Consultor Jurídico

Notícias

Mudanças ilegais

Juízes aprovam teses contrárias à aplicação da reforma trabalhista

Comentários de leitores

15 comentários

Independência e Eficiência

Alexandre C.D. Mendonça (Serventuário)

A nossa Constituição possui alguns princípios a serem seguidos:
1) A Dignidade da Pessoa Humana. É digno ser pressionado a fazer um acordo com o qual não concorda? (refiro-me a quaisquer acordos sob pressão - vide validade dos negócios jurídicos do Direito Civil - Lesão / Estado de Necessidade)? Contrato de Adesão é igual a Acordo Individual?

2) A eficiência da administração pública. A razoável duração do processo. É eficiente e razoável que uma pessoa aguardar anos para haver seus créditos, devidamente reconhecidos pelo Poder Judiciário?

3) Reparação dos danos Materiais e Morais proporcionais à lesão sofrida. A lesão sofrida é proporcional ao seu salário e tem diferença por ser office-boy ou diretor da empresa?

Enfim, mais perguntas do que respostas diante dos princípios constitucionais...

País do contra

Julio RHumanos (Administrador)

Infelizmente temos que conviver com essa falta de visão, esse protecionismo sem sentido, essa institucionalização que fica clara nessa matéria e só contribuí com os atrasos desse país. Precisamos (empresas e empregados) de modernização da legislação, que possibilite um avanço e não esse retrocesso que insistem em defender.
Essa reforma foi amplamente discutida, por vários setores, assim como aprovada e sancionada.
Esse protecionismo exagerado que existe no Brasil, só prejudica (empresas e empregados). Com essa reforma muta coisa poderá ser negociada entre as partes e não precisa mais ficar amarrado aos interesses de sindicatos que muito pouco estão preocupados com o trabalhador, e mais em saquear o pouco que o trabalhado ganha.
Essa é minha opinião como "trabalhador" e também como "gestor".

Pelo fim da ignóbil justiça do trabalho!

Drake (Advogado Assalariado - Eleitoral)

Se faltava motivo para exterminar essa âncora que é a Justiça do Trabalho, não falta mais. Que coisa escarniosa! Não há palavras para descrever tamanha desfaçatez.

Farra com o dinheiro público

Rogério galo (Advogado Assalariado - Trabalhista)

Gastança desnecessária do dinheiro público, para expor opiniões político partidárias.

Deviam gastar dos bolsos deles.

Democracia?

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

É isso que chamam de democracia, onde o poder legislativo cria uma lei e alguns membros do judiciário simplesmente afirmam que não irão cumpri-la, meramente porque essa lei contraria seus interesses corporativistas? Se a consideram inconstitucional por que não vão ao STF alegar essa inconstitucionalidade, como em qualquer país minimamente civilizado?

Lavorismo

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Nada como incorporar definitivamente o ‘espírito e a letra’ da Carta del Lavoro, decretada por Benito Mussolini ao implantar o fascismo na Itália, em 1927, que com sua queda em 1943, prisão e execução com sua companheira Clara Petacci em 1945, não sobreviveu, lá é claro [a “Carta”].
SUMA: parafraseando o marqueteiro norte americano – é a ideologia, estúpido! [James Carville – “It's the economy, stupid!” - é a economia, estúpido!] ou seja, somos escravos, da ideologia!

Lavorismo

Rivadávia Rosa (Advogado Autônomo)

Nada como incorporar definitivamente o ‘espírito e a letra’ da Carta del Lavoro, decretada por Benito Mussolini ao implantar o fascismo na Itália, em 1927, que com sua queda em 1943, prisão e execução com sua companheira Clara Petacci em 1945, não sobreviveu, lá é claro [a “Carta”].
SUMA: parafraseando o marqueteiro norte americano – é a ideologia, estúpido! [James Carville – “It's the economy, stupid!” - é a economia, estúpido!] ou seja, somos escravos, da ideologia!

A matilha rosna, mas não morde

Gusto (Advogado Autônomo - Financeiro)

É simplesmente inacreditável o que se passa no Brasil, principalmente com essa matilha de rosnadores, os quais pensam que podem ditar regras e controlar a consciência dos demais Poderes da República. Esses beócios trabalhistas querem continuar ditando os caminhos da ruína que eles mesmos construiram com suas decisões absurdas, inviabilizando o mercado de trabalho e tolhendo os investimentos da classe empresarial, comercial e quejandos. Cabe ao Executivo e ao Legislativo darem a resposta à altura a esses "mamadores" das tetas da sociedade. E ao STF o seu papel para colocar ordem nessa esbórnia constituída por "togados" subrreptícios.

manda quem pode...

Mardegelo (Procurador do Município)

O cumprimento da lei é facultativo. A cogência é apenas para os administrados.
Não vêem que assim perdem toda a credibilidade, e porque não dizer o respeito.
O que distingue estes senhores daqueles, integrantes do PCC?
Diria que é a obediência às leis, mas infelizmente não é. Não sei o que é...

Contradição

Porto (Advogado Associado a Escritório)

Interessante que, quando decidem em favor do trabalhador, fundamentam com o texto legal. Agora o texto legal não vale mais. Birra porque não foram convidados a emitir opinião. A Justiça do Trabalho, com suas decisões, é um dos órgãos que mais encarece os produtos e serviços no Brasil, pois o empregador, com certeza, vai repassar o custo das obrigações para seus clientes. Ruim é nos Estados Unidos, paisinho de terceiro mundo, pobre e onde nada funciona.

manda quem pode...

Mardegelo (Procurador do Município)

O cumprimento da lei é facultativo. A cogência é apenas para os administrados.
Não vêem que assim perdem toda a credibilidade, e porque não dizer o respeito.
O que distingue estes senhores daqueles, integrantes do PCC?
Diria que é a obediência às leis, mas infelizmente não é. Não sei o que é...

STF, a solução

Eloisa Nascimento (Advogado Autônomo - Civil)

Vai obrigar o STF se manifestar, neste momento em que se procura desobstruir os caminhos da justiça e diminuir a pauta dos tribunais superiores.

Democracia é isso

CesarMello (Advogado Sócio de Escritório - Empresarial)

Democracia é isso.
Meia dúzia de não eleitos se reúnem para dizer que não irão cumprir uma Lei Aprovada pelos eleitos pelo povo (por mais reticências que se tenha).
Ainda bem que não passa de um grito de desespero daqueles que sabem que sua utilidade para a sociedade chegou ao fim.
Já disse e repito: A única coisa que resta a ser discutida é o que vamos fazer com aqueles lindos prédios hoje ocupados por uma justiça que parou no tempo?

Tá certo...

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Republicano é mendigar prestação jurisdicional no mercado de acordo chamado audiência de conciliação... A oprtunidade que se tem é na hora do acordo. Sentença não vale nada. Execuções são "favores" que a JT concede ao trabalhador, que não pode exigir nada mais. Justiça do Trabalho, ao lado de Defensoria, é o melhor exemplo de dominação da pobreza em proveito de castas, minorias bem servidas pelo Estado.

Ato perigoso.

Professor Edson (Professor)

É o judiciário declarando guerra contra o legislador, o judiciário do trabalho confundiu independência com anarquia.

Comentar

Comentários encerrados em 18/10/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.