Consultor Jurídico

Normas sem efeito

Direito Penal ineficiente tornou Brasil um "país de ricos delinquentes", diz Barroso

Retornar ao texto

Comentários de leitores

5 comentários

É isso!

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

É Senhor Ministro, mas o judiciário também têm dado sua contribuição para esse status quo, seja por ação ou por omissão.

STF é uma piada

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

O STF virou uma piada de mau gosto e não me refiro ao goleiro Bruno que acredito não matará mais ninguém, mas aos integrantes do crime organizado que vem sendo soltos sem nenhum constrangimento. Será um anova fonte de receita, agora que as empresas e os "grandes financiamentos" estão na mira da sociedade e da Justiça em geral? Gegê do Mangue e agora a quadrilha do Pipoca, especialista no novo cangaço, com inúmeros roubos a bancos perpetrados com tiros de fuzil e granadas, com latrocínios e assassinatos de polícias e clientes de bancos apenas para garantir a fuga, e o Ministro afirma que a gravidade abstrata do crime não indica automaticamente a prisão preventiva. Meses e muito sangue para apresentar a quadrilha que deixou um rastro de terror e sangue, e anote-se, já fugiu, para uma decisão teratológica dessas por tudo por terra.

Quem diz o que quer...

Mário Márcio - MA (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Generalizações do tipo "sem os efeitos negativos de tramitarem na Justiça estadual — a proteção ou perseguição dos políticos conforme a luta local pelo poder" passam longe de um debate franco e efetivamente comprometido com a mudança do nosso lamentável estado de coisas. Se aceitarmos como correta e justa a afirmação de Sua Excelência, não menos acertado seria dizer que ele não ostenta imparcialidade para atuar em um sem número de casos, porquanto alçado à magistratura por um critério que, embora constitucional, por mais de uma vez já se mostrou maléfico! E eu jamais ousaria fazê-lo, pois não sou afeto a generalizações. Nos tempos que correm, como diz o ministro Marco Aurélio, urge que se pense mais antes de falar, sobretudo quando se trata de um integrante da Suprema Corte! Aliás, nesse caso, convém mesmo é calar. Como bem disse Plutarco há séculos, não se pode censurar à natureza por ter nos dados dois ouvidos e uma só boca!

Quem diz o que quer...

Mário Márcio - MA (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Generalizações do tipo "sem os efeitos negativos de tramitarem na Justiça estadual — a proteção ou perseguição dos políticos conforme a luta local pelo poder" passam longe de um debate franco e efetivamente comprometido com a mudança do nosso lamentável estado de coisas. Se aceitarmos como correta e justa a afirmação de Sua Excelência, não menos acertado seria dizer que ele não ostenta imparcialidade para atuar em um sem número de casos, porquanto alçado à magistratura por um critério que, embora constitucional, por mais de uma vez já se mostrou maléfico! E eu jamais ousaria fazê-lo, pois não sou afeto a generalizações. Nos tempos que correm, como diz o ministro Marco Aurélio, urge que se pense mais antes de falar, sobretudo quando se trata de um integrante da Suprema Corte! Aliás, nesse caso, convém mesmo é calar. Como bem disse Plutarco há séculos, não se pode censurar à natureza por ter nos dados dois ouvidos e uma só boca!

Campeão da corrupção

Professor Edson (Professor)

Prender ladrão rico no Brasil virou sinônimo de "punitivismo".

Comentar

Comentários encerrados em 25/03/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.