Consultor Jurídico

Notícias

Pronunciamento oficial

Confissão de Temer prova conversa com delator e conteúdo, diz Rodrigo Janot

Comentários de leitores

6 comentários

Cabe investigação com urgência

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Concordo com o comentário do Dr. Marcos Alves Pintar. Desde o início da Operação Lava Jato, o PGR Janot, embora tenha apurado reais atos ilícitos, vem agindo de maneira incoerente do ponto de vista legal. E suas atitudes mais incisivas demonstram um claro objetivo de destruir determinados setores ou pessoas e favorecer outros. Não se justifica a incoerência no rigor contra determinados empresários, políticos e, até mesmo, ministros do STF, quando o próprio Dr. Janot age da mesma forma. Assim, ao insistir no impedimento do Ministro Gilmar Mendes, quando a filha do PGR Janot advoga para empresas investigadas na Lava Jato. Por outro lado, os irmãos JBS não receberam qualquer punição, mas, ao contrário, lucraram, e muito, com a delação premiada, feita justamente a partir de uma gravação clandestina de conversa com o Presidente da República. Insatisfeito com o curso dos acontecimentos após a divulgação da gravação, vem insistir numa apreciação "sumária" de suposta "confissão". Considero este cidadão muito suspeito. No meu entender, desde o governo Dilma, o GOVERNO do Brasil está sob ataque. Qualquer que seja a pessoa, de qualquer que seja o partido, será sabotada, atacada, exposta, desmoralizada. Considero o Dr. Janot um agente de uma grupo que tem o evidente objetivo de provocar o caos no Brasil. Lastimo que políticos e outras autoridades estejam mais preocupadas em conflitos de interesses e não estejam atentando para o fato de contribuírem para o caos. O País precisa de um mínimo de estabilidade e ordem nas instituições. Isso interessa a todos os partidos e a todas as corporações do Brasil.

PGR está fora de controle

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A atuação do Procurador-Geral da República se mostra assustadora diante do total abandono da legalidade estrita e da distorção dos institutos jurídicos visando atingir, a qualquer custo, a Presidência da República.

Fulminado

Zé Machado (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Fulminado pela própria subjacência! O diabo não é bom amigo.

Protagonismo

Observador.. (Economista)

Interessante todo esse protagonismo.

Não aprendi direito

olhovivo (Outros)

Aquele princípio milenar "quod non est in actis, non est in mundo" foi revogado pelo Janot.

Confissão extra-autos

olhovivo (Outros)

Confissão onde Janot?

Comentar

Comentários encerrados em 3/06/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.