Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Segurança mínima

Empresa responde por assalto ao empregado durante serviço, diz TRT-5

Embora a segurança pública seja obrigação do Estado, o empregador tem o dever de zelar pela segurança dos seus funcionários dentro do ambiente de trabalho. Esse é o entendimento da 5ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (BA) ao determinar que uma loja de perfumes indenize em R$ 5 mil uma atendente que teve objetos pessoais, entre eles o celular, levados em assalto. 

O relator, desembargador Pires Ribeiro, disse que “a responsabilidade do Estado não exime a do empregador, o qual tem o dever de propiciar aos seus trabalhadores a mínima condição de segurança durante a prestação de serviços”.

Apesar do regimento da empresa proibir levar aparelhos eletrônicos no ambiente de trabalho, para o desembargador é difícil acreditar que nos dias de hoje alguém sairia sem o celular. Ele ressaltou que os empregados podem querer usar o aparelho nos momentos de descanso ou pode surgir necessidade de usá-lo.

A decisão reformou sentença que havia rejeitado o pedido de indenização por danos morais, materiais e psicológicos. Com informações da Assessoria de Imprensa do CSJT. 

0000511-86.2016.5.05.0029

Revista Consultor Jurídico, 22 de janeiro de 2018, 14h34

Comentários de leitores

2 comentários

Absurdo

Sperandeo (Prestador de Serviço)

Neste país, o que ocorre é o rabo que abana o cachorro, total inversão de valores. Lamentável!!!

Inversão de valores

Valter (Prestador de Serviço)

Os únicos culpados no evento criminoso foram o Estado e o assaltante. Nenhum dos dois punidos!

É muito mais fácil atribuir à vítima, no caso a Empresa, a responsabilidade pecuniária pela ação criminosa.

O Estado, na prática, proíbe a auto defesa, não cumpre o seu dever constitucional de proteger a população e ainda pune o assaltado!

Existe incoerência maior?

Enquanto perdurar esta absurda inversão de valores este País continuará sendo o que é: paraíso de delinquentes!

Estamos literalmente na berlinda... até quando?

Comentários encerrados em 30/01/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.