Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acordo nacional

Juiz rejeita queixa de senador Romero Jucá contra mulher que o filmou em avião

A queixa-crime do senador Romero Jucá (PMDB-RR) contra a mulher que o filmou durante voo e publicou as imagens no Facebook foi rejeitada nesta quarta-feira (10/1), pelo juiz Marcus Reis Bastos, da 12ª Vara Federal de Brasília. 

Mulher questionou Romero Jucá sobre acordo "para salvar seus amigos canalhas”.

As imagens mostram a mulher indo até a poltrona do senador e o questiona sobre o “grande acordo nacional para salvar seus amigos canalhas” e diz que ele “não tem vergonha na cara”. Para Jucá, a intenção do vídeo foi denegrir-lhe a imagem. Para o juiz, no entanto, a mulher apenas exerceu seu direito de cidadã e Jucá, como senador, deve prestar contas de seus atos.

“O questionamento dirigido a autoridades públicas, mesmo que em tom de cobrança, a respeito de fatos amplamente divulgados na mídia concernente a práticas de governo e que vem sendo seguidamente contestadas, seja pelo conteúdo que encerram, seja pelas consequências que produzem, constituem direito da querelada, cidadã diretamente interessada nos rumos políticos no país”, escreveu o magistrado, na decisão.

Queixa-crime 0053219-49.2017.4.01.3400
Clique aqui para ler a decisão

Revista Consultor Jurídico, 12 de janeiro de 2018, 17h23

Comentários de leitores

2 comentários

Perfeito

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Na medida.

E quando for a vez do juiz?

Leonardo BSB (Outros)

Temerário esse entendimento! Fico só imaginando como os juízes federais forem as vítimas de questionamento por liminares dando auxílio-moradia corroborada por decisão administrativa do CNJ, ou por sentença absolutórias. Achei ótimo esse entendimento raciocínio, e a sociedade deve exigir coerência dos juízes quando forem eles a ser questionados por seus atos. Se isso vale até mesmo para agentes políticos, por certo deverá servir para servidor público! Vamos ficar de olho e cobrar como cidadãos!

Comentários encerrados em 20/01/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.