Consultor Jurídico

Realidade nua e crua

Visitar cadeia deveria ser obrigatório para estudante de Direito, diz Freixo

Retornar ao texto

Comentários de leitores

23 comentários

É só não matar, é só não sequestrar, é só não estuprar...

Eududu (Advogado Autônomo)

Concordo que nossos presídios estão muito longe do ideal, muitos dos quais são a visão do inferno, verdadeiras masmorras. Mas daí dizer que, por isso, os presos devem ser soltos e que criminosos não devem ser presos chega a me fazer rir (de nervoso).

O Estado falha em não oferecer presídios ideais e a solução então é soltar os presos e não prender mais ninguém? Ainda bem que esse cara perdeu a eleição. Há problemas mais urgentes e justos para se preocupar.

Também concordo que todos, não só acadêmicos, deveriam conhecer uma prisão. Eu visitei e a lição ficou para sempre: Cumpro as Leis justamente porque não quero jamais ser preso, estar numa situação daquelas, cruzes. Quem conhece cadeia e tem vergonha na cara faz de tudo para ficar longe de lá.

É preciso visitar cadeias não para se compadecer dos presos, mas para que se tenha medo de um dia ir parar lá. É uma forma de educar: "Olha onde vem parar quem faz m...!". Cabral, Cunha e cia, p.ex., estão aprendendo do pior modo. Alguém com peninha deles?

E quem já foi preso devia entender da mesma forma, agir corretamente para não voltar mais para cadeia. O que é melhor, enfrentar as dificuldades da vida e da ressocialização e ou voltar para a cadeia? A escolha é livre.

E como disse um já famoso parlamentar: É só não matar, é só não estuprar, é só não sequestrar, é só não roubar que não vai pra lá, p...!

Inversão de valores

O IDEÓLOGO (Cartorário)

A vítima dos meliantes é sempre esquecida pelo Poder Público, advogados de bandidos, promotores e juízes. Somente o agressor da lei é digno de respeito.
Ao contrário do comentário da intelectual Rejane Guimarães Amarante, o autor de crime de violento não é doente. Esse indivíduo produtor de crimes exerceu parcela de sua liberdade dentro da comunidade organizada. Lembro o filósofo alemão Hegel (1770-1831): "A liberdade, como condição comum a todos os homens, pode ser considerada, portanto, como tendência natural do ser humano para o mal; assim, podemos atribuir-lhe uma natural inclinação para o mal e, desde que haverá de ser sempre culpado consigo mesmo, denominá-lo de mal radical, inato na natureza humana".
O francês Pascal Bruckner (A tentação da inocência, Rio de Janeiro: Rocco, 1997) fala na "Ditadura do Coitadinho". "Coitado do estuprador, que teve uma infância difícil. Coitado do traficante, que não teve condições de estudo... Com pena de tanta gente, estamos construindo um país melhor"...".
Essa piedade com aquele que matou, roubou, estuprou, não é a mesma que se tem com a vítima. É uma de nossas falhas...o sentimentalismo excessivo com aquele que errou (FSP, 26/09/2016, Primavera Municipal, Carlos Augusto Calil, página A3).

O Frouxo Trouxa

Andarilho, o Bravo (Outros)

Marcelo Frouxo, é cadeia, seu piçol-nhento, e não colônia de férias!
Não acredito nesse papo de vítima do sistema, e divididos em rótulos e classes, como os esquerdalhas gostam de frisar, pois quando o cabra tende a ser o que não presta, independe do meio em que vive, seja na favela ou na cobertura, safado é safado!
Prisões desumanas? E a desumanidade praticada por esses presos às suas respectivas vítimas? Quantas mulheres estrupadas e quantos pais vítimas de latrocínio? Ainda acho "frouxo" o atual sistema prisional, pois o que devia existir aqui era a pena de morte e o trabalho forçado para esses desgraçados e vagabundos!
A propósito, Marcelo Frouxo, e o dinheiro da família de Amarildo que você pegou e "esqueceu de devolver?

Realidade!

Neli (Procurador do Município)

O deputado está divorciado da realidade,inclusive educacional.
Ele pensa que todo estudante de direito é classe média,média alta ou rica.
Ele pensa que todo estudante de direito mora na zona sul do Rio.
Deveria verificar a realidade, existem centenas de dezenas de estudantes que vivem numa realidade adversa e lutam para serem alguém na vida.
E cumprem as normas legais, inclusive a Penal.
Ademais, ser pobre não é sinônimo de criminoso.
E por fim, se alguém está há 15,20 anos na prisão é porque cometeu algum crime grave, ex. latrocínio .
E que deve ser segregado da sociedade.

Um crítico de plantão

Joe Tadashi Montenegro Satow (Delegado de Polícia Federal)

Realmente, devo estar muito mal informado. Sou policial há 26 anos e nunca vi o deputado FREIXO em defesa de policiais ou da Polícia, em geral, mas pode ter acontecido. Em rápida consulta com alguns colegas, a afirmativa foi a mesma. Nenhum dos consultados presenciou ou soube de ações de FREIXO a favor das instituições de segurança ou de policiais. Creio que ação do deputado em defesa dos direitos humanos dos policiais é ínfima, quando comparada com a defesa daqueles que cometem crimes, que propagam a violência e desrespeitam a lei. De qualquer forma, a população deu uma dura resposta ao então candidato à prefeitura da cidade, indicando que suas idéias não têm legitimidade, mesmo quando enfrenta um oponente medíocre, como foi o caso de Crivella.

Para os Críticos de Plantão

Pedro Onofre (Advogado Autônomo - Propriedade Intelectual)

Ninguém melhor que o Freixo poderia falar sobre isso, ele teve um irmão assassinado e mesmo assim não levantou bandeira de discurso pobre, raso e vil.

Pelo contrário, como a sabedoria que lhe compete, procurou observar quais foram as razões que cominaram no assassinato de seu irmão, e não só dele, de tantos outros que foram assassinados.

Ele lidera a equipe de direitos humanos que prestam auxílio às famílias de policiais vítimas do crime.

Portanto, vejo muita gente jogando e jogando palavras mas sem qualquer fundamentação, virou costume isso em nossa sociedade, sabe por que? porque é de leitura simples, rápida e rasa, tudo que precisamos em tempos líquidos.

Me dá uma tristeza enorme observar os "juristas" comentaristas do conjur, com tantas razões despidas que quaisquer fundamentação.

Antes de falar procure se informar!

De cabeça para baixo

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

Eles visitam vêm capitar clientes para os núcleos jurídicos, o Freixo como sempre mal informado. Aqui já aprendem a mentir colocam de plano nas petições que o preso foi obrigado a mentir. Fui conversar com a coordenadora e ela veio com duas pedras, que era direito sagrado, que eu estava interferindo, que representaria na corregedoria, a que eu disse: doutora só queria avisar que este que a senhora mandou assinalar que foi forçado a confessar exerceu o direito ao silêncio. Os alunos riram. E vou falar que, como bons brasileiros pouco se importam com a desgraça alheia, entram e saem no piloto automático, não tem ideia de quem ou porque estão pleiteando liberdade, só querem a nota e pronto.

Para os Críticos de Plantão

Pedro Onofre (Advogado Autônomo - Propriedade Intelectual)

Ninguém melhor que o Freixo poderia falar sobre isso, ele teve um irmão assassinado e mesmo assim não levantou bandeira de discurso pobre, raso e vil.

Pelo contrário, como a sabedoria que lhe compete, procurou observar quais foram as razões que cominaram no assassinato de seu irmão, e não só dele, de tantos outros que foram assassinados.

Ele lidera a equipe de direitos humanos que prestam auxílio às famílias de policiais vítimas do crime.

Portanto, vejo muita gente jogando e jogando palavras mas sem qualquer fundamentação, virou costume isso em nossa sociedade, sabe por que? porque é de leitura simples, rápida e rasa, tudo que precisamos em tempos líquidos.

Me dá uma tristeza enorme observar os "juristas" comentaristas do conjur, com tantas razões despidas que quaisquer fundamentação.

Antes de falar procure se informar!

A "manchete" do Conjur, mais uma vez, é risível

Thiago Bandeira (Funcionário público)

REALIDADE NUA E CRUA. Realidade?
Freixo só vê "luta de classes" e acha que o bandido é um "revolucionário mal direcionado".

E Valois bebe da mesma fonte. Esse diz que os juízes são alienados, e que "Essa alienação, somada ao fato de que o Judiciário é desproporcionalmente branco (...), faz com que o punitivismo tenha hegemonia nesse Poder."

Realidade... faça-me rir....

Todo deputado deveria...

Neli (Procurador do Município)

Todo deputado deveria: visitar as famílias das vítimas dos malfeitores comuns.
As famílias têm alma, têm sangue.
Todo deputado deveria ler, como li nesta semana, um latrocínio, onde, os malfeitores mataram um homem desarmado, que deixou órfã uma criança de seis anos, que quis dar o seu cofrinho para eles.
Todo deputado deveria visitar uma mulher estuprada por um anormal.
Todo deputado deveria conhecer a realidade, antes de se candidatar.
Agora percebi o motivo pelo qual os cariocas elegeram um religioso para prefeito...
Não basta a Constituição de 1988 ser a única do Universo a dar cidadania para malfeitores que infringem a Lei Penal, agora um deputado quer que estudante de direito sinta cheiro das cadeias?
Estudante tem que conhecer a realidade...Fato que nem deputado ,data vênia, conhece!
E a vítima, excelência, quem sentirá a dor de sua alma?!?!?!
Pela redução do número de senador; pela redução do número de deputados federais, estaduais, e de vereadores: democracia não se faz com inflação de políticos.
Cláusula de barreira partidária, já.
Chega de metástase.
E a Constituição de 1988, a Jabuticaba, que deu cidadania para bandidos comuns e desde então, implicitamente, ali consta: desrespeite a Norma Penal que compensa.
Ah, ser pobre não é sinônimo de bandido, excelência.
Se fosse, não haveria crimes contra a Administração Pública ,os latrocidas do erário!

A vida em Nárnia

FFHP (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Este sujeito vive uma realidade paralela só pode. Quando ele vai entender que bandido não é vítima? Alguma vez ele lutou pelas vítimas desse mesmo infeliz que foi preso? Qual é o direito delas? A sugestão dele é realmente condenar somente se o sistema prisional for ideal. A vida não é justa amigo e as pessoas são livres para fazer suas escolhas. A cadeia é para punir e a pena deveria servir para desestimular o crime. Que tal se ao invés dessas pautas ridículas você enquanto deputado gastasse toda essa energia para melhorar o sistema prisional e quem sabe colocar o preso para trabalhar dentro da prisão, aprender um ofício que lhe seja útil ao sair, ao invés de ficar ocioso pensando em bobagem? Esta pauta atenderia muito mais aos anseios da sociedade e do próprio preso. Típico da esquerda querer doutrinar os outros e impor obrigações que fogem às escolhas pessoais. Patético.

peninha leva pra casa

Bruno Campelo (Administrador)

eu estou estudando direito e não me vejo na área criminal como juíz , mas não to nem ai se a prisao é ruim ou bonita ele tem que ser condenado ao maximo que a legislação permite e se depende se de mim ainda teria que trabalhar exaustivamente para pagar a comida que come na cadeia e em caso de rebeliao só se a familia dele comprar um colchão novo senão dormiria no chão.

Se é pra dar pitaco...

Prætor (Outros)

Também dou o meu: acho que todo legislador deveria ir a pelo menos alguns enterros de vítimas destes que estão, felizmente, presos por seus crimes. E também visitar outras vítimas em hospitais e centros de reabilitação. Faria um bem danado na hora de rever as penas ridículas previstas na legislação brasileira.

Não é sem razão que perdeu a eleição

Joe Tadashi Montenegro Satow (Delegado de Polícia Federal)

A visão que todo o criminoso é vítima da sociedade, além de enganosa, trouxe diversos tipos de consequências que estamos sofrendo diariamente em nossas ruas. A proposta apresentada pelo deputado que, recentemente foi derrotado nas urnas por um adversário medíocre, traduz em muito a legitimidade de suas idéias que somente serviram para aumentar a criminalidade, a impunidade e a manter a situação como está. Não resta dúvida que as cadeias são desumanas, mas a simples visitação com propósitos demagógicos ou eleitorais, sem uma racionalização da questão penitenciária não irá ajudar. É o mesmo que mandar os estudantes visitar as vítimas aleijadas em razão da violência, ou os familiares de pessoas assassinadas por criminosos. No fundo, me parece muito mais um caso de promoção político partidária do que uma proposta que venha favorecer os rumos da sociedade. Precisamos de propostas honestas, de políticos honestos e de menos demagogia.

Não passam de ditadores...

Gabriel da Silva Merlin (Advogado Autônomo)

Essa turma do PSOL de liberdade só no nome mesmo para enganar os incautos, porque não passam de um bando de ditadores que querem obrigar todas as pessoas a serem e agirem da maneira que eles acham correto.

Esse Marcelo Freixo mesmo deve pensar que é o Jesus Cristo na terra com a missão de salvar a humanidade de si mesma para achar que tem alguma moral para dizer o que os outros devem fazer ou deixar de fazer.

E como já disseram em comentários anteriores, ir visitar as vitimas desses criminosos ai o nosso ditador e inimigo das liberdades individuais Marcelo Freixo não quer...

hmm

PHGS (Administrador)

o freixo é aquele cara rico que vive no leblon?

Mais gente a ir ver presídio

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Sugiro que também devessem visitar presídios as autoridades do Poder Executivo Estadual e Federal.
Quantos presos condenados pela Justiça Federal cumprem pena em presídios federais?
Passei mais de uma década lutando para que o Poder Executivo do meu Estado construísse um presídio novo para a Comarca onde eu atuava (lá, existe o presídio mais antigo do Estado, construído mais de 200 anos atrás, e não é força de expressão). Não conseguimos mais do que promessas (que eram só verbais, não escritas, talvez para dificultar a cobranças posteriores) e tentativas, do Poder Executivo do Estado, de transferir responsabilidades.
É sempre bom lembrar: quem tem "a chave do cofre" é o Poder Executivo.

Uma opção melhor

César127 (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Visitar cemitério e família pranteadas, que choram a dor infinita de ter um dos seus assassinado!

Código Penal = Finalidade

War (Outros)

Entendo que o legislador criou o Código Penal para tutelar os bens jurídicos relevantes, como por exemplo: a vida, o patrimônio, a honra, a liberdade. Para inibir que esses direitos sejam violados por terceiros, foram previstas penas para o caso de violação desses direitos. No mundo todo é assim, pena privativa de liberdade para crimes mais graves. Não vejo manifestações de solidariedade para familiares de vítimas da violência urbana nos velórios, não vejo defenderem visitas nos centros de reabilitações de policiais baleados em serviço, não vejo fazerem vaquinha para pagar os estudos dos órfãos de latrocínio. Enfim, parece que a finalidade do Código Penal foi esquecida, ele serve para proteger o cidadão que só que estudar, trabalhar e voltar em segurança para sua família no final do dia.
Ps: Cadeia no Brasil tem a mesma qualidade que a escola e o hospital público.

Pior de tudo...

Palpiteiro da web (Investigador)

O pior de tudo, é que esse Freixo é muito bem pago com dinheiro público para falar asneiras. Que falta de propósito!

Comentar

Comentários encerrados em 6/04/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.