Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Discriminação inexplicável

Rêmolo Letteriello (Juiz Estadual de 2ª. Instância)

O CONJUR discrimina, não sei porque razão, a magistratura
estadual. No mês de maio deste ano, enviei um artigo para publicação, a respeito da carreira da magistratura e os editores desse site, depois de três meses, simplesmente comunicaram que não publicariam a matéria, sem qualquer explicação para a recusa, numa demonstração de que a eles não interessa saber e muitos menos divulgar o que se passa com os juízes, inclusive FEDERAIS, ativos e aposentados.

E os Analistas e Técnicos judiciários ?

Sandro Xavier (Serventuário)

O que esse juiz não diz é que magistrado mão trabalha sozinho, mas sim com uma equipe de analistas, técnicos e oficiais de justiça.

O que esse juiz também não diz é que o corpo técnico de apoio aos magistrados amargaram 10 anos de arrocho salarial sob Lula/Dilma, com perdas próximas a 60% e rotatividade de 25% dos servidores.

Oculta-se também a informação de que essa associação lutou ferozmente contra a recomposição salarial de técnicos e analistas.

Questiono ao articulista se é bom para o poder judiciário que os servidores de apoio à magistratura sejam relegados a um salário vil e defasado.

Do fundo do coração, não compreendo qual a razão da exarcebada animosidade dos magistrados contra os servidores (que elaboram minuta de sentença, por exemplo) em sede do fundamental direito a receber um salário corrigido pela inflação.

E o pior é que...

Persistente (Outros)

a essa turma, com espírito de casta aristocrática e com essa mentalidade da "farinha pouca, meu pirão primeiro", foi dada a competência de aplicar a Constituição e as leis ao caso concreto...

É de dar arrepios!

Definitivamente, não precisa de mais valorização do que já

Dominique Sander (Advogado Sócio de Escritório)

Definitivamente, não precisa de mais valorização do que já tem. Parece que existe na magistratura, quando atua como classe, uma desconexão com a realidade. Não percebem, por exemplo, quanto é desarrazoado para os padrões brasileiros que o auxílio-moradia de um juiz seja quatro vezes maior que o salário mínimo de um trabalhador. A sociedade não precisa de tanto gasto com o judiciário que, aliás, sequer se mostra eficiente. Recomendo a qualquer juiz que esteja na carreira pelo dinheiro que largue a toga e encare o mercado. Dinheiro público não é pra sustentar luxuosidades.

Acho justo

Kaltss (Procurador Federal)

Acho razoável a recomposição nos moldes como foi feita. Abriram mão de um escárnio pra receber remuneração adequada, em uma mostra de respeito à Constituição, coisa rara no país hoje em dia.
Agora, esse argumento final sobre cargos vagos por falta de profissionais qualificados é uma falácia, e só quem acompanha os concursos sabe que o próprio Judiciário não tem mais interesse em nomeações numericamente elevadas, pelas mais diversas questões.
Minha carreira, por exemplo, tem 520 cargos vagos, mais de 10% de vacância, e mesmo assim não vejo também ninguém se movimentando pra fazer novos concursos.
Menos corporativismo, e mais respeito com o contribuinte, por favor. Ao menos seja honesto nesse papel ridículo de "chefe de sindicato de juízes".

Comentar

Comentários encerrados em 31/12/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.