Consultor Jurídico

Notícias

Provas tardias

TSE desconsidera delações da Odebrecht e mantém Michel Temer na Presidência

Comentários de leitores

6 comentários

Inacreditável

LAV (Outros)

O tribunal, em decisão unânime, determinou a produção de mais provas. Será que foi só para efetivar a troca dos dois ministros? Se determinou a produção da prova devia apreciá-la.

Cartas marcadas

J. Ribeiro (Advogado Autônomo - Empresarial)

Dizem que foi o excesso de provas que absolveu o réu.

Mentiroso...

Flávio Marques (Advogado Autônomo)

...Gilmar só votou a favor porque é a corja com a qual ele compactua que está no poder! Duvido que, se fosse a Dilma que ainda estivesse na presidência, ele teria coragem de absolver! NUNCA! E mais interessante é ele se gabando no primeiro dia de julgamento, falando que graças a ele que o processo continuou; se não fosse por ele, o processo estaria arquivado, etc, etc e mais etc. O que ele fez com o processo? ARQUIVOU! Só quis aparecer mesmo, como sempre e é o que ele faz de melhor, nada mais!

então...

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

É isso que chamam de Estado Democrático de Direito, legalidade, aplicação do Direito, respeito à Constituição etc.
E o povo paga caro por tudo, seja por uma carga tributária absurda sem nenhum retorno, seja com a própria vida.
Conclusão: No caso não há melhores nem piores. Não há culpados nem inocentes. São todos iguais na essência. Dilma Rousseff, Michel Temer, os executivos da construtora Odebrecht, João Santana, Mônica Moura, Napoleão Nunes Maia Filho, Admar Gonzaga, Tarcísio Vieira etc.
Se o MP surpreendeu os poucos ilustres senhores do TSE, "coisa que não deveria fazer por dever de lealdade" processual, imagine-se então a surpresa dos milhões de brasileiros com o resultado do julgamento, coisa que não deveria acontecer por questão de justiça.

Decisão formalista e equivocada.

Augusto C.. (Outros)

Com o devido respeito, mas entendo que nesse caso deveria ter sido melhor analisada a questão relacionada a utilização da prova da delação premiada. Nota-se que não era uma prova existente em momento anterior a propositura da ação e que só foi possível após a devida investigação. Assim, entendo que tal fato deveria ter sido considerado no julgamento.
Nesse sentido segue a a redação do art. 493 do Código de Processo Civil:
Art. 493. Se, depois da propositura da ação, algum fato constitutivo, modificativo ou extintivo do direito influir no julgamento do mérito, caberá ao juiz tomá-lo em consideração, de ofício ou a requerimento da parte, no momento de proferir a decisão.
Portanto, não posso me conformar com a decisão tomada no mais importante julgamento do presente ano, pois pela simples redação do enunciado normativo verifica-se que ela é equivocada.

Tribunal fake.

Professor Edson (Professor)

O tribunal fez de tudo, menos justiça.

Comentar

Comentários encerrados em 17/06/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.