Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Poder exagerado

Ameaça à democracia não vem das Forças Armadas, mas de corporações, diz Gilmar

“A maior ameaça à democracia no Brasil não vem das Forças Armadas, e sim de corporações, como a polícia, o Ministério Público e agrupamentos de juízes”, afirmou o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. A declaração foi dada no programa Frente a Frente, da Rede Vida.

Itália teve governo de juízes e procuradores e situação só piorou, disse Gilmar Mendes.
Carlos Moura/SCO/STF

O ministro disse que “não foi positivo” o efeito das declarações do comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, e de outros generais na véspera do julgamento pelo STF do pedido de Habeas Corpus preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na ocasião, militares criticaram a impunidade, em manifestações que foram interpretadas como uma ameaça aos ministros.

Porém, Gilmar Mendes apontou que as falas não significam que as Forças Armadas têm desapreço pela democracia. A seu ver, elas contribuíram para a construção na nova república, após a Constituição de 1988. A ameaça agora são “grupamentos de corporações”, avaliou o magistrado.

“O Estado Democrático de Direito tem uma fórmula muito simples: todos estão submetidos à lei. Quando se começa a transformar a lei para o ‘eu acho que’, para se traduzir o sentimento social, a gente rompe com esses critérios. Em alguns momentos, a ameaça à democracia pode vir do Ministério Público”, exemplificou.

Segundo Gilmar, práticas abusivas da operação “lava jato”, como prisões provisórias alongadas sem justificativa ou detenções para forçar delações premiadas criam um efeito negativo no sistema.

“Isso passa a ter um efeito lá embaixo, em todos os locais. Tanto é que agora você tem o ‘Moro do Rio de Janeiro’, o ‘Moro do Pantanal’, o ‘Moro do não sei o diabo’. Vai ter Moro assim, né?”, destacou, referindo ao juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Além disso, o ministro questionou o discurso moralista daqueles que atuam na “lava jato”. Ele citou que o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, e sua mulher recebem dois auxílios-moradia, mesmo morando juntos e tendo imóvel próprio — o que torna o benefício ilegal. E ressaltou que o episódio de Marcelo Miller, ex-procurador da República que é acusado de ter defendido a JBS enquanto ainda estava no Ministério Público Federal, mostra que há corrupção na operação.

Revista Consultor Jurídico, 22 de abril de 2018, 11h11

Comentários de leitores

11 comentários

Ideologo

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

O Senhor Ideólogo disse tudo, assim como o senhor Olho Vivo. Gilmar colabora e muito para o caos que vem se instalando no país, no descrédito do Judiciário, se encontrando com partes do processo, como o Presidente Michel Temer e com o Senador Aécio neves, cujas interceptações telefônicas demonstram que ele possui grande intimidade, assim, como pessoal do RJ, que, segundo a imprensa ele foi padrinho de casamento, mas não se intimidou em conceder HC. Do outro ponto de vista concordo. É preciso chamar MPF, não sei se a PF também, ao cumprimento da lei, um exemplo, foi a tal explanação com power point, um abuso sem dúvida, sem contar os vazamentos seletivos. É preciso reduzir o poder das instituições em nome da paridade de armas, mas também é preciso dar mais efetividade às investigações e por fim aos privilégios de políticos. Seremos uma democracia quando todos formos iguais perante a lei.

Discurso hipócrita que merece repúdio

Silva Cidadão (Outros)

Quem está pondo em risco a democracia, não são aqueles citados pelo Gilmar Mendes, mas o próprio, notabilizado por sua FALTA DE DECORO ao cargo que ocupa, e por sua postura agressiva e desrespeitosa aos demais, inclusive a imprensa, ingredientes suficientes para o fortalecimento do EXTREMISMO.

Cleptocracia e não democracia?

MACUNAÍMA 001 (Outros)

Denominar a cleptocracia macunaíma de democracia é muita má-fé. Um país tão desigual e com uma elite tão safada como a brasileira, jamais poderá ser denominado democrático. É um país tão atrasado que sequer fabrica os tratores que colhem a lavoura local. Somos um país de otários, de bacharéis em direito, do papelório, só isso.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/04/2018.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.