Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Caminhos no Supremo

Assessor de Edson Fachin na "lava jato" segue passos de Moro no mensalão

O julgamento da ação penal 470, o processo do mensalão, pelo Supremo Tribunal Federal, contou com a participação expressiva de um juiz do Paraná, então assessor da ministra Rosa Weber. Tempos depois, de volta à sua vara de origem, em Curitiba, Sergio Moro tornou-se figura conhecida do Judiciário. Agora, quem acompanha a "lava jato" no STF percebe uma movimentação semelhante, de um juiz do mesmo estado: Ricardo Rachid de Oliveira, que assessora o ministro Luiz Edson Fachin.

Há quem atribua a Rachid o uso de teses de cunho mais punitivista, pelas quais Fachin não concedeu Habeas Corpus a réus da "lava jato" presos preventivamente, sendo voto vencido na 2ª Turma do STF. 

Não é só na punição de petistas que a “lava jato” segue os passos do mensalão. É muito provável que, também na “lava jato”, o Paraná deixe traços nos precedentes firmados pelo Supremo Tribunal Federal nos processos relacionados ao caso.

Juiz federal e criminalista respeitado, Rachid é especialista em crimes tributários e financeiros, áreas que povoam as teses centrais da “lava jato”.

Vale lembrar que partiram de Moro, ainda no gabinete de Rosa Weber, algumas teses que viraram precedentes do STF, como a de formação de quadrilha e partes das teses sobre lavagem de dinheiro. 

Revista Consultor Jurídico, 11 de maio de 2017, 17h00

Comentários de leitores

2 comentários

Há um equívoco na notícia!

Neli (Procurador do Município)

Em dado momento diz: “Não é só na punição de petistas que a “lava jato” segue ..." Em nenhum momento, nos últimos anos, percebi que alguém foi "punido" por ser Petista.
Ser petista não é crime!
Eu própria, tirante votos para o Executivo(nunca votei para o ex ) sempre voto para os candidatos do PT.
Ser petista não é crime!
Ninguém foi apenado por ser petista.
Os apenados, tanto no "mensalão" quanto agora, foram porque descumpriram a Lei Penal.
E isso é o que ocorre no Estado de Direito, em qualquer democracia no mundo: descumpriu a lei Penal?
Após o processo legal recebe a pena ...
E mais, diz a reportagem “cunho mais punitivista...”, oras, se alguém descumpre a lei penal, aliás, num abjeto crime de “latrocínio do erário”, um magistrado vai “absolver”?
Relembro que o latrocida comum mata uma pessoa, destrói uma família; já o latrocida do erário mata centenas de pessoas(com a falta de segurança pública /saúde), e destrói a sociedade inteira.
Deus abençoe o Ministro Fachin, seus assessores e toda Augusta Corte.

Boa Escola!

Sã Chopança (Administrador)

Precisamos de mais gente assim.

Comentários encerrados em 19/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.