Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

...E a aristocracia continua bem

Contribuinte Sofrido (Outros)

Parabenizo o articulista pela luta em prol de todos nós, que é a fiscalização dessa aristocracia que se tornou o Legislativo, Judiciário e Ministério Público, e que alguns órgãos do Executivo, como a AGU tenta ir atrás, na busca cada vez mais, de mordomias e penduricalhos.
Pelo que li noutro dia a decisão parece já antecipada, pois a informação dizia que o STF, em demanda naquele tribunal, havia decidido pelas férias de 60 dias também para a AGU. Toma-lá-dá-cá perfeito.
É por essas e outras que estamos pagando R$5,00 num litro de gasolina e não se vê nenhum desses aristocratas se levantar e falar em diminuir despesas, mas onde criar outros impostos(escondidos, é claro) para substituir eventual corte nos impostos sobre os combustíveis.
Imagine-se se o teto constitucional fosse respeitado, como determina no artigo 37 da CF/88, inclusive pelos tais "fiscais da lei", que deveriam fiscalizar o seu cumprimento!
Quantos milhões, quiçá bilhões seriam economizados.
Definitivamente, chegamos ao limite de impostos para enriquecer esses barnabés. Não há Estado que aguente bancá-los dessa forma.

Parabéns ao autor

Fantacini (Auditor Fiscal)

Gostaria de parabenizar o autor pela persistência em fiscalizar e denunciar esse procedimento, no mínimo suspeito, que está sendo adotado para "compor" um litígio que, na realidade, deveria ter sido julgado pelo STF, e que foi empurrado pelo inacreditável Fux para essa solução ilegítima.

Vergonha com o erário público

Sandro Xavier (Serventuário)

Os técnicos, analistas e oficiais de justiça do poder judiciário federal amargaram 10 anos de salário congelado, obtendo-se nesse período meros 15,8%, em 1 década.

No atual contexto, observamos IGPM com acumulado negativo.

Observamos empregados da iniciativa privada com decrescimentos na remuneração, desemprego, então, seja como cidadão, seja como servidor do poder judiciário, não há como se comover com a remuneração pseudo-congelada de magistrados.

Acessem o portal da transparencia, salários acima de 40 mil reais por mes, sem contar as tais verbas indenizatórias, nas centenas de milhares de reais, as quais não ocorrem de forma isolada e nem esporádica. Pesquisas de conhecimento público e notório informam enorme contingente de juízes ganhando acima do teto.

Esse texto que escrevi está na boca do povo, é conversa de boca miúda.

Definitivo fim dos tempos

Esclarecedor ou questionador (Delegado de Polícia Federal)

A simples POSSIBILIDADE de se colocar essa situação em tentativa conciliatória é, com a devida vênia, uma ofensa inimaginável ao povo brasileiro.

Em tempos em que não se para de falar em ajustes da máquina pública para a contenção de gastos, a existência de uma liminar que defere a milhares de beneficiados um benefício vergonhoso por anos para, à beira do julgamento do mérito, submeter a questão à possível conciliação com a AGU é o tiro de misericórdia em nossas esperanças.

Anos de pagamentos em que jamais se falou em conciliação e o julgamento "inevitável foi evitado", com a chancela da AGU.

A AGU, por outro lado, tanto se opôs aos ditos pagamentos e, agora, vai tentar conciliar??? E a matéria é passível de conciliação???

Os magistrados, ASSIM COMO TODAS AS DEMAIS CARREIRAS, merecem ter suas remunerações atualizadas mas, melhor do que ninguém, sabem que isso não se faz com gambiarras.

Comentar

Comentários encerrados em 30/05/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.