinal, os salários deles não serão suspensos em virtude da greve. Milhares de contratos estão sendo descumpridos. Empresas poderão falir e empregos serão perdidos. Esse movimento perdeu legitimidade a partir do momento que passou a prejudicar o abastecimento de todo o país. É premente que a AGU requeira cautelarmente o bloqueio de todos os caminhões que se encontrarem parados nas rodovias para fazer frente às futuras ações de responsabilidade civil. Não é razoável que a União, ou seja toda a população brasileira, pague essa conta. Se houve um acordo com as lideranças e do movimento e este foi descumprido, nada restou a não ser o mero boicote político alimentado pelas turbas revoltadas pelas milhares de fake news que circulam de forma indiscriminada pelas redes sociais e aplicativos de mensageria. Hoje mesmo saiu uma notícia de que o movimento de 1972 no Chile foi financiado por interesses escusos. É muito provável que isso esteja ocorrendo agora, sendo ano de eleição. O exército deve agir de forma mais contundente. Deve tratar isso como uma operação de guerra, agindo de forma estratégica. Agora os petroleiros anunciam greve justo quando mais se precisa deles para normalizar o abastecimento. Esse oportunismo para obter vantagens para determinadas categorias deve ser combatido veementemente. O que o país precisa é de uma reforma política e tributária. Não adianta ficar fazendo concessões aqui e ali, pois todos pagarão o pato. O povo mostrou que tem garganta e força para brigar. Agora precisa de inteligência para trabalhar em um projeto de país, adotar uma estratégia de mudança. Não se alcançará nada por meio do caos.

Revolta

O IDEÓLOGO (Cartorário)

A revolta não é de classe profissional, mas de trabalhadores autônomos que dirigem os seus veículos. Se fosse de empregados, conforme CLT, seria greve.

A deslealdade da Informação.

Osvaldir Kassburg (Oficial da Polícia Militar)

Boa análise, faltou no entanto falar da forma desleal com que a grande mídia noticia a matéria, distorcendo fatos e procurando colocar a população contra os trabalhadores.
Já passou da hora de os verdadeiros patriotas boicotarem todas as empresas, produtos e serviços anunciados nas grandes redes de televisões.
São inimigas do trabalhador, só defendem bandidos, e têm uma programação inteiramente voltada à destruição da família e dos valores morais da sociedade.
Tudo o que a TV diz que é bom, só é bom para os seus interesses, é péssimo para os trabalhadores, para a democracia e para a Nação.
Os três poderes da República e a grande mídia conspiram dia e noite contra os trabalhadores do Brasil.
O povo está sozinho, precisa tomar em suas mãos o seu destino, por que ninguém fará nada pela Nação.
Até o Exército que nunca havia saído às ruas desde 1964 para combater os inúmeros atos de terrorismo perpetrados pelos MST, MTST, Via Campesina, etc., agora, no comando do General Vilas Boas saiu para reprimir um movimento legítimo e justo de trabalhadores de verdade. Que isso fique registrado para a história.
Para aqueles que ainda não entenderam a necessidade de desarmar a população e de desmilitarizar as Polícias Militares, fica a reflexão. As PMs são o exército da sociedade. Não nos deixemos enganar mais.

os falsos juristas

Aguia de Haia (Assessor Técnico)

o que mais impressiona é a ausência total de atribuição de responsabilidades à PETROBRAS. A forma como ela está sendo dirigida é inconstitucional. O total silencio dos "juristas" me impressiona. O Brasil optou por ser um Estado Social. A constituição é de um Estado Social até a medula óssea. O art. 173 da Constituição da República diz que o Estado só intervirá diretamente na Economia quando necessário aos imperativos da segurança nacional ou relevante interesse coletivo. A PETROBRAS é uma forma de intervenção direta do Estado na economia e não pode dar às costas a essa missão constitucional, mas é exatamente o que ela tem feito com a nova direção, servindo a meia dúzia de investidores em detrimento de um país inteiro. A PETROBRAS não pode ser dirigida apenas pelas regras de mercado. Ela tem uma missão constitucional. A greve é legítima, pois o detentor do poder constituinte, o povo, está exigindo que a constituição seja cumprida. O problema é que para isso precisam contar com um dos poderes mais retrógrados e conservadores de todos, o judiciário, acostumados a suas regalias e auxílios-moradia. Não podemos apostar nos juízes para fazer cumprir uma constituição progressista. Certos estão os franceses que não confiam nesta classe. Que se cumpra o art. 173 da Constituição!!!!!

Comentar

Comentários encerrados em 4/06/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.