Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ambiente de negócios

"Lava jato" derruba desempenho da construção civil há 4 anos, diz pesquisa

Por 

A operação "lava jato" derrubou o desempenho da construção civil no Brasil e agora atrapalha a recuperação do setor. A conclusão faz parte de estudo da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado, publicado no dia 11 de junho. Segundo a pesquisa, desde o início de 2014, quando começaram as fases mais ostensivas da operação, a indústria da construção civil apresentou 14 trimestres de resultados negativos, com impacto negativo de 0,9 ponto percentual por trimestre.

Segundo pesquisa do IFI, do Senado, operação "lava jato" impede retomada da construção civil, o que impacta em desempenho da indústria nacional.
Reprodução

O estudo analisa que, mesmo depois da recessão econômica de 2015-2016, o desempenho da construção civil permanece como "fator limitante" à recuperação do PIB da indústria e da atividade econômica do setor. O leve crescimento visto no primeiro trimestre deste ano deve-se à indústria de transformação, diz o IFI.

De acordo com o levantamento, a "lava jato" começou a mudar os rumos da construção civil quando foi descoberto que grandes construtoras subornaram diretores de estatais para superfaturar contratos. A partir de então, segundo o estudo, houve uma queda nos investimentos públicos em obras, os bancos dificultaram o crédito e consequentemente a receita dessas empresas também diminuiu. Como elas têm grande participação no setor, a crise alcançou a construção civil como um todo.

Recuo
O resultado já era esperado. De acordo com a última edição da Pesquisa da Indústria da Construção Civil (Paic), do IBGE, divulgada em junho de 2017, o setor de infraestrutura foi quem puxou para baixo o desempenho da construção civil em 2014 e 2015.

Segundo o estudo, depois de recuar 9,6% em 2014, primeiro ano da "lava jato", a geração de riqueza da construção civil caiu mais 7,8% um ano depois. Uma queda de R$ 14,6 bilhões em um ano, resultando num PIB de R$ 172,6 bilhões.

O resultado foi resultado da queda do PIB do setor de infraestrutura, que envolve a construção de barragens, rodovias, portos, aeroportos e substações de energia, entre outros. “As obras de infraestrutura são influenciadas pelos desembolsos do BNDES, que reduziram nominalmente 20%, passando de R$ 69 bilhões, em 2014, para R$ 54,9 bi em 2015”, afirmou a pesquisa.

Clique aqui para ler o estudo do IFI do Senado.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 18 de junho de 2018, 19h45

Comentários de leitores

8 comentários

Desempenho?

Resec (Advogado Autônomo)

As aspas deveriam estar sobre o vocábulo "desempenho", já que o mesmo era resultado de gigantescas manobras fraudulentas.

É um grande equívoco, não?

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Creio que a queda no desempenho da economia em todos os setores, deve-se as corporações e seus membros corruptos que minam a riqueza gerada no Brasil pelos empresários e trabalhadores honestos. Se a operação Lava Jato não tivesse entrado em cena, a sangria teria sido muito maior a ponto de uma falência total da economia.

Aprendam a usar aspas!

João Bremm (Outros)

Demitam quem ganha caraminguás para escrever sem que saiba sequer usar aspas.
Por que aspas na "lava jato"? É nome próprio, basta usar Lava Jato e qualquer néscio saberá do que se está a tratar!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 26/06/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.