Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Amigos da igreja

MP-RJ investiga demissão em massa para contratação de aliados de Crivella

O Ministério Público fluminense investiga reclamação de demissão em massa de funcionários da Prefeitura do Rio de Janeiro para admissão de pessoas alinhadas à Igreja Universal do Reino de Deus, da qual faz parte o prefeito Marcelo Crivella. O caso está sob responsabilidade da promotora Gláucia Santana, titular da 5ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania.

A Promotoria expediu ofícios para a Casa Civil e as secretarias municipais de Educação, Assistência Social, Cultura e Fundação Parques e Jardins solicitando informações sobre os funcionários demitidos e admitidos para os cargos. Os cargos comissionados, entretanto, são de livre nomeação, destacou Gláucia Santana.

“O que eu posso afirmar é que foram expedidos ofícios pedindo a relação de todas as pessoas exoneradas dessas pastas citadas e se isso aconteceu por um único decreto, e depois vem a sequência das nomeações, com a relação dos exonerados e admitidos na atual gestão da prefeitura”, disse a promotora.

Procurada, a Prefeitura do Rio disse que está pedindo respostas a todas as secretarias e órgãos citados no ofício do Ministério Público e que as informações devem estar disponíveis nesta sexta-feira (13/7).

Nesta quinta-feira (12/7), a Câmara Municipal do Rio de Janeiro rejeitou, por 29 votos a 16, o pedido de abertura de impeachment de Marcelo Crivella, por crime de responsabilidade e improbidade administrativa. Os pedidos foram motivados por uma reunião promovida pelo prefeito no Palácio da Cidade, sede oficial da prefeitura, no último dia 4, com um grupo de fiéis evangélicos, quando foram feitas promessas de atendimentos de saúde e isenção de IPTU para igrejas. Com informações da Agência Brasil.

Revista Consultor Jurídico, 13 de julho de 2018, 13h18

Comentários de leitores

1 comentário

Grave

O IDEÓLOGO (Outros)

Ilícito grave que evolui para dolo.
Uma seita, assim como o PT fez, invadiu o Estado.
Prefiro os Militares.

Comentários encerrados em 21/07/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.