Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Gravações de Joesley

Celso de Mello quer investigação sem sigilo sobre citações a ministros do Supremo

Por 

As citações a ministros do Supremo Tribunal Federal em conversas de diretores da JBS devem ser investigadas sem nenhum tipo de sigilo e com urgência. É opinião de Celso de Mello, decano do STF, que em pronunciamento feito na corte nesta quarta-feira (6/9) apoiou as medidas já anunciadas pela presidente Cármen Lúcia.

Celso de Mello ressaltou que não pode pairar dúvida sobre a respeitabilidade de um ministro. STF

O assuntou começou após serem divulgadas novas gravações entre o empresário Joesley Batista e seu subordinado Ricardo Saud. Eles conversam sobre a possibilidade de contratar José Eduardo Cardozo, que já foi Ministro da Justiça e advogado-geral da União, para se aproximar de ministros do STF.

Nas conversas, não se fala sobre troca de vantagens com os ministros. São citados Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Ricardo Lewandowski. Os empresários afirmam que foram orientados pelo então procurador Marcelo Miller, próximo de Janot na hierarquia da PGR.

Celso de Mello afirmou nesta quarta que sobre ministros do STF não se pode pairar uma dúvida sequer, “por mais tênue que seja”, sobre sua respeitabilidade, integridade moral e profissional, honorabilidade, isenção e imparcialidade.

Para ele, a necessidade de apuração do caso é uma exigência não só de ordem jurídica, mas também de caráter ético. O decano vê risco de, caso a história não seja esclarecida, a corte ser vista negativamente pela sociedade.

“É por isso, eminente ministra Cármen Lúcia, que se impõe repelir qualquer pretensão de tratamento sigiloso da investigação em torno dessa delicadíssima matéria trazida a lume pelo Senhor Procurador-Geral da República, pois, em tema tão sensível como esse, somente a visibilidade plena poderá legitimar, aos olhos dos cidadãos desta República, as conclusões da apuração reclamada”, disse o ministro Celso de Mello.

Clique aqui para ler o pronunciamento do ministro. 

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 6 de setembro de 2017, 15h45

Comentários de leitores

2 comentários

Operação desfocalizar

olhovivo (Outros)

As gravações não afetam em nada o STF. Foi o senhor JANOT que, antes da divulgação, criou essa névoa, ao divulgar que haveria envolvimento de agentes do STF "com foro" com o nítido objetivo rasteiro de tirar o foco do verdadeiro local das falcatruas: a PGR. DoIs membros de sua equipe de confiança, um pegava 50 mil e outro trabalhava para os dois lados e depois debandou para advogar para os açougueiros corruptores. Que sujeiras mais havia na PGR? Esse sujeito, conforme vinha alertando o min. Gilmar Mendes, é um desqualificado para o cargo. Você já não engana ninguém JANOT!

Momento adequado

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Creio que seria o momento ideal para uma pesquisa abrangente, visando elucidar a confiança do povo brasileiro nos ministros do STF, extirpando em definitivo qualquer dúvida.

Comentários encerrados em 14/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.