Consultor Jurídico

Notícias

Judicialização da arte

Justiça não pode obrigar Santander a reabrir mostra Queermuseu

Comentários de leitores

11 comentários

Preocupante

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Os responsáveis por esse polêmico evento, no mínimo, praticaram os crimes de incitação e apologia ao crime. No entanto, se formos mais rígidos com os crimes capitulados no Estatuto da Criança e adolescente, outros delitos de maior gravidade foram praticados.
Isso sem falar no principal objetivo dessa mostra: o escarnio, o deboche e a provocação desmedida aos cristãos e heterossexuais.

Direito do consumidor

GFA (Advogado Autônomo - Propriedade Intelectual)

Penso que há fundamento jurídico para compelir o banco à reabertura: a mostra é serviço que o Santander ofereceu ao mercado de consumo (se não havia cobrança de bilheteria era serviço aparentemente gratuito, já que o banco divulga sua marca através desse espaço cultural). Nesse sentido, se divulgou que a exposição iria até outubro, deveria cumprir a oferta (art. 30, CDC) e, em caso de recusa, estar sujeito ao cumprimento forçado da obrigação, nos termos do art. 35, I, do CDC. Imagine alguém que deixou para visitar o espaço apenas em outubro e, depois, foi surpreendido pela decisão unilateral do fornecedor de suspender o serviço. É um consumidor exposto a tal prática abusiva do banco (art. 29, CDC), que poderia exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta. A questão é saber se tais fundamentos foram aduzidos na referida ação popular...

Porque só Jesus?

Roberto Strazzabosco (Advogado Autônomo - Consumidor)

Não sou religioso. Aliás, sou ateu. Mas o cristianismo é uma filosofia de vida, e existem ateus mais cristãos do que católicos, protestantes e outras nominações cristãs. Mas o que me preocupa é que a tal "exposição", além de oportunizar menores terem contato com horrendas depravações sexuais - não há de se chamar as tais imagens ali mostradas como "obras de arte", - atacam Jesus, personificação das citadas religiões. Cristãos não aplaudem a violência, nem para defender seus princípios. Quero ver o tais "artistas" "progressistas (????)" fazerem imagens tais com Maomé, Orixás e Buda, para ficar em três exemplos. Isso não, cov@rdes, não é?

Às vezes, não acredito no que leio...

Persistente (Outros)

Desde quando a eventual necessidade de restringir o acesso a determinado conteúdo por faixa etária SERVE DE DESCULPA para CENSURAR uma expressão artística? Aliás, isso parece muito mais um pretexto dos que sentem vergonha de admitir o que realmente querem: PROIBIR a manifestação daqueles dos quais discorda.

E a "maioria"? Mesmo sem saber se essas pessoas que falaram nesta tal "maioria" tem ou não PROCURAÇÃO para falar no seu nome, indago: QUEM ESTAVA OBRIGANDO A FAMOSA "MAIORIA" A IR A ESSA EXPOSIÇÃO?

Não discuto o valor artístico das peças dessa exposição (que, aliás, não vi), nem a faculdade dessa instituição em mantê-la aberta ou não, MAS VEJO COM MUITA PREOCUPAÇÃO ESSES MORALISTAS DE PLANTÃO QUEREREM ARROGANTEMENTE IMPOR A SUA VISÃO À FORÇA!

Justiça não pode obrigar Santander a reabrir mostra Queermus

José Carlos Silva (Advogado Autônomo)

Parabéns à Dra. Rejane Guimarães. Resumiu muito bem. Agora, esta polêmica só surgiu agora, e pelo que li, a exposição começou em agosto. Quantas crianças e adolescentes viram tais cenas? Como explicar para uma criança que fazer sexo com animais é normal e natural. Como explicar para uma criança ou adolescente católico que a hóstia não pode ser chamada pelo nome que deram nesta exposição? Como explicar para uma criança que ela não é "viada"? Quanto ao comentarista josedelima (administrador) quem é maioria e quem é minoria nesta história? Não ficou claro. Será que a maioria são os apoiadores da exposição tal como estava? Acho meio difícil crer nisso.

Brasil impopular.

josedelima (Administrador)

Somos o único país do mundo, impopular dentro de nós mesmos.
Tudo é motivo de crítica, agora censura. Para onde caminhamos ? Temos que ficar submissos a vontade de minorias ? E a voz da maioria ? Como fica ?

Sim, José, esta é a hora !

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

José Advogado (Outros). Os "direitos democráticos" foram arduamente conquistados e devem ser exercidos com responsabilidade, bem como sempre se deve ter em alta conta os "deveres democráticos". O nobre colega, enquanto Advogado deve bem conhecer os limites dos direitos e e correlatos deveres. Analisando o direito à "liberdade de expressão", não pode concordar com uma exposição aberta a todas as faixas etárias com organização de excursões por escolas para levar crianças e pré-adolescentes para verem os quadros que foram expostos, onde cenas de sexo explícito foram retratadas em pinturas. Uma criança não tem o necessário discernimento nem muito menos maturidade para criticar um quadro onde se retrata uma criança com as palavras "criança viada" escritas no peito. Para início de conversa, deveria haver classificação por faixa etária. Confeccionar hóstias com as palavras "pênis" e "vagina", muito antes de ser "expressão artística" é uma clara agressão à religião católica. Desafio o nobre colega e outros artistas a mostrarem quanto trabalho "artístico" foi dedicado nessas "´produções". Entendido "trabalho artístico" como um conjunto de atos que implicam em reflexão, projeto do que se pretende mostrar e concluir, os meios a serem utilizados e o público a quem vai expor. Quem gosta de samba, vai ver show nos locais apropriados. Quem gosta de música erudita, vai ver concerto nos locais apropriados e assim por diante. Quem gosta de pornografia, vai adquirir revistas, filmes e outros ítens nos locais apropriados, pois a venda não é proibida. O nobre colega, também , enquanto Advogado, nunca questionou as intenções de quem se empenha nesse tipo de "manifestação artística" ?

Desvio

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Sem querer ingressar aqui no mérito da exposição, que a meu ver em uma análise superficial parece ter sido montada a agradar pessoas com alguns distúrbios psiquiátricos, o que chama a atenção no episódio é o protagonismo que vários agentes públicos tentam assumir com o caso, numa tentativa vergonhosa de tentar demonstrar um poder institucional e pessoal que não possuem. Ora, nós temos hoje no Brasil milhares de assassinatos, estupros, casos de latrocínio, frenético consumo de drogas ilícitas e milhares de delitos praticados em função dessa doença social, além de inúmros outros problemas gravíssimos, como o desemprego, o Estado destroçado, a economia no buraco. No entanto, enquanto negligenciam todos esses problemas citados, como se não existissem, esses agentes em busca de projeção junto às massas consomem tempo e recursos com uma exposição de natureza privada, que embora veicule gosto questionável, situa-se no campo da arte, área na qual o Estado não deve intervir. O Estado não pode controlar o gosto dos cidadãos, sendo obrigação de todos os agentes cuidar de seus papeis institucionais.

Esta é a hora!

Persistente (Outros)

Diante dos sinais a cada dia mais perturbadores da deriva fundamentalista, em que, pelo visto, direitistas religiosos QUEREM IMPLANTAR uma DITADURA TEOCRÁTICA, a começar PELA BRUTAL REPRESSÃO À LIVRE MANIFESTAÇÃO ARTÍSTICA, esse é o momento de RESISTIR!

Se permitirmos, essa gente HIDRÓFOBA e LUNÁTICA começará a cercear todos direitos democráticos que foram arduamente conquistados!

Reagir à pseuda arte

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

O encerramento da exposição Queermuseu em Porto Alegre por ato unilateral do Banco Santander demonstrou juízo do Banco. A reação de significativa porção do povo brasileiro foi simplesmente linda. Não vamos aceitar que sob o pretexto de se fazer arte, minorias com viés totalitário venham blasfemar contra Jesus Cristo e contra nossos sentimentos religiosos. Gostaria de ver esses pseudos artistas atentarem contra o sentimento religioso do Islamismo. Jamais o farão porque sabem que a reação será certa e cruel. Então, covardemente enveredam por escandalizar os cristãos, sob a sensação de que não terão reação à suas heresias. Estão enganados. A reação dos cristãos em relação às blasfêmias de Porto Alegre é só o começo. Caso persistam nesses insanos e criminosos atentados à nossa crença, pagarão alto preço. O povo brasileiro não aceita mais ser pautado pelas doutrinas esquerdista ou anarquista.

Culto à arte

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

O culto à arte não pode pretender se impor à maioria da sociedade. Há limites para tudo, mesmo à genialidade, ou à própria ignorância.
Não podemos a pretexto de liberdade fingir que que não há crime contra o sentimento religioso tipificado como “Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso: ...” [Art 208 do Código Penal]
Enfim, errare humanum est, perseverare autem diabolicum - "errar es humano; perseverar en el error es diabólico - errar é humano, perseverar, diabólico.

Comentar

Comentários encerrados em 24/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.