Consultor Jurídico

Ação controlada

Luiz Edson Fachin homologa delação premiada de donos do frigorífico JBS

O ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, já homologou a delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos do frigorífico JBS. A informação foi divulgada nesta quinta-feira (18/5) pelo gabinete do ministro.

A delação foi divulgada na quarta-feira (17/5) pelo jornal O Globo. É nela que Joesley afirma que o presidente Michel Temer o encorajou a comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). É também nela que estão gravações telefônicas em que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparece pedindo suborno ao empresário.

Fachin informou nesta quinta que deferiu pedidos da Procuradoria-Geral da República para afastar Aécio e o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) de seus mandatos para que não interfiram nas investigações. Foram indeferidos pedidos de prisão preventiva feitos pela PGR.

O ministro divulgou que tomou todas as decisões de maneira monocrática e não as submeteu ao Plenário para referendo. A PGR ou a as defesas dos envolvidos podem recorrer para que as decisões de Fachin sejam discutidas pelo Plenário ou pela 2ª Turma do Supremo.

Aécio e Loures não estão proibidos de frequentar o Congresso, mas não podem fazer nada que esteja ligado ao mandato, como participar de votações ou fazer discursos nas Casas.

Fachin informou que ainda há diligências em andamento e só depois de concluídas todas as etapas decidirá sobre o sigilo do processo. Antes disso, disse não poder divulgar nada, nem mesmo suas decisões e despachos.

A irmã e o primo do senador, Andrea Neves e Frederico Pacheco, foram presos nesta quinta-feira (18/5) por suposto envolvimento no esquema de repasses de propina ao parlamentar. Tudo foi autorizado pelo STF. 




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 18 de maio de 2017, 13h42

Comentários de leitores

1 comentário

Só uma pergunta

Eududu (Advogado Autônomo)

Por que o delator foi parar em NY? E se ele se escafeder?

Comentários encerrados em 26/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.