Consultor Jurídico

Tema reiterado

Mais da metade das ações protocoladas no STF em 2016 são de Direito Administrativo

Por 

Dos 89.959 processos autuados no Supremo Tribunal Federal em 2016, 54,35% tratam de Direito Administrativo ou outras questões de Direito Público e 30,73% envolvem Direito Processual Civil e do Trabalho. Os números estão no relatório Supremo em Ação, lançado nesta sexta-feira (30/6) pelo Conselho Nacional de Justiça.

Entre outros dados, o CNJ separou, por ramo do Direito, os casos que chegaram ao STF ano passado. De acordo com o documento, o terceiro assunto mais recorrente foi Direito Previdenciário, que representou 20,69% dos processos e, em quarto, ficou o Direito Tributário, equivalente a 19,8% do total.

O estudo, elaborado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ, ressalta que um processo pode ser classificado em mais de um ramo do Direito.

Reprodução: Supremo em Ação

No relatório, também há o levantamento sobre quais são os assuntos específicos que tratam os novos processos. Na primeira posição ficaram casos relativos ao sistema remuneratório e de benefícios no serviço público, responsável por 11,92%. Em segundo e terceiro, estão matérias de Direito Civil relacionados a obrigações em inadimplemento, com 6,17%, e espécies de contratos, com 5,72%.

Reprodução: Supremo em Ação

No âmbito do Direito do Consumidor, os temas mais avaliados pelos juízes da Suprema Corte em processos autuados em 2016 se relacionam a litígios em contratos bancários (2,74%) e indenização por danos morais (2,7%). No Direito Processual Penal, ações de nulidade são as campeãs, com 3,73% e, no Processual Civil e do Trabalho, sobressaem-se os assuntos liquidação, cumprimento e execução, com 4,06%.

Radiografia
O relatório divulgado nesta sexta também apresenta estatísticas da atuação do STF entre 2009 e 2016. Nesse período, tramitaram 723,5 mil processos — acionados por 64,3 mil partes e que resultaram em 842,5 mil decisões. De acordo com o levantamento, o estoque – casos ainda sem solução – caiu de 100,6 mil em 2009 para 57,4 mil em dezembro de 2016.

Em 2016, o STF proferiu 117,4 mil decisões, sendo 95,2 mil terminativas (81%). Em 98,8% dos casos, as decisões terminativas são monocráticas. Apenas 1,2% foi julgado em plenário ou turmas.

O estudo apresenta ainda números relacionados a cada um dos 11 ministros, que podem ser acompanhados na internet e em aplicativo de celular lançado nesta sexta.

O relatório foi elaborado pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias do CNJ. O conselho já calcula anualmente a produção do Judiciário no relatório Justiça em Números, mas o STF não entra no documento.

Clique aqui para ler a íntegra do relatório.

* Texto atualizado às 15h do dia 26/9/2017 para correção.




Topo da página

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 1 de julho de 2017, 9h14

Comentários de leitores

2 comentários

Erro material

Leilson R.C. Lima - Advogado Criminalista (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

Caros, creio que haja erro no seguinte parágrafo: "De acordo com o documento, o terceiro assunto mais recorrente foi Direito Previdenciário, que representou 20,69% dos processos e, em quarto, ficou o Direito Previdenciário, equivalente a 19,8% do total."

Direito previdenciário está sendo mencionado duas vezes, e creio que na segunda deveria ser "Direito Tributário", de acordo com o relatório.

Resposta Nota da redação


Agradecemos pelo aviso!

Culpa deles

cezar rodrigues o estatutario (Bacharel - Administrativa)

Ora ora ora quem é a culpa, se pode se dizer que buscar direitos fazem culpados?
Do próprio STF que julgou inconstitucional a constituição.
Quando a corte entendeu inconstitucional a interpretação do artigo 114 abriu um caminho tortuoso.
Concordar com a Associação dos Magistrados que o agente publico é diferente de trabalhador com as desculpas amarelas la estampadas criou essa migração.
So para lembrar :
Art. 114. Compete à Justiça do Trabalho processar e julgar: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
I as ações oriundas da relação de trabalho, abrangidos os entes de direito público externo e da administração pública direta e indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios;
Bate na porta da vara do trabalho e diz que vc é funcionário publico.

Comentários encerrados em 09/07/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.