Consultor Jurídico

Comentários de leitores

10 comentários

"A Educação pede passagem...!"

Rui Telmo Fontoura Ferreira (Outros)

Prezados Senhores,
Paz e Bem!

01 - Aqueles que não têm nenhum pecado atirem a primeira pedra...!
02 - Realmente, absolutamente e inquestionavelmente, toda a palavra de "Paz e Bem!" incomoda, pois, lamentavelmente, está em desuso e "paga mico" como se diz, na gíria dos corredores das propinas, da corrupção, dos oleodutos, das mentiras midiáticas, colocadas, no pântano, do barulho do mundo;
03 - "O que mais me impressiona nos fracos é que eles precisam de humilhar os outros, para se sentirem fortes." (Ghandi)
04 - Pois, "não podemos exigir que os outros sejam como queremos, pois nem nós somos." (Lao-Tsé)
05 - Com os meus agradecimentos e pesar, triste realidade!
06 - Pois, "não há coisa que mais nos engane do que o nosso juízo." (Leonardo da Vinci)
Cordialmente,
RT

Ora, vamos!

Florencio (Advogado Autônomo)

Nunca vi alguém reclamar em face do Prefeito entregar as chaves da cidade a figuras míticas como Rei Momo ou Papai Noel, embora exista uma parcela da população que não dá crédito a essas figuras. O país é laico! Deus pertence a todos, independente de qual seja a religião. Mesmo contra a fé dos ateus, Deus continua existindo. Ele está sobre todas as coisas. Não penso que irá causar algum mal o fato de se entregar a cidade a Ele. O pior que pode acontecer é que se recuse a aceitar essa responsabilidade...

Falta de limites

Rodrigo Phanardzis Ancora da Luz (Advogado Autônomo - Dano Moral)

Considero mesmo um abuso esses prefeito usarem de atos públicos para fins de aparecerem religiosamente. Se fizessem uma oração mesmo num momento solene, ainda seria tolerável. Porém, usar de um decreto, sinceramente eles só estão a fim de criar polêmica.

Fé, Religião e o desprezo à Lei

Dr. Marco Seixas (Advogado Autônomo - Civil)

Quem tem fé não precisa gritar ou bradar aos quatro cantos do mundo sua convicção pessoal. Quem é religioso não precisa submeter sua crença a quem não comunga das mesmas idéias. Quem respeita as Leis sabe que um Decreto nesse sentido fere o regime republicano e a dignidade das pessoas não cristãs.
O Brasil está caminhando para uma nova idade média, onde crenças religiosas e violência são a base da sociedade.

Cadê Iemanjá?

João pirão (Outro)

Gostaria saber qual seria o comportamento da população média (não quis dizer medíocre) e da mídia se um prefeito entregasse as chaves da cidade para Xangó?
Daqui a a pouco só faltará converter as cidades em califados!

Curiosidade

Daniel André Köhler Berthold (Juiz Estadual de 1ª. Instância)

Quando Prefeitos, em solenidades públicas, entregam as chaves das respectivas cidades a figuras míticas como papai noel ou rei momo, não me lembro de alguém, alguma vez, ter reclamado.

então...

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Salvo engano, tais criaturas acéfalas, agora funcionários públicos municipais, no cargo de prefeito, foram eleitas pelo voto da população. E são denominados como autoridades.
De quem é a culpa? Sem dúvidas, do Zé futebol e da Maria novela.
SÓ DEUS E JESUS NA CAUSA!

Atraso

O IDEÓLOGO (Cartorário)

Um país atrasado, com políticos atrasados, com economia desfalecida e um povinho...

Plágio + assassinato da língua

Pyther (Advogado Autônomo - Administrativa)

Mais alguém percebeu a semelhança dos decretos ? Até no texto faltou originalidade? Inclusive nos erros de português do "sobre"?
Não bastasse o absurdo do decreto.
Realmente nosso país vai mal...

Vacinação obrigatória

Persistente (Outros)

Nesta época de ISIS, malafaias e outras aberrações, estou começando a temer seriamente andar pelas ruas: além dos bandidos, você ainda pode se deparar com fundamentalistas e, quem sabe, até ser MORDIDO por eles.

Pensei em andar com um enforcador para emergências, mas creio que a urgente VACINAÇÃO ANTIRRÁBICA obrigatória dessa turma que quer transformar o país numa teocracia seja uma solução mais eficaz.

O Brasil está regredindo décadas!

Comentar

Comentários encerrados em 11/01/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.