Consultor Jurídico

Notícias

Advocacia 2018

Falta de estrutura do Judiciário é o principal gargalo da advocacia

Comentários de leitores

4 comentários

Iludido Advogado autônomo

Iludido (Advogado Autônomo - Civil)

Ainda continuo na prática que é real. Pergunte a um advogado militante constante ou mesmo alternativo sobre o andamento da justiça. Quem conhece as manhas do judiciário é só o ADVOGADO E DEUS o resto é palpite. Este sim, sofre, cansa, gasta, corre o perigo, suporta assombrações e se viver só dos honorários da sucumbência, coitado, está literalmente morto. E, se aposentado pelo governo com um SM (morte) o melhor caminho é o suicídio.

Triste, muito triste

LunaLuchetta (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

O Estado Brasileiro de forma geral, vive grave crise de ineficiência, com elevado gasto e serviços de péssima qualidade.
Com a Justiça não vem sendo diferente, vez que o Judiciário não se mostra capaz de atender, de forma adequada, às pretensões que lhe são levadas.
Nessa linha, aponta-se o desapego do servidor público à eficiência que é exigida por todos e de todos e em qualquer lugar, menos no serviço público. Exigir do servidor público que cumpra a sua obrigação é afronta-lo e ele rechaçará a exigência alegando que se está praticando assédio moral.
Quando se solicita (e se devia exigir) do servidor público que junte aos autos petição que lhe foi apresentada a mais de 30, 60 ou 90 dias, ato que deveria, pela Lei, ser praticado em, no máximo, 1 dia, apresenta a justificativa que "...há muito serviço a fazer..." e que "... sua petição está na fila, doutor..."
É triste, muito triste.

E acrescento

deffarias (Assessor Técnico)

Além das mazelas noticiadas, tem também as petições terríveis apresentadas por uma imensidão de advogados mal qualificados, que torna o processo decisório ainda mais difícil.

OAB

O IDEÓLOGO (Outros)

A Ordem se apequena ao defender interesses meramente corporativos, em detrimento daqueles sociais.
O desrespeito aos privilégios da classe dos advogados ocorre por culpa desses pensadores, do excesso de vaidade, de processos e de recursos.
Mas, não é justo lançar críticas a todos os advogados.
Uma excelente advogada, a Dra. Telma, merece aplausos pela licitude de comportamento profissional e ético em vários processos, inclusive fez questão de defender um meliante "sem eira e sem beira", preso injustamente, sem cobrança de honorários. A advocacia "pro bono" precisa avançar.

Comentar

Comentários encerrados em 5/02/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.