Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dinheiro retido

Governo publica MP que adia reajuste de parte dos servidores para 2019

Foi publicada nesta terça-feira (31/10), no Diário Oficial da União, a medida provisória que adia de 2018 para 2019 o reajuste salarial dos servidores públicos e altera de 11% para 14% a contribuição previdenciária dos funcionários que ganham acima do teto do INSS. A nova tributação para quem ganha acima de R$ 5,5 mil só incidirá sobre o valor que ultrapassar o limite estipulado.

A medida provisória determina que o aumento passará a valer a partir de 1º de fevereiro de 2018 e detalha que a nova alíquota não será aplicada aos que tiverem ingressado no serviço público até a data da publicação do ato de instituição do regime de previdência complementar.

No caso dos servidores ativos, a nova tributação será limitada aos que forem titulares efetivos dos cargos e tenham optado pelo regime complementar previdenciário. Em relação aos aposentados, todos aqueles que recebem acima do teto sofrerão incidência da nova alíquota, exceto os que sofrerem de doença incapacitante. Nesse caso, os 14% incidirão apenas sobre os benefícios que superem o dobro do limite estabelecido para os benefícios da previdência social.

Renda maior
Sobre o adiamento do reajuste dos servidores públicos para 2018, o ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, explicou, nesta segunda-feira (30/10), que a medida valerá para as categorias do governo federal mais bem remuneradas e que já tinham feito um acordo de reajuste por um período de quatro anos. Com informações da Agência Brasil.

Clique aqui para ver quais categorias serão afetadas.

Revista Consultor Jurídico, 31 de outubro de 2017, 15h16

Comentários de leitores

2 comentários

República dos pulhas e canalhas

Macaco & Papagaio (Outros)

Esse governo é pulha, a septicemia da nação brasileira, na sequência da chapa PT-PMDB.
Além de não enfrentar os outros Poderes e o Ministério Público, esses escroques estão tão afinados com a elite corrupta (não esquecer que o palhaço carequinha Meirelles era até 2016 do Conselheiro de Administração da JBS).
Enfim, estamos ferrados com tantos sacanas safados e covardes, em especial dos que se locupletam e se calam, como as classes descritas pelo comentarista Paulo.
Povo e Estado pútridos!

O governo tem a valentia de um covarde

Paulo R Falcão (Advogado Autônomo - Criminal)

Ministro da Fazenda diz que a população apoia as medidas... só pode ser deboche, escárnio, desprezo pelo servidor, vindo de quem acabou de receber mais de 200 milhões por consultorias.
Por que o Judiciário, o Ministério Público e o Legislativo estão fora desse pacote de maldades, e continuam a receber auxílio moradia sem a comprovação da despesa?
Por que não cortar as absurdas mordomias que incluem o uso de jatos da FAB, garçons, copeiros, carros e motoristas, além de inúmeros penduricalhos que elevam os salários muito acima do teto constitucional?
Por que as Forças Armadas também estão excluídas desse pacote? Por que são armadas? É isso?

Comentários encerrados em 08/11/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.