Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Requisito básico

Número de aprovados na segunda fase do Exame de Ordem sobe 7%

Subiu o número de aprovados no Exame de Ordem. Na segunda fase do 24º Exame, cujo resultado foi divulgado na última semana, foram aprovados 24% dos 128 mil inscritos, alta de 7% em relação à prova anterior.

O maior índice de aprovação foi da Universidade Federal de Sergipe, que teve 90% dos candidatos aprovados, seguida da Federal Rural do Semiárido do Rio Grande do Norte, com 84%, e da USP Ribeirão Preto, com 81,4%.

Das 30 faculdade de Direito com mais de 20 inscritos no Exame de Ordem, só três são particulares: o Instituto Brasilense de Direito Público (IDP), a PUC do Rio de Janeiro e a PUC de São Paulo. O IDP de Brasília foi a faculdade particular com melhor índice de aprovação do país, 73% dos inscritos. Em Brasília, teve desempenho mais uma vez superior ao da Universidade de Brasília (UnB), uma instituição pública federal.

O estado com maior destaque foi Minas Gerais, com três universidades entre as dez com mais aprovados no exame. A Federal de Minas teve 80,92% (123 aprovados) e a Universidade Federal de Juiz de Fora, com os campi principal e de Governador Valadares, obteve 79,7% e 75% de aprovação, respectivamente.

Veja o ranking:

Universidades Presentes Aprovados Percentual
Universidade Federal de Sergipe - UFS302790%
Universidade Federal Rural do Semi-Árido - UFERSA (Mossoró-RN)252184%
Universidade de São Paulo - USP272281,48%
Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG15212380,92%
Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF (MG)695579,71%
Universidade Federal Fluminense - UFF (Volta Redonda-RJ)332678,79%
Universidade Federal do Ceará - UFC916975,82%
Universidade de São Paulo - USP1068075,47%
Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF (Governador Valadares-MG)362775%
Universidade Federal de Pernambuco - UFPE957174,74%
Universidade Federal do Espírito Santo - UFES705274,29%
Universidade Federal de Lavras - UFLA (MG)503774%
Escola de Direito de Brasília - EDB/IDP523873,08%
Universidade Estadual do Maranhão - UEMA352571,43%
Universidade de Brasília - UnB966769,79%
Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ20614268,79%
Universidade Federal de Alagoas - UFAL573968,42%
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio15410568,18%
Universidade Federal da Bahia - UFBA19613367,86%
Pontifícia Universidade Católica - PUC-SP634266,67%
Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP593966,10%
Universidade Federal do Paraná - UFPR503366%
Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ1389165,94%
Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS1288465,63%
Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN956265,26%
Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC1107164,55%
Universidade Federal Fluminense - UFF1459364,14%
Faculdade Baiana de Direito e Gestão (BA)754864%
Universidade Estadual de Londrina - UEL (PR)1328463,64%
Universidade Federal da Paraíba - UFPB643960,94%

Revista Consultor Jurídico, 24 de abril de 2018, 7h45

Comentários de leitores

7 comentários

Enfim, chegar aos PÍNCAROS DA GLÓRIA!

Rinaldo Araujo Carneiro - Advogado, São Paulo, Capital (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Habitualmente os comentários sobre o Exame de Ordem são azedos, sem dúvida os compreendo, de forma que relevo o azedume.
Mas sinto-me igualmente compelido a rebatê-los, sem muito alongar : Quando o(a) sujeito(a) resolve e decide enveredar por esse fascinante caminho do Direito, já sabe de antemão dessa exigência, da aprovação nesse temível Exame.
Passei "de primeira" ( ! ) aqui em São Paulo ( ! ) e até hoje sinto uma certa satisfação pessoal ao comentar isso com os amigos e colegas de profissão.
"Bem vindo aos píncaros da glória" me disse um deles, nunca mais esqueci...
Com o devido respeito aos juristas e escritores de plantão, o Exame deve permanecer.
E digo ainda mais aos desaprovados: Obtida a aprovação, aumentará sobremaneira sua necessidade de estudo contínuo, de atualização profissional e da prática forense .
O esforço intelectual será ainda maior !
É como dizem: quanto mais alto, maior o tombo.
E ninguém quer cair de lugar algum, menos ainda dos píncaros, dos PÍNCAROS DA GLÓRIA !

He, He, He...

pj.branco (Advogado Autônomo - Civil)

Qualquer matéria sobre a OAB, mesmo que não relacionada ao exame, e vem o Vasco Vasconcelos com o seu "textão "CTRL-C + CTRL-V".

Hilário!

Se não possui argumentos jurídicos, cale-se

VASCO VASCONCELOS -ANALISTA,ESCRITOR E JURISTA (Administrador)

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista. Fiquei feliz e lisonjeado com a notícia (30/11/16) que o Eg. STF por 6X 2 julgou constitucional o Programa Mais Médico. Enquanto OAB, alheia a realidade nacional, fugiu do debate, para não expor o seu pernicioso, famigerado exame caça-níqueis, na qualidade de escritor e jurista, tive a honra de defender no Supremo Tribunal Federal , o Programa Mais Médico, na época como representante da OBB -Ordem dos Bacharéis do Brasil.
FONTE: STF
http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=254399
Representante de entidade de bacharéis defende Mais Médicos
O representante da Associação Ordem dos Bacharéis do Brasil, Vasco Vasconcelos, afirmou hoje (26), em audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF), que o Programa Mais Médicos não feriu nenhum dispositivo constitucional e está cumprindo a “missão de prevenir doenças e salvar vidas”. Na avaliação de Vasconcelos, o programa está em sintonia com as diretrizes da Lei Orgânica da Saúde (Lei 8.080/1990). Ele citou que o artigo 2º dessa norma diz que a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições indispensáveis ao seu pleno exercício, enquanto que o parágrafo 1º aponta que o dever do Estado de garantir a saúde consiste na formulação e execução de políticas econômicas e sociais que visem reduzir riscos de doenças e outros agravos e estabelecer condições que assegurem acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação. Ele sustentou ainda que a medida provisória que criou o Mais Médicos foi “exaustivamente debatida” no Congresso Nacional antes de sua aprovação. (...)

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/05/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.