Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Momento frustrado

Formando esquecido em colação de grau receberá danos morais, decide TJ-RS

Deixar de chamar um formando para ir ao palco na cerimônia de colação de grau é atitude que causa danos morais. Esse foi o entendimento da 3ª Turma Recursal Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul ao manter decisão da primeira instância e fixar a indenização em R$ 9,4 mil, valor que corresponde a um terço do que o estudante pedia.

Formando receberá R$ 9,4 mil por não ter sido chamado ao palco na colação de grau.
123RF

O juiz Cleber Augusto Tonial destacou que o dano moral ficou claramente demonstrado pelo simbolismo do evento e pela má prestação de serviços numa data tão importante. "Situações como esta são únicas na vida de uma pessoa e a coroação por anos de esforço e estudo. Ter retirado do aluno este momento é algo inaceitável e que causa humilhação e sofrimento", disse o julgador.

No mesmo processo, o recurso da empresa organizadora do evento foi aceito, para eximi-la de culpa pelo ocorrido. O juiz afirmou que depoimentos de pessoal da própria faculdade apontaram que a falha no cerimonial teve origem na administração do setor acadêmico. O voto do relator foi acompanhado pelos juízes Luís Francisco Franco e Fabio Vieira Heerdt. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RS.

Processo 71007090681

Revista Consultor Jurídico, 17 de fevereiro de 2018, 8h50

Comentários de leitores

1 comentário

Culpa de quem?

Ian Manau (Outros)

Já houve situação há anos, ainda no tempo das lendárias fitas VHS: a empresa contratada para filmar uma cerimônia de formatura, por motivos misteriosos, entregou cópias sem áudio das filmagens. Na época, TODOS acreditaram que foi apenas mero aborrecimento.

Comentários encerrados em 25/02/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.