Consultor Jurídico

Notícias

conteúdo difamatório

TJ-DF proíbe cartilha com "ideologia política" nas escolas

Por 

A 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal determinou, por unanimidade, a proibição de veiculação de cartilha com ideologia política nas escolas de Brasília sob pena de multa de R$ 500 mil. Assim, o colegiado manteve a sentença proferida pela 14ª Vara Cível de Brasília.

A cartilha foi desenvolvida pelo Sindicato dos Professores do DF e o colegiado entendeu que houve campanha de cunho político contra o governador Rodrigo Rollemberg. Na ação analisada, o governador afirmou que estrutura sindical foi utilizada para fabricar e distribuir cartilhas, vídeos e propagandas em TV com conteúdo difamatório à sua imagem.  

O relator, desembargador Sandoval Oliveira, afirmou que não há dúvida que a posição política firmada que o sindicato pretendia ver difundida aos estudantes, dentro das escolas, pelos professores.

“Isso se torna ainda mais preocupante quando constatada aplicação da campanha para crianças com menos de dez anos, que ainda não gozam de discernimento suficiente à crítica de um cenário político. Para elas, compreendidas como “cidadãos em formação”, as informações repassadas em ambiente escolar, no contexto de atividades pedagógicas, pela figura de um educador (que, em regra, goza de sua plena confiança), possuem especial relevância, pois facilmente absorvidas e consolidadas”, disse.

O magistrado afirmou ainda que “mesmo se a campanha tivesse sido difundida entre adolescentes ou jovens, a atitude do sindicato seria, de igual maneira, reprovável, caso mantido o contexto escolar da conduta. Afinal, estaria afastando a escola da noção de debate – espaço para o qual é tão propício – deixando de lado uma importante ferramenta no combate à intolerância e agressividade que se tem notado na seara política atualmente”.

Clique aqui para ler o acórdão.
Apelação 0704060-73.2018.8.07.0001

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 27 de dezembro de 2018, 17h08

Comentários de leitores

2 comentários

Quanta preocupação com a escola

Mazein (Advogado Autônomo - Tributária)

Acho interessante esse "movimento" que supostamente está preocupado com o que acontece nas escolas, mas nunca buscou fomentar a educação no seio da família.
Questiono, ainda, qual o medo que esses "supostos defensores da família" têm dos professores?
Se a família for estruturada e bem instruída não serão os professores que mudarão a forma de pensar dos alunos, independentemente da forma de pensar do professor.
A realidade é que esses "supostos defensores da família" não querem de fato educar seus filhos, pois estão ocupados de mais na frende da TV, mas sim achar uma forma de jogar a culpa pelo insucesso deles em alguém.

Opinião

Professor Edson (Professor)

Na escola o aluno aprende as matérias, o resto ele aprende na vida, e sempre com apoio e aprendizado da família.

Comentários encerrados em 04/01/2019.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.