Consultor Jurídico

Notícias

R$ 925

OAB de Minas Gerais terá reajuste de 23,5% no valor da anuidade em 2019

Por 

A advocacia mineira terá a anuidade paga à OAB reajustada em 23,5% e, a partir de 2019, passará a pagar R$ 925. Desde 2016 o valor estava congelado em R$ 749, o que caracterizava a segunda anuidade mais barata do país.

Valor das anuidades passará de R$ 749 para R$ 925 no próximo ano

A proposta de aumento foi aprovada pelos conselheiros estaduais nesta sexta-feira (7/12), por maioria de 42 votos contra 19.

Ficou estabelecido que advogados inscritos até 2014 pagarão à vista R$ 868, ou R$925, se dividido em dez parcelas. A seccional mineira conta com 109 mil advogados inscritos.

Para o advogado recém inscrito, os descontos são de 5 a 25% com base no ano de inscrição na OAB-MG. No primeiro ano de carreira o valor é R$651,18, e estagiários têm 50% de desconto.

Em nota, a Comissão de Transição explicou que foram usados apenas os índices de inflação acumulada dos últimos 3 anos para definir o novo valor e que, mesmo com a recomposição, a anuidade permanece entre as menores do Brasil.

"O momento não comporta conjecturas e proselitismo, fazendo-se necessárias ações que retratem o compromisso dos atuais e futuros gestores com sua responsabilidade enquanto representantes da advocacia e a realidade da instituição", diz a nota.

Divergência
Em voto divergente, o atual tesoureiro Sérgio Leonardo — que disputou o pleito desse ano, ficando em terceiro lugar —; Gustavo Chalfun, atual secretário-geral; e o conselheiro Egmar Ferraz apontam que a administração da OAB e da Caixa de Assistência ao Advogado deveria ser reformulada.

De acordo com eles, manter a anuidade entre as mais baixas do valor foi uma promessa de campanha da atual gestão e não havia razão para ser alterado. 

No voto, os advogados consideraram também que o percentual de reajuste nas anuidades supera a expectativa de inflação para 2018, que seria de 4,43%, antes da eleição.

"Se havia um compromisso de se manter congelada a anuidade, em decorrência das notórias dificuldades pelas quais os advogados mineiros enfrentam, não há razão agora, para, ao apagar das luzes da gestão, surpreender toda a advocacia com tal aumento", destacaram os advogados.

* Notícia alterada às 18h47, do dia 07/12/2018, para correção de informações.

 é repórter da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 7 de dezembro de 2018, 17h06

Comentários de leitores

2 comentários

Como entender isso ?

Resec (Advogado Autônomo)

A arrecadação é gigantesca e não se justifica. No Estado de São Paulo, salvo engano, se arrecada mais de 200 milhões...

Um absurdo

Geraldo Felipe (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Realmente um aumento abusivo em face a qualidade do serviço prestado, em uma analise do IPCA onde em 2016 se restou em 6,29% em 2017 em 2,95% e em 2018 um valor aproximado de 4,48% então temos uma inflação em 03 anos acumulada de cerca de 13,72% muito abaixo do anunciado em 23,5%, um aumento de 74% acima da inflação acumulada no período. Uma Vergonha

dados da inflação fonte IBGE.

Comentários encerrados em 15/12/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.