Consultor Jurídico

"Razoável anonimato"

STJ aplica direito ao esquecimento e obriga sites de busca a filtrar resultados

Retornar ao texto

Comentários de leitores

8 comentários

Mera aplicação da Constituição

João da Silva Sauro (Outros)

X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação

Público permanece público

Adv. Jackson Oliveira (Advogado Autônomo - Civil)

Exceto informações sobre procedimentos jurídicos em segredo de justiça, o que é público deve se manter público sobre fatos pretéritos e presentes. Na esfera extrajudicial, o direito à informação é constitucional regulamentado por legislações especiais, seja no aspecto socio-politico-economico, cultural, artístico, esportivo, etc. Se houve conduta que restou decidida se ilícita ou não, o fato é público e não pode ser ocultado. Imaginemos, retirar das bibliotecas as obras jurisprudenciais, os grandes júris, ou bloquear pesquisas eletronicas sobre a "Lava Jato"...Isto é jogo do clube dos notáveis. Se for efetivada a decisão, vamos, todos nós, propor sejam bloqueadas as pesquisas sobre fatos envolvendo nossos nome e que não nos agradam. Que sejam bloqueadas todas as notícias veiculadas pela imprensa sobre fatos que devem ser esquecidos. Isto é uma aberração jurídica! Somente o grupo dos notáveis de decisões inexpressivas poderia estar votando esta coisa. É a CENSURA! Ja não basta a judicialização do Congresso Nacional, que foi substituído pelos julgados no STF? Fiquem atentos, profissionais da IMPRENSA, estudantes e HISTORIADORES. Se não há SEGREDO DE JUSTIÇA fundamentado, é público e de acesso livre à informação. por ser desembargadora, se esquece? Pelo contrário, deve ser lembrado, sempre. A pessoa possui duas formas de ser lembrada: Como criminosa ou honesta. Se provada a inocência é até uma satisfação que isto esteja no domínio público...Se condenada, faz parte da pena.

Denise Pieri Nunes

João Bremm (Outros)

Processo:recurso especial
recorrente:yahoo do brasil internet ltda
advogado:andré zonaro giacchetta e outro(s) - rj148366
advogado:ciro torres freitas - sp208205
recorrente:google brasil internet ltda
advogado:eduardo mendonça - rj130532
advogado:mariana cunha e melo - rj179876
recorrido :d p n
advogado:leonardo greco - rj021557
advogado:paulo cézar pinheiro carneiro e outro(s) - rj020200
advogado:wesley batista de abreu e outro(s) - df023775
interes. :microsoft informática ltda
advogado:júlio cézar de oliveira braga e outro(s) - rj050664
advogado:mauro eduardo lima de castro e outro(s) - sp146791
advogado:andré del cistia ravani e outro(s) - sp183020
advogado:adir de souza vilaça júnior e outro(s) - rj126033
advogado:julia rangel santos sarkis - df029241
localização:entrada em gabinete do ministro paulo de tarso sanseverino em 17/04/2018
tipo:processo eletrônico, segredo de justiça.
Autuação:11/11/2014
número único: 0218767-85.2009.8.19.0001

filha de dalva pieri nunes, também promotora no rj. Ora, ora, ora. Um gulag cheio de cana pra essas senhoras.Só isso pra resolver.

Agente público é o dono do País

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

No momento, os agentes públicos controlam as informações, escondendo notícias verdadeiras e permitindo o alarde das falsas, na medida dos interesses de cada julgador. Dentro em breve, a se prosseguir a destruição da Carta da República, provavelmente vão querer ditar o que nós cidadãos devemos pensar. Tempos sombrios, que nem os mais céticos imaginariam.

Dois pesos duas medidas

Dr. Aureliano Russo (Advogado Autônomo)

Será que se fosse um cidadão comum teria a mesma decisão?

Pois é, vizinha...

Ian Manau (Outros)

Quando julgadores e litigantes tomam café um na casa do outro, dá nisso. Lembram do Michel Temer e Gilmar Lula Mendes em um mesmo voo da FAB?

Vamos Toffoli!!!!

Professor Edson (Professor)

As vezes o judiciário desse país é intragável, nem na ditadura militar existia isso, proibir a imprensa e os meios de comunicação de divulgar coisas reais e verdadeiras do passado é ultrajante, é um ataque a democracia, ao direito de informação e a história Brasileira, já passou da hora do supremo dar um basta nesse absurdo.

Mais uma jabuticaba!

Sergio Battilani (Advogado Autônomo)

Vão mandar queimar os livros e jornais???

Hitler (ou seus herdeiros) poderiam pleitear tal direito?

Comentar

Comentários encerrados em 17/05/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.