Consultor Jurídico

Artigos

Opinião

Indicação para a Suprema Corte americana pode gerar anos de conservadorismo

Comentários de leitores

4 comentários

Você quis dizer: anos de Constitucionalismo

L.F.V., LL.M (Advogado Assalariado - Tributária)

O documento fundacional da mais próspera e longeva república contemporânea será novamente lido por uma maioria respeitosa e moderadamente contida de Juízes, já nem tão dispostos a usurpar poderes para benefício desta ou daquela agenda política.
.
Soa monótono para quem prefira a militância de toga a fim de "libertar a massa ignara de suas próprias correntes, queira ela, ou não", sabemo-lo bem. Mas é a função original da Suprema Corte naquele sistema. Caminhamos para um maior equilíbrio entre os poderes, após décadas de "diktats" da agenda dogmática da elite megalopolitana nordestino-californiana.

Resumo do artigo

Felipe Soares de Campos Lopes (Advogado Assalariado - Criminal)

Conservadorismo baaaaaaaad
Progressismo goooooood

We muft fight that big orange meanie! Nye!

Fora com sua parcialiadade.

Depende do ponto de vista

Holonomia (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

A nova composição poderá significar retrocesso ou avanço, dependendo do ponto de vista.
Para quem considera a vida humana digna, proibir aborto é avanço.
Para quem entende que situações distintas mereçam tratamentos diferentes, negar que a união de homem com homem ou mulher com mulher seja equiparado a casamento é avanço, porque essa união pode ser, no máximo, uma sociedade estável, mas nunca casamento, que pressupõe, ontologicamente, sexos opostos.
Restaurar a ideia de uma natureza humana, enfim, é avanço.
www.holonomia.com

Restauração da boa jurisprudência

João Paulo Adv (Funcionário público)

Sob Kennedy, um progressista travestido de conservador, a Suprema Corte avançou rumo ao despotismo judicial, tão temido pelos pais fundadores e, posteriormente, por Lincoln, que assistiu estarrecido ao caso Dred Scott (1857). Ora com maioria conservadora, a SCOTUS tem a oportunidade de reverter uma decisão não menos hedionda do que aquela que chocara o "Grande Emancipador": a de Roe v. Wade (1973), em que se descartou o princípio básico de toda sociedade civilizada: a dignidade ínsita da vida e da pessoa humana.
Kennedy, ao contrário do que escreve o articulista, não participou daquele julgamento nefando, mas daquele que o ratificou: Planned Parenthood v. Casey (de 1992).
Sem falar que com as indicações do presidente Trump - Gorsuch e Kavanaugh - a democracia e as liberdades fundamentais - de pensamento, de consciência e de religião - estão muito mais seguras; em suma, a própria Constituição se fortalece.

Comentar

Comentários encerrados em 18/07/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.