Consultor Jurídico

Após liminar, BNDES suspende leilão de distribuidoras da Eletrobras

13 de julho de 2018, 12h10

Por Redação ConJur

imprimir

Após decisão da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro, a Comissão Especial de Licitação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (Bndes) emitiu um comunicado relevante informando que suspendeu, sem prazo determinado, o edital de leilão de seis distribuidoras da Eletrobras, previsto para 26 de julho.

CREA-RO
Empregados da Eletrobras alegaram que edital era nulo, já que venda não foi aprovada pelo Legislativo.
CREA-RO

A Associação dos Empregados da Eletrobras (Aeel) moveu ação para suspender o processo licitatório, em especial a fase de entrega de documentos pelos proponentes para habilitação no processo. De acordo com a entidade, o Legislativo ainda não autorizou a venda das distribuidoras, o que representa a nulidade do edital.

A juíza Maria do Carmo Freitas Ribeiro, da 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro, concordou com a Aeel e concedeu tutela de urgência para suspender o processo licitatório.

No comunicado, o BNDES afirmou “que os órgãos competentes estão avaliando os recursos legalmente cabíveis” contra a decisão. O banco acrescentou que, tão logo haja a autorização legal para continuidade do processo, será divulgado novo cronograma conforme está previsto no edital.

As distribuidoras que estão no processo são a Companhia Boa Vista Energia, a Companhia Energética de Alagoas, a Companhia Energética do Piauí, a Centrais Elétricas de Rondônia, a Companhia de Eletricidade do Acre e a Amazonas Distribuidora de Energia. Com informações da Agência Brasil.