Consultor Jurídico

Notícias

Revoada dos tuiuiús

"MPF é local onde vi mais ilegalidades", diz procurador que atuou na "lava jato"

Comentários de leitores

14 comentários

Os bons companheiros

keubla2015 (Outros)

Sobre a matéria "Revoada dos Tuiuiús"
Não fiquei surpreso com a matéria pois sei de crimes muito mais graves cometidos por procuradores da República. Pode-se dizer formação de quadrilha institucionalizada. Das diversas tentativas que fiz no sentido de apurar a respo sabilidade dos crimes cometido por procurador da República e outras autoridades, todos os avaliadores dos casos defenderem o colega corropido e não apuraram o crime cometido. Dentre os defensores de colega criminoso se inclui o ex-PGR, senhor Rodrigo Janot. Há alguns meses ou, pouco mais de ano, eu mandei uma proposta, via e-mail para alguns deputados, inclusive para o então senador Renan Calheiros, quando ele estava em guerra com o MPF. No e-mail fiz uma proposta de lei simples para acabar com a corrupção no MPF, na Polícia Federal e no Poder Judiciário. É a seguinte: "em processos de qualquer natureza que envolve atuação funcional de servidor público, agente político, ou membro de poder é vedado o segredo de justiça e qualquer tipo de sigilo". Pois, o que ocorre e ocorreu e eu sou testemunha disso foi o seguinte: denúncia de corrupção, prevaricação e outros crimes contra membro do MPF, da Polícia Federal ou do Poder Judiciário não foram apuradas. Procuradores da República, Juízes Federais e Delegados Federais formaram a maior quadrilha de bandidos deste país para destruir com a vida de pessoas inocentes que denunciaram crimes cometidos por autoridades. Inclusive o advogado denunciante, que era delegado aposentado da Polícia Civil e investigava a corrupção destas autoridades foi assassinado em 2013 e até hoje os assassinos não foram julgados e os mandantes continuam livre. No nome do advogado assassinado é Paulo Magalhães Araújo.

Ninguem acima da lei.

Erminio Lima Neto (Consultor)

Essa é a maior prova de que o MP usa a lava jato, não pensando no pais, mas simplesmente, e como sempre, para manter privilégios. Desta forma, não devemos, jamais, embarcar cegamente, nos ventos da "onda". Por fim, concurso público num ambiente de "levar vantagem tupiniquim" é criar problemas e não resolve-los.

Ilegalidades no MPF

SMJ (Procurador Federal)

Em 2004 um amigo passou em primeiro lugar para Analista do MPF em SC; esperava que lhe seria dada a opção de escolher o lugar de lotação e pretendia Florianópolis. Para sua surpresa, não houve oportunidade para escolha de lotação e ele foi nomeado para Joinville, enquanto a segunda colocada foi nomeada para Florianópolis. Decepcionado, preferiu não assumir o cargo.

Do rio que tudo arrasta...

César Augusto Moreira (Advogado Sócio de Escritório)

Quem conhece os excessos, abusos e crimes praticados por promotores de justiça/procuradores da República somos os advogados que militamos na seara criminal. Contudo, mesmo denunciando, só vemos um movimento corporativo para abafar o caso e o promotor/procurador marginal continuar no exercício da funções, e, não raras vezes, ainda ser promovido. O país ainda amargará e vergará sob os superpoderes dados ao Ministério Público.

Indicação do PGR por advogado ...

SLB (Outros)

O advogado Kakai afirmou em audiência da AP 470, mensalão, que o então presidente Lula pediu para este uma indicação para o futuro PGR e, Kakai indicou Claudio Fonteles.
Para quem entende, pingo é letra ...
Lula confiou em Kakai a indicação do PGR.
O vídeo está no YouTube, se não removeram.

Caro, daniel (Outros - Administrativa)

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Sem desviar o foco da matéria.
Todavia, você tem uma parte de razão.
Explico.
Se ela não funciona 100% sem concurso, imagine se fossem lá na OAB todos concursados?
Exemplo: vá a um CRECI. Lá são todos concursados e é pior do que muitas repartições, muito pior do que a OAB. Busque os serviços do CRECI/SP como cidadão e depois vá até a OAB. A diferença é gritante.
Concurso, em muitos casos, não resolve e ainda piora.

Kakai indicou ...

SLB (Outros)

Para entender onde se amarram os poderosos e seus tentáculos, o advogado vulgarmente conhecido como Kakay, afirmou em audiência da AP 470, que ele indicou para o então presidente Lula, para a PGR, o tal de Fontelles.
Esse é o perfil ... os tentáculos... para quem sabe ler, pingo é letra ...

Mais do mesmo

Marco Martins (Outros - Administrativa)

Esse tipo de favorecimento acontece em qualquer órgão, seja público ou privado.

Acreditar na santidade do MPF ou do Juiz Federal de Curitiba é ingenuidade ou oportunismo.

Com certeza Temer e o próximo presidente nomeará somente os PGR que são do seu cabresto.

Achar que tudo o que aconteceu começou ou terminou com o PT é muita "bestagem"...

Os membros do MP devem ser eleitos

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Só com eleições por voto direto e secreto do povo para mandatos periódicos sem direito à reeleição poderemos ter um Ministério Público isento.

e quem fiscaliza a OAB ?

daniel (Outros - Administrativa)

podemos fazer esta pergunta também, afinal a OAB nem faz concurso para os seus servidores e atua seletivamente quando quer, sem justificar a não atuação.

Reflexão

Observador.. (Economista)

https://www.google.com.br/amp/s/veja.abril.com.br/blog/noblat/o-estado-criminoso/amp/

Por que isso não reverbera no país?

Observador.. (Economista)

Porque fica por isso mesmo, sem grandes comentários?
Por que somos assim, diante de algo sério como aqui está escrito?
Por que achamos que são só os políticos o problema da nação?

Ao menos vejo que temos grandes brasileiros, em todos os setores.
Isso é um alento.
Dá forças ao espírito para que lutemos por um país melhor.
Servidor é para servir.
Não é para brigar por mais poder, salários, auxílios, autonomia etc.
É para servir ao povo.Ter uma vida digna servindo bem sua nação.
Como fazem as Forças Armadas.
Servir, cumprir a missão, para que a nação e o povo fiquem em paz.

Feliz 2018.
Força e Honra.

Quem fiscaliza o fiscal?

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

O fato é que a sociedade, mediante a vontade soberana da Nação, normas legais, no âmbito penal que especializa a função punitiva do Estado com divisão de tarefas, justamente para dar mais eficiência e eficácia ao sistema, possibilitando ainda seu maior controle.
Porém, nos tempos pós Constituição de 1988 – há uma obsessiva ideia levada a efeito pelas frequentes tentativas de alterar o sistema repressivo penal, sem antes buscar seu aperfeiçoamento e aprimoramento, o que revela certas [e] vocações engendradas em sistemas totalitários, trazendo em seu bojo a ameaça da autoridade total em que somente um órgão, já com excessivos poderes, assumiu a responsabilidade absoluta pela investigação e denúncia criminal.

Assim, é que se instaurou “guerrilha institucional”, senão “invasão/usurpação” de função com a violação do princípio da conformidade funcional, pelo qual o resultado de uma interpretação não pode subverter o esquema organizacional e funcional estabelecidos pelo legislador, como ocorreu, descaradamente, cujo exemplo mais candente é a Resolução 171, digo, 181 – CNMP.
E, o velho mote continua: nos tempos romanos perguntava o poeta satírico JUVENAL (Decimus Junius Juvenalis): quis custodiet custodes? [quem fiscaliza o fiscal?]; nos tempos modernos pergunta o jurista francês GASTON JESSÉ: Qui garde le gardien? [Quem guarda o guardião?]. E nós ‘acá’, abaixo da Linha do Equador, enfrentamos os estertores de certas autoridades da vida pública com seus excessos de ‘otoridades’ ..., sem a quem recorrer.

MPF

O IDEÓLOGO (Outros)

Deixou de ser sacrossanto.

Comentar

Comentários encerrados em 14/01/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.