Consultor Jurídico

Notícias

Duas decisões

Condenação criminal não basta para que membro do MP perca seu cargo

Comentários de leitores

6 comentários

Prenúncio da queda

Carlos Afonso Gonçalves da Silva (Delegado de Polícia Estadual)

E muito difícil enxergar um futuro para uma instituição que, sediada em uma República, em um Estado Democrático e De Direito (democrático e de direito aqui entendidos em conjunto e não separadamente) pensa que a lei deve ser aplicada de forma diferente para pessoas diferentes (embora o fato e a norma sejam o mesmo).

Uma pena. Lamentável.

Surreal!

José R (Advogado Autônomo)

Vai ser jurisdicionalmente abusado assim naquele lugar!

Não vão chamar a lava jato e o periculum in moro, não?

Só nos olhos dos outros

Eududu (Advogado Autônomo)

Concordo com o comentário de wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal) e pergunto: se fosse um cidadão comum será que estaria recorrendo ao STJ em liberdade? E onde está aquela legião de "juristas" que defendem a prisão após o julgamento em segunda instância? Cadê os "durões" do MP agora?

Garantias constitucionais, como a presunção de inocência, só para membros do MP e Poder Judiciário.

Isonomia

O IDEÓLOGO (Outros)

É a Isonomia sofrendo as influências da "virada linguística". A decisão do Tribunal da Cidadania, "data venia" não observou a CF e os textos infraconstitucionais. Basta a condenação do servidor público em nível criminal. Agora, falar que é necessária outra decisão mencionando que o ilícito é incompatível com cargo, é desprestigiar as carreiras jurídicas estatais.

As benesses da toga.

wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal)

É paradoxal o posicionamento do STF, STJ, a cada dia, ofertando tratamento isonômico aos seus filiados com a blindagem a mantê-los no cargo a qq custo. Um servidor público, com res iudicata não fica um minuto sequer no exercício dos seus misteres; agora um corrupto, bandido do judiciário, MP e outros.... precisam de um referedum institucional; certamente para continuar lucrando com as burras publicas. Precisamos de um Robin hood.... para nos salvar dessa trupe!

A democracia da toga.

wilhmann (Advogado Assalariado - Criminal)

É paradoxal a posicionamento do STF, STF, a cada dia, ofertando tratamento isonômico aos seus filiados com a blindagem a mantê-los no cargo a qq custo. Um servidor público, com res iudicata não ficar um minuto sequer no exercicio dos seus misteres; agora um corrupto, bandido do judiciário, MP
;

Comentar

Comentários encerrados em 16/06/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.