Consultor Jurídico

Controvérsia constitucional

Se provocado, STF deve se manifestar sobre o aborto, diz Rosa ao abrir audiência pública

Retornar ao texto

Comentários de leitores

4 comentários

A Quem interessa a legalização do aborto?

KRocha (Funcionário público)

Hoje, 3/8, assistindo as argumentações na audiência pública no STF, me surpreendi com a quantidade de ONG's INTERNACIONAIS que foram aceitas como debatedoras, pela ministra Weber, EM ASSUNTO ESTRITAMENTE DE CUNHO NACIONAL!!! E me perguntei QUAL O INTERESSE dessas ONG's na legalização do aborto.
A medida que os nomes das ONG's íam sendo citados, pesquisava suas origens e ... EUREKA!!! TODAS ERAM FINANCIADAS POR FUNDAÇÕES QUE FAZEM PARTE DO GRUPO DE BILDBERG, e que têm como objetivo USAR O ABORTO COMO MEDIDA CONTRACEPTIVA PARA CONTROLE POPULACIONAL. Mas, se já recebem financiamento, porque o interesse em legalizá-lo no Brasil e colocá-lo na área da saúde?
Descobri então o motivo: COMO SABEM QUE A SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICA NO BRASIL NÃO SUPORTARÁ A DEMANDA, PRETENDEM GANHAR DINHEIRO COM A CRIAÇÃO DE CLÍNICAS PARTICULARES CONVENIADAS ÀO PODER PÚBLICO PARA REALIZAR O ABORTO E VENDER ORGÃOS E EMBRIÕES, ASSIM COMO FIZERAM EM TODOS OS PAÍSES EM QUE IMPUSERAM A LEGALIZAÇÃO (vide a denúncia nos EUA).
Como dizer às mulheres que elas seriam meras marionetes para o controle populacional causaria aversão maior ào aborto, criou-se, então, a falácia de que se estaria lutando "pelos direitos das mulheres poderem decidir". Mas, QUAIS MULHERES? No Brasil, nascem 4 mulheres para cada homem, logo, a probabilidade de que A CRIANÇA ASSASSINADA NO ABORTO SEJA UMA MULHER É DE 75%.
Não seria isso CRIME DE FEMINICÍDIO PREMEDITADO?

Direito fundamental de matar

Sergio Battilani (Advogado Autônomo)

Além de ser absurdo até o ato de receber como "preceito fundamental" o direito de tirar uma vida indefesa dolosamente e por motivo fútil (fez, assumiu o risco e não quer mais), imagine se no pedido estivessem pleiteando o direito do pai em determinar o aborto independentemente da vontade da mãe?! Ou o feminismo reinante nega até a contribuição do DNA masculino? Ah, me lembrei: DNA também não tem gênero! Kkkk

E tá certo, ué

John Doe (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

O juízo de compatibilidade de qualquer lei com a Constituição é feito pelo Legislativo, quando cria norma, mas também pelo Judiciário - e em último lugar -, mesmo que seja lei penal incriminadora.
.
A procedência ou não dos argumentos que forem utilizados para a tomada de decisão é momento posterior. Mas que cabe, isso cabe.

OK, mas

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

OK, mas que está legislando, isso está e não é de hoje, aliás, alguns dispositivos da Constituição foram totalmente deformados pelo STF, com suas interpretações "do estado democrático de direito e dignidade da pessoa humana"

Comentar

Comentários encerrados em 11/08/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.