Consultor Jurídico

Notícias

Formação de precedente

Juízes passam a admitir que Defensoria atue mesmo quando partes têm advogado

Comentários de leitores

6 comentários

Defensoria

O IDEÓLOGO (Outros)

Apesar dos pesares, a DEFENSORIA PÚBLICA exerce papel importante no cenário jurídico e social brasileiro.
É ela que, sem se preocupar com os "temidos honorários advocatícios", persegue, insistentemente, a defesa do réu dentro da Constituição.
Essa falta de preocupação com os honorários é que proporciona tranquilidade aos acusados de censuráveis delitos.
Um causídico que dependa do "maná retributivo", não hesitaria em deixar de recorrer de uma sentença condenatória, aconselhando o seu ex-acusado a não continuar com o processo, porque é mais cômodo cumprir a pena rapidamente do que esperar resultado de um recurso que apenas "confirmaria"a sentença. E, também, seria útil ao advogado, porque ele embolsaria mais rapidamente o preço estatal de seu serviço.

Iludido advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

Irrisão: diria Hamlet nas brumas de Helsinor. Você não lembra, mas, todos que lutaram pelo pobre ou inútil pereceram: CRISTO! Você acha que o homem vai assumir mesmo um encargo desse que não criou! Qual o resultado teleológico! O retorno! A promoção! O homem enquanto vivo é-lhe mais interessante a matéria. É profético. Apesar da exceção, TODO Juiz sabe bem demais que não precisa disso, mesmo tendo menos de 60 anos para se fazer justiça, agora se não for para fazer justiça e sim proteção com acomodação, aí é caso de DESEQUILÍBRIO a base do ser humano enquanto vivo. PENSE NISSO!

paridade de armas?

Henrique Passsos (Funcionário público)

oras, um acusado com advogado constituído, ao meu ver, já possui paridade de armas. Se, repito, se, o acusado não tem advogado, aí sim a Defensoria deve dar seu pitaco no processo. Menos é mais, eu mesmo não preciso, nem gosto de interferência. Ah mas é pra ajudar o cliente, já estou lá pra isso.

Na teoria é elogiável.

Leopoldo Luz (Advogado Autônomo - Civil)

Na prática, o Defensor Público escreve uma contestação de um parágrafo: "negativa geral" e ajuda a fritar o réu.
É o excrescente parágrafo único do art. 341 do CPC que admite isso.

Não era o MP?

Marcela Maria (Advogado Autônomo - Civil)

A cada dia que passa a defensoria ocupa um espaço do terreno que seria do MP.

que absurdo !!

daniel (Outros - Administrativa)

criou-se um monstro que não quer prestar assistência jurídica, nem ser advogado, mas quer ser fiscal... E o Estado e os pobres que fiquem sobrecarregados com mais esta invenção e despesa absurda !!

Comentar

Comentários encerrados em 13/05/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.