Consultor Jurídico

Notícias

Preconceito de gênero

Ministras são mais interrompidas que ministros, diz Cármen Lúcia em sessão

Comentários de leitores

11 comentários

Vitimismo de quem não tem pulso firme

O Ninfador (Outros)

Sei o porquê da ministra passiva está queixosa: é porque se contentou em ser uma figura decorativa e omissa na suprema corte e depois do leite derramado, não tem mais volta, então ministra, aceite que dói menos!
O Brasil sabe quem é que manda naquele tribunal partidarizado e metido a "legislador"!
Quem manda no "STFarsa" é o "quarteto mágico": Gilmar, Toffoli, Barroso e Lewandowski, e a ministra onde fica nisso? Ela diz amém, amém e amém ao quarteto, aceitando passivamente as estripulias, mazelas e as decisões estapafúrdias dos ministros, principalmente do quarteto!
Numa análise geral, se as mulheres naturalmente são mais tagarelas do que os homens, entende-se o porquê de serem mais interrompidas!

Fatos!!!

Maxuel Moura (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Creio que fatos não se discutem, apenas se ocorreu ou não ocorreu.

Vejo que a ministra se baseou em um estudo que comprovou a ocorrência do fato narrado.

Se a ocorrência de tal fato é decorrente da discriminação de gênero, é outra história, mas vão negar o fato de que são mais interrompidas que os pares masculinos? E por que são mais interrompidas? Qual o motivo?

Sinceramente, se não sabem diferenciar "fato" de "opinião" é inócuo tentar falar sobre discriminação, o nível de conhecimento está aquém para tal.

Homemexplicacão

Letícia França (Servidor)

Não importa o quão inteligente e sucinta você seja, sempre haverá um homem para te interromper, constatar o óbvio explicar minunciosamente aquilo que você dá aula há décadas. Queria eu que fosse apenas o pedantismo e a condescendência arraigada no ego da raça humana,

Feminismo vitimista

Phoenix Naruhodou (Serventuário)

Como ela pode categoricamente afirmar que isso é fruto de preconceito?

Tendo a concordar com um artigo do PCO, que li há muito tempo: quando as mais importantes preocupações de um movimento são questões simplórias como "manterrupting" e "mansplaining", é sinal que ele já não tem mais nenhuma utilidade.

Haja paciência ...

Prætor (Outros)

Com o discurso feminino-vitimista.
Mas na hora de discutir idade para se aposentar, o discurso da igualdade desaparece rapidinho.

Só não ficar...

Neli (Procurador do Município)

No mês passado, numa reunião do Conselho Deliberativo do Santos(sou Conselheira eleita e titular!) estava inscrita para falar, e fui cortada. Na hora do voto, não tive dúvida: falei alto e disse que era um preconceito contra a minha pessoa por ser mulher.E me manifestei sobre o assunto, contra o regulamento, durante uns três minutos. Não se deve abaixar a cabeça...Não sei como é na Augusta Corte(nem vejo julgamento), mas, se for cortada responda,não leve desaforo para casa. Chega de mi mi mi,com a devida vênia.

Visão superficial

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

A "constatação" é mais uma daquelas que se assemelham à situação na qual a criança que cobre o rosto com um cobertor, e imagina estar com o corpo escondido.

Vitimismo

Marco Martins (Outros - Administrativa)

Realmente, é um vitimismo total... os homens sempre reclamando dos direitos das mulheres!

Explicação...

Sã Chopança (Administrador)

Elas são mais interrompidas porque não param de falar.

Nao não

Professor Edson (Professor)

Menos, Daniel, menos.

é cada uma..... vitimismo total.......

daniel (Outros - Administrativa)

as mulheres nascem reclamando e morrem reclamando...... faz parte do biotipo

Comentar

Comentários encerrados em 19/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.