Consultor Jurídico

Notícias

Equilíbrio das contas

Crise justifica parcelamento de salários de servidores de Minas, diz Toffoli

Comentários de leitores

8 comentários

PeTista x PeTista

Eliel Karkles (Advogado Autônomo - Civil)

O Governador de Minas é de que partido? PT. O Ministro foi vinculado a qual partido, antes de ser ministro? PT! Porque não estou surpreso. Sobre o teor da decisão, estou estupefato. Que os mineiros não votem mais no PT ou depois não reclamem. Chega de PeTralhas em qualquer governo, senado, câmara, assembléia, prefeitura, etc.

Quase-escravidão

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

No que se refere ao modo de produção, a escravidão de caracteriza pela exploração forçada da mão-de-obra de uma pessoa.
-
O servidor público (que é um trabalhador como qualquer outro) se obriga, ao tomar posse e entrar em exercício, a desempenhar as funções típicas de seu cargo. Se não recebe salário por seu trabalho, mas está obrigado a trabalhar, qualquer semelhança com a exploração de mão-de-obra acima descrita não é mera coincidência.
-
Em suma: salvo, obviamente, casos como o do trabalho voluntário, ninguém deve trabalhar de graça. Se o empregador não paga, não há mais sinalagma. Não há mais razão para exercer o trabalho.
-
A decisão é lacônica e não explica que divisão do salário seria essa. Mas, se estamos falando de pagar o salário mensal para além do período de um mês, então há exploração de mão-de-obra sem a contraprestação legalmente devida.
-
Sequer faz sentido pagar o salário mensal dividindo-o por mais de um mês. Além da contradição em termos, as obrigações do trabalhador são mensais.

Data vênia!

Neli (Procurador do Município)

Salário, excelência, é sagrado.
É sagrado, porque a pessoa não vive sem energia elétrica, água, moradia, alimentos. E isso, parcelar salários, é um escárnio.
O Governador vive em palácio com as necessidades atendidas pelo erário e não pensa que os servidores públicos que carregam a Administração Pública nas costas, necessitam dos salários para suprir as necessidades básicas.
Quanto o governo de Minas gasta com publicidade?
Quantos cargos em comissão existem em Minas?
Quantos foram criados nesta gestão?
Quanto o Governador gasta na manutenção de sua família?
Repito-me, quanto o Governo de Minas gasta em publicidade?
E o ministro da Corte Suprema, contrariando princípios basilares da Constituição Nacional autoriza o parcelamento.
Solidarizo-me com os servidores públicos de Minas Gerais.
Sou mineira de Brasópolis!

pois é...

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Basta ser "cumpanheiro" e vale tudo.
Com certeza os "cumpanheiros" Dias Toffoli e Fernando Pimentel estão recebendo integralmente seus salários e demais benefícios.
E trata-se dos salários dos servidores da educação, o que, por óbvio, merece atenção especial.
Com educação os "cumpanheiros" Dias Toffoli e Fernando Pimentel não estariam ocupando seus nobres cargos e com educação os "cumpanheiros" serão extintos. É uma questão de sobrevivência!

A falência

O IDEÓLOGO (Outros)

do Estado Brasileiro ocasionará o retorno dos Militares.

É cada pérola, mas só na dos outros!

Antônio Marcelo (Outros)

Esse é a santa expressão e/ou usual remédio desde os primórdios de 1.500 que tentam se valer, administrar, impor sempre com objetivo de convencer, justificar o injustificável, pois as contas nos são apresentadas a cada milésimo de segundo, todo instante e as pagamos, pois não temos outra saída, nós contribuintes que agora recebemos uma promoção, ao nos adjetivar pelo pomposo e espetaculoso nome de "tesouro", e estes pagamentos que realizamos, escoam pelo ralo sem fundo do inexplicável, mas como papel aceita tudo, aí está mais uma delas, porém, que fique claro: sem qualquer convencimento de qualquer pessoa que se digne de pelo menos dar uma passada de olhos nos jornais, revistas, blogs e no Brasil que você quer!
Mais uma pérola magistralmente lançada por quem deveria proteger os que sofrem destes arrobos desgovernamentais em completo afronto a miséria da maioria da população.
Dividam também os salários do executivo, do legislativo, do judiciário, das câmaras de vereadores, dos aspones de primeiro, segundo, terceiros, quartos...., dos apadrinhados nas agências des-reguladoras, pois de reguladoras não têm é nada, estatais e etc......!
se agirem assim, botaremos Suiça, Suécia, UK, USA, Alemanha, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Monte Carlo e etc no terceiro mundo, mas como aqui o privilégio, o correto é se locupletar do público como privado fosse, continuaremos na mesma e, com as bênçãos de quem deveria nos proteger!

"exaustão orçamentária" - Estamos exaustos de ver e ouvir

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Que só uma parcela da população deve arcar com a "escassez" de recursos decorrente do assalto aos cofres públicos por "autoridades" que chamam delitos de "erros". Aí está o resultado, a conta chegou. Antes que o mal aconteça nas outras esferas de poder, os magistrados deveriam promover a remessa de todas as verbas além dos salários para o tesouro aplicar nas áreas do Estado com problemas orçamentários.

a crise em MG é porque o governo petista inchou o Estado

analucia (Bacharel - Família)

a crise em MG é porque o governo petista inchou o Estado para abrigar em cargos de confiança cumpanheiros demitidos no governo federal em razão do impeachment da Dulma...

Comentar

Comentários encerrados em 4/08/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.