Consultor Jurídico

Notícias

Segundos de fama

Inquérito contra advogado detrator de Lewandowski foi aberto, informa Jungmann

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

39 comentários

O IDEÓLOGO (Outros), o "cartorário"...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

...

Doutor eduardo (adv. Autônomo)

O IDEÓLOGO (Outros)

Fui "posudo" com articulista, aqui do Conjur. Utilizei o pensamento de Gianluigi Palombella, professor da Universidade de Pisa, "in" Filosofia do Direito, SP: Martins Fontes, 2005.
Na semana seguinte, novamente, fui "posudo" com o mesmo jurista, apresentei o meu comentário, porém não foi publicado, apesar de ter utilizado o pensamento do referido jurista.
Não tenho discriminação intelectual.

"Enigmático" IDEÓLOGO

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Vá ser "posudo" com Juiz e Promotor.
Vá ser "posudo" com o "egresso" que bate no seu balcão pra assinar o "livrinho".

Respeito e consideração

CGSanromã (Advogado Autônomo - Civil)

Não podemos julgar sem sabermos o que leva um cidadão a manifestar publicamente sua discordância com atitudes funcionais de detentores de cargos públicos relevantes ou não. Se ele pode interpretar ou não também a manifestação de todos (ou quase) aí terá de respeitar a lei. O fato do Ministro Presidente determinar a abertura de inquérito para a devida apuração é insofismável. Isso não quer dizer que está ele condenado, mas que será apurada a existência ou não de crime em sua ação pública, em uma aeronave. E SÓ. Agora, nós que somos advogados e conhecemos um pouco de tudo, podemos ter sinceras dúvidas no comportamento do ministro Gilmar e dele também Ricardo, no habeas corpus que está sendo julgado perante a 2a Turma do STF. É uma afronta ao povo brasileiro. O pedido de vista após dois votos proferidos pelos Ministros Fachim e Carmem Lúcia pelo Gilmar foi deveras perigoso. Se o decano Celso de Melo não comparecer nos dois próximos julgamentos da Turma, os dois votando, empatarão em 2 x 2 o julgamento do habeas corpus e como sabemos, em habeas corpus, o empate é resolvido em favor do réu. Aí, pasmem, lula livre.
É uma violenta trombada em cima da legalidade e moralidade, e se a reação de que trata é em razão dessa atitude de outras tomadas por ambos, deverá ser considerada.

Doutor eduardo

O IDEÓLOGO (Outros)

Você sabe.
A extinção do processo sem resolução do mérito está capitulada no CPC.
Você leu o livro "Recurso Extraordinário e Recurso Especial do professor Rodolfo de Camargo Mancuso?.
Mas, Doutor Eduardo, não é nenhum desdouro. Afinal, existe um provérbio italiano que diz "Perfino i sacerdoti sull'altare commettono errori" (Até os sacerdotes, no altar, praticam enganos).

Corajoso ou criminoso?

Geraldo Affonso (Defensor Público Estadual)

Um advogado que ofende um juiz em uma viagem de avião por não concordar com o seu julgamento comete um ato de coragem? E se a moda pega creio que nenhum juiz poderia viajar tranqüilo, pois o que não faltam são decisões que não agradam. Corajosos são os magistrados que votam de acordo com a sua convicção e não para agradar setores da imprensa e das redes sociais. O advogado que ofendeu o ministro, ou mesmo se ofendesse qualquer outra pessoa, cometeria crime e estaria sujeito às penas previstas em lei. Não foi corajoso, mas criminoso.

Acovardado

Eneida Schiavon (Advogado Assalariado - Civil)

"Nós temos um STF totalmente acovardado" Luiz Inácio Lula da Silva - passando aqui só pra lembrar que, para o STF, chamá-lo de acovardado é nada... Ver Lewandovski fatiar um dispositivo da Constituição, não é nada; ver o STF ter duas réguas, a depender da ideologia de quem o procura, é nada.

desacato?

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

foi consenso neste fórum, quando o STJ julgou que a cidadão não comete desacato quando demonstra insatisfação com o serviço público, mais também não configura desacato quando a injuria é irrogada no calor dos fatos, como soi ocorre com a policiais e parentes de presos nas ruas, e tais julgamentos, em especial o último foram mantidos pelo STF. Assim o ministro atuou contra o que o próprio STF vinha decidindo lembrando o livre A Evolução dos Bichos. Outro ponto sempre comentado pelos ministros do STF é o tal estado policialesco, por que não resolver tal situação na esfera cível? E a última ratio? Muitos criticaram quando a Delegada da PF instaurou IP contra a manifestação em SC, o que difere do caso do ministro?. Agora firma-se a jurisprudência. "criticar o serviço público, ainda que bem prestado não configura crime, salvo se a instituição for o STF". Queria o ministro ou não, o que ele presta é serviço público e está sujeito a critica, mas não estaria se não houvesse dois pesos e duas medidas, pois Lula os chamou de covarde e, ele, ministro tenta de todas as formas ajuda-lo em entrevista, já o advogado, corajoso, diga-se de passagem, vai ser processado.

Sem eira nem beira

Alessandra Firmo de Abreu (Advogado Assalariado)

Estamos vivendo momentos dialeticamente complicados e que são exposto faticamente conforme a conveniência ideológica de cada um. Usa-se a palavra democracia em todos os contextos, menos em sua real acepção. Assaltam o Estado vergonhosamente. Tiram do "cidadão comum" até sua palavra, sua dignidade. STF tenho vergonha de como utiliza e reverbera o poder que possue. (Será que também serei presa!) CONJUR, há muito, observo a forma parcial com que conduz suas matérias, como um colega já se manifestou, vocês não escrevem para tolos!

Nota da Redação - comentário ofensivo Comentário editado

Lógica Cartesiana (Outros)

Comentário ofensivo removido por violar a política do site.

Supremo Acovardado

Joe Tadashi Montenegro Satow (Delegado de Polícia Federal)

O ex-presidente LULA, quando ainda estava em liberdade, afirmou publicamente que o STF era um tribunal acovardado e não houve represálias em decorrência, ao que eu saiba. Como a lei é feita para todos, certamente o Advogado que exerceu a manifestação em questão, não poderá ser indiciado, denunciado e , muito menos condenado.
Ao que me parece , a reação do Ministro, apesar de razoável, não irá prosperar, tendo em vista que todos são iguais perante à lei.
Também gostaria de ressaltar a aparente parcialidade do CONJUR, já muito bem retratada em outros comentários. Cremos que a seriedade do boletim exige um pouco mais de imparcialidade, o que não está ocorrendo ultimamente.

Menos Conjur

Marco (Advogado Autônomo)

Conjur tá parecido com a Folha. Menos por favor

A coragem de um Advogado

Observador.. (Economista)

Professor Modesto Carvalhosa.

Um dos poucos advogados notórios que, em vez de bajular alguém, se lembrou da lei e do colega que foi constrangido.

https://www.youtube.com/watch?v=kN2uvTgrqvw&feature=youtu.be

Conjur pró-PT

AC-RJ (Advogado Autônomo)

Este site está se envolvendo exagerada e absurdamente em uma defesa irracional e intransigente do referido ministro do STF, chegando até expressar ódio e manter uma perseguição pessoal contra o advogado. Chegou até mesmo a publicar uma reportagem afirmando que a "comunidade jurídica" repudiava a manifestação do advogado. Pelos comentários dos leitores, vemos que a afirmação do Conjur é nitidamente falsa.
.
Complementando as contradições do Conjur apontadas nos comentários anteriores, lembro que quando o nosso futuro presidente Jair Bolsonaro sofreu um gravíssimo atentado contra a sua vida, tendo sido vítima de uma facada, este site estranhamente não mostrou nenhuma indignação. Pelo contrário, inacreditavelmente nem sequer se manifestou.

Conjur...

Heleno Jr. (Serventuário)

Esse Conjur... tá na hora de quem escreve por aqui parar de achar que os leitores são tolos.

Data vênia!

Neli (Procurador do Município)

O advogado não cometeu nenhum ilícito. Ter vergonha de algo? Não é ilícito!
Quando Lula disse que o STF era acovardado, todos, sem exceção, se calaram num silêncio obediente !
Lula tinha imunidade para dizer que a nossa Corte era acovardada?
Ser uma pessoa pública tem esse ônus: ser cobrada em qualquer local.
As autoridades deveriam saber que os brasileiros estão cansados de tudo que ocorreu e ocorre nesse paupérrimo país.
Não se pode esquecer que a Constituição Nacional, de 1988, deu cidadania para bandidos comuns e de lá para cá constitucionalizou o aforismo: o crime compensa.
Quando Rui Barbosa disse que o honesto tinha vergonha de ser honesto...falou naquele presente mirando aqui e agora: o honesto tem vergonha de ser honesto.
Por outro lado!
O STF faz um relevante trabalho em prol do Brasil: os julgamentos do Mensalão.
Graças ao STF a limpeza do Brasil, contra os Piratas que fizeram butim no erário, prossegue via Lava-jato.
Então, a Corte deve ser respeitada!
Por outro lado, algumas decisões, como já escrevi aqui no Conjur, nos comentários, são equivocadas.
Interpretar o inciso que deu cidadania para os bandidos comuns ao pé da letra, literalmente, não precisaria ter uma Corte Constitucional.
Bastaria um programa de computador ou um primeiranista de Direito.
O latrocida mata uma pessoa para roubar. O Bandido do Erário mata, indiretamente, milhares de brasileiros, inclusive moralmente.
Aqueles que praticaram ilícito contra a Administração Pública devem ser julgados com o rigor da interpretação constitucional, porque descumpriram princípios fundamentais ali inseridos.
Os piratas do Erário desrespeitaram os princípios da legalidade, da moralidade e até o princípio basilar do Estado de Direito.
Data vênia!

STF - Perdulário

Jeronimo Neves (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

O STF é um órgão perdulário, produz tão pouco, gasta muito, decepciona mais ainda, além de ser composto de pessoas arrogantes sem nenhum sentimento de serviço público, que pode e deve ser extinto e suas atribuições serem absorvidas pelo STJ. Lamentável é assistir a OAB e várias outras instituições aproveitarem o momento para tentarem ser simpáticos ao juiz que, verdadeiramente, se foi importunado, não foi ofendido. Ofensa seria se o advogado tivesse dito que ele praticou uma aberração jurídica para beneficiar Dilma Roussef no processo do Impeachment. Ou não?

Demagogia

Jeová Nunes (Outros)

Não se pode confundir a liberdade de expressão com a demagogia,quando a liberdade de expressão se transforma em instrumento da demagogia.Precisamos de coragem para sairmos desta falácia que tenta de forma grosseira descarregar frustrações pessoais como forma de protesto,quanto a vergonha que o referido cidadão disse sentir ela só vale se contraria sua vontade e deveria ter tido a coragem de subir no palanque durante as eleições.Precisamos de serenidade pois a história sempre se repete os agitadores são os primeiros a fugir,ou se beneficiarem do sistema.

Sejamos Policarpos

Leopoldo Luz (Advogado Autônomo - Civil)

Deixa ver se eu entendi:
Fora o manifestante, todos nós temos orgulho incondicional do STF e de seus membros? Agora com essa reação desmedida, estamos mais orgulhosos ainda?
Eu, particularmente, tenho orgulho do fatiamento do julgamento da ex-presidenta (sic), tenho orgulho do acordo entabulado no STF em 2018 sobre os planos econômicos de 1987 a 1991 que remunerarão os poupadores, em média, em menos do que 20% do valor das condenações, acordo esse vencedor do prêmio Innovare, tenho orgulho da ordem de sobrestamento ad nauseam dos processos em que o autor não aderir a tal acordo, inclusive os já em fase de execução, assim como tenho orgulho das adjetivações recíprocas entre os ministros Gilmar Mendes e Barroso.

O balconista: IDEÓLOGO.

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Eu acertei: trata-se de um funcionário de fórum e uma pessoa amargurada, dependente do serviço público.
Rebelde com advogado/a, mas o verdadeiro perfil é aquele revelado no cotidiano de fóruns criminais: condescendente, cortesia ao extremo, solícito em grau máximo quando o "egresso do sistema" apresenta-se para assinar o "livrinho".
Enfim: um amargurado bem remunerado que direciona as suas mágoas a quem acredita ser inferior, mas certamente bajulador de juiz e promotor, sempre ansioso pelas 19:00 horas, emendas de feriado e pelo recesso forense.
Se de TJ, é daqueles que se assustam só de ouvir falar nas Normas de Serviço da Corregedoria.
Fala mal de advogado e acha normal cópia de sentença ou sentença baseada na cópia de peça processual.
A sua amargura é diluída diariamente nos "nãos" que sente prazer em dizer a advogados/as que encostam o umbigo no balcão da "sua" repartição. Triste.

  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

É necessário se identificar fazendo login no site para poder comentar.
Não tem conta na ConJur? Clique aqui e cadastre-se!