Consultor Jurídico

Notícias

Visita de deputados

Presidente do TRF-4 promete telão para autoridades verem julgamento de Lula

Comentários de leitores

4 comentários

concordo

Marcelo Augusto Pedromônico (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Tem muita gente, de todos os lados, interessada na tal "transparência". Aliás, de tão "transparente", o cidadão em geral já nem sabe mais do que Lula é acusado.

Carta Abeta ao Poder Judiciário

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Chegamos ao ponto de onde não haverá mais retorno.A Operação Lava Jato fez uma revisão em todas as instituições desse País. A partir de agora, todo o cuidado é pouco se quisermos preservar o Estado Democrático de Direito. A crise econômica afetou a todos, exceto os funcionários públicos em geral e os magistrados em particular. Metade da população brasileira, mais de cem milões de pessoas, vive com um salário mínimo. E assiste, estarrecida, a uma magistratura regiamente paga protelar o andamento e o julgamento de processos por falta de empatia com o sofrimento dos cidadãos. A crise política afetou a todos, exceto a magistratura, que, em muitos casos, ganhou notoriedade e ganhou dinheiro com palestras sobre a crise política. A crise ética afetou a todos, exceto a magistratura, que não se digna a reduzir os próprios salários a patamares compatíveis com a realidade econômica do Brasil, com a redução das desigualdades sociais e com o exemplo de uma instituição justa, fraterna e solidária. Se os magistrados de hoje pensam que essa crise passará, estão certos. Se pensam que, depois que a crise passar, a magistratura será como sempre foi, estão errados. O Brasil está sob ataque interno e externo e quem não enxergar isso será abatido como um inseto. O que virá depois dessa crise ninguém pode prever. A única saída para manter a nossa democracia é colocar as joias da magistratura no penhor desta igualdade. Este é o ponto de onde não haverá retorno. Seguiremos pela estrada da escravidão ou pela estrada da liberdade ?

A espetacularização do judiciário

Joao Sergio Leal Pereira (Procurador da República de 2ª. Instância)

O aparente desejo de máxima transparência no julgamento de Lula, esconde o lado perverso de toda essa história. Nos últimos tempos, outra coisa não buscam alguns magistrados senão a espetacularização da própria justiça. A quem beneficia esse desserviço?

Cadeia neLLe!

Palpiteiro da web (Investigador)

Telão para ver o pai do mensalão no camburão à caminho do cadeião!

Comentar

Comentários encerrados em 20/01/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.