Consultor Jurídico

Artigos

Opinião

Imbróglio dos passaportes é apenas parte dos problemas estruturais da PF

Comentários de leitores

9 comentários

É tempo de outras reflexões

Esclarecedor ou questionador (Delegado de Polícia Federal)

Juro pra vocês - aqui só me resta jurar, mesmo, embora quem me conheça saiba que minha vida profissional é prova disso - que embora respeite todas as opiniões e, na condição de Delegado de Polícia Federal, nunca, repito nunca, referi que os demais (escrivães, papiloscopistas e agentes) teriam, na verdade, desejo de serem delegados.

Já trabalhei no MPF e no Judiciário como servidor e, qualquer pessoa que me conhece sabe que nunca prestei concurso pra magistratura ou MP, embora respeite muito.

Então acho que uma análise ESTRATÉGICA no âmbito das instituições é sempre proveitosa.

Mas me irrita, demais, ver que para alguns xiitas, basta uma classe dizer sim para a outra sair dizendo não a todo o custo - vide caso das PEC´s 412 e 443.

Costumo a brincar com alguns colegas delegados "é hora de lutarmos pela redução dos nossos salários e para termos menos prerrogativas" pois assim, alguns contrários vão abrir uma campanha pública em sentido contrário.

Bla bla bla fanático dos epas que queriam ser deltas

Macaco & Papagaio (Outros)

O artigo inicia com uma crítica contra um fato atual da Administração da PF. Até aí tudo bem.
Mas, logo, dispara o seu verdadeiro míssil: a insistência de um juízo distorcido da PEC 412 para falsear que a autonomia funcional dos Delegados retira o controle do Ministério Público, chegando ainda à lunática proeza de afirmar que a PF vai-se tornar ´uma espécie de agência autônoma de espionagem´, comparando-a ainda às Forças Armadas.
Ou é muito amadorismo, ingenuidade ... ou veneno destilado de quem é EPA e não DELTA
Tirem suas conclusões...e vejam o resultado dos concursos.

Inverdades

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

O fato da Instituição alcançar a autonomia não afasta o art. 129, da Constituição Federal que determina que o Ministério Público faça o controle externo da polícia, também não afasta o Código de Processo Penal que aponta quais são os crimes de ação penal incondicionada, de forma que o artigo é desprovido de fundamento jurídico, seja pela má fé, seja por falta de conhecimento técnico, embora a articulista se intitule advogada e, olhe que dizem que o exame da Ordem é difícil. Instituição autônomas, como o Judiciário e MP recebem controle dos órgãos de corregedoria e Conselhos e a PF continuaria sobre o controle administrativa, política e operacional do MJ, além de que os atos podem ser revistos e desfeitos em termos orçamentários pelo legislativo em caso de má versação.

Estudar não querem

Jurista Sincero (Advogado Autônomo - Criminal)

Se a tiragem da PF gastasse o tempo do mimimi pra estudar, teriam mais chances de se tornar delegado.

Jeitinho brasileiro

Célio Jacinto (Outros)

É a velha cantilena de querer ser delegado sem ser aprovado em universal e democrático CONCURSO PÚBLICO.
Pior, enfraquecendo a instituição!!!!

Complementação

Esclarecedor ou questionador (Delegado de Polícia Federal)

Sei que serei tido como mais um corporativista mas quis expor meus argumentos quanto a algumas coisas que vem sendo diariamente ditas contra a PEC.

Veja a própria atividade do delegado, dentro do IPL, onde o mesmo é de alguma forma ou de outra, fiscalizado quanto à condução, ao mesmo tempo pelo MP, Judiciário e advogados dos investigados e/ou outros que acessem os autos e possam impetrar, em nome próprio, habeas corpus.

Isso ainda, obviamente, sem considerar a corregedoria, que, com PEC ou sem PEC vai continuar existindo - com óbvia razão - assim como se faz necessário com outras carreiras existentes.

Quanto à própria e simples autonomia na administração dos recursos, a senhora sabe que, para determinadas circunstâncias e operações, o valor das diárias depende de autorização expressa e específica do Ministro da Justiça.

Será que uma vez feito todo um trabalho policial - de que "tamanho", importância ou urgência seja - a possibilidade concreta de ser o mesmo barrado pelo indeferimento das diárias pelo Ministro da Justiça não representa um problema grave em tempos de crises tão expressivas?

Desfazer essa norma, segundo sua interpretação, seria simplesmente dar aos delegados poder para decidir sobre diárias? Será que a situação é tão rasa assim ou a autonomia do órgão poderia evitar, mediante análises estratégicas das quais todos participam, que operações assim possam se esvair ou sair em padrões muito aquém dos adequados?

Acho sinceramente, sem hipocrisia, que todos os policiais têm seu valor pessoal e colaboração a darem, mas temos de deixar de ter bandeiras, de qualquer parte, no sentido de que "se algo é bom para fulano é por que é ruim para mim."

Se nada mais sobrar do meu comentário, que tenha sido, ao fim, pelo menos, respeitoso.

Fiquei com algumas dúvidas, sérias

Esclarecedor ou questionador (Delegado de Polícia Federal)

Prezada Dra:
“Art. 144. ...................................................................
§ 1º Lei Complementar organizará a polícia federal e
prescreverá normas para a sua autonomia funcional e
administrativa e a iniciativa de elaborar sua proposta or-
çamentária dentro dos limites estabelecidos na lei de diretrizes
orçamentárias, com as seguintes funções institucionais:”
Art. 2º Esta Emenda Constitucional entra em vigor na
data de sua publicação."

Eis o tão falado texto da PEC 412/2009 que, com seus devidos e respeitáveis argumentos a senhora critica.

Lhe incomodaria por, gentileza, referir a mim de onde veio a conclusão, da leitura da PEC que a PF deixaria de ser externamente controlada pelo MPF ou subordinada ao Executivo?

Seria possível, também, no explicar de onde vem a conclusão de que os delegados poderão investigar somente o que querem? Pergunto isso porque hoje, com todas as independências e autonomias e garantias do MP mesmo um procurador não pode "determinar", por conta, o arquivamento de um inquérito.

Já se falou - também não sei de onde (!!!) - que até mesmo a PEC teria a absurda e incrível finalidade de permitir aos delegados federais estipularem seus próprios salários.

Com todas as garantias que já têm, o procuradores, juízes e magistrados podem estipular seus próprios salários???

Dizem muito que os delegados estão sendo corporativistas, mas será que esses detalhes não estão sendo deixados para trás nos argumentos contrários à PEC???

Até onde vejo, por fim, a PEC é da Autonomia da Polícia Federal e não autonomia dos Delegados de Polícia Federal bastando para tanto ver a exposição de motivos da PEC que nem menciona o cargo de DPF.

Amizade está rendendo

Realista Professor (Professor Universitário - Criminal)

A amizade da sindicalista dos subalternos da PF com o Conjur está rendendo um bom espaço para ela aqui.
Confira: http://www.fenapef.org.br/diretoria-da-fenapef-participa-do-lancamento-do-anuario-da-justica-brasil/

A realidade e outra

paulo alberto (Administrador)

As forças policiais como o estado brasileiro, e necessário modernizar, a autonomia financeira e necessária, isto nao vai colocar a democracia em risco, o que colocar em risco e o crime organizado, por isso e necessário o fortalecimento das policias judiciarias, neste ponto e necessário ter orçamento.

Comentar

Comentários encerrados em 13/07/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.