Consultor Jurídico

Comentários de leitores

58 comentários

Será?

preocupante (Delegado de Polícia Estadual)

Se o punitivismo e a política do encarceramento forem as causas do alto índice de criminalidade e de atos como o do Amazonas, como explicar o fato de tanta impunidade de bandidos que praticam crimes hediondos como homicídio, roubo com uso de arma de fogo e tráfico ilícito de entorpecentes? Como explicar o fato de que há mais bandidos soltos com mandados de prisão em aberto por práticas de delitos graves do que os que se encontram encarcerados?
Será que essas autoridades estão falando essas bobagens por não saberem dessa triste realidade, ou porque simplesmente querem apontar um ente abstrato como culpado apenas para dar uma satisfação vazia à sociedade, apesar de saberem que há cerca de 30 anos que os chefes dos executivos estaduais e federal relegaram e continual relegando a questão da segurança pública e do sistema carcerário (que tem relação direta com o primeiro) ao último plano administrativo?

Punição é a solucao para impunidade

Joy Mesias (Outros)

Prisao nao fórmula mágica para enfrentar a criminalidade, é a punição para o crime cometido, sem punição não ha lei que posssa ser respeitada, a impunidade transformou criminalidade num negocio lucrativo e compensador.

Veja o que diz Alexandre Garcia

E. Coelho (Jornalista)

"Número de mortos em chacina em Manaus é apenas a terça parte da média diária no Brasil todo. Se o Estado não consegue resolver a segurança dentro de presídios, imagina fora deles", lembra, Alexandre Garcia.

https://www.facebook.com/mblivre/videos/505755096215305/

O Brasil é uma fábrica de bandidos

E. Coelho (Jornalista)

Achei totalmente apropriado o comentário do jornalista Paulo Eduardo Martins intitulado "O BRASIL é uma FÁBRICA DE BANDIDOS e isso é obra da ESQUERDA". Entenda, veja o vídeo abaixo:

https://www.facebook.com/PauloEduardoOficial/videos/1432101890142370/

Brasil punitivista - Piada

Paulo Siqueira (Auditor Fiscal)

No Brasil se mata num dia o na outra semana está desfilando na rua. Há mas não foi condenado. Dali a 3 meses esta pessoa mata de novo. E assim vai. Quando depois de muito tempo alguém é condenado à pena máxima de 30 anos, cumpre um sexto da pena. Em Porto Alegre e região metropolitana, morrem 20 pessoas num final de semana. Soltem todo mundo, ninguém mais fica preso. Em Porto Alegre os "não delinquentes" já são prisioneiros porque tem que ir de casa ao trabalho e voltar e rezar para não serem violados ou mortos. Sair à noite é uma roleta russa. Mas realmente temos que ter pena de que morre em briga de gangues, o trabalhador normal não merece consideração.

Covardia

EZEQUIEL BERTOLAZO (Advogado Associado a Escritório)

É muita covardia com a população honesta e as vitimas e suas familias a manifestação da Conjur e advogados da mesma laia.

60 × 60.000

E. Coelho (Jornalista)

O Brasil é um país no qual há "comoção, muita teoria e revolta" pela morte de 60 presos e silêncio ante as 60.000 pessoas assassinadas por ano!

"prendem e jogam a chave fora"

Roberto II (Advogado Autônomo)

Prisão: designa o ato de prender ou capturar um chamado "marginal da sociedade" e reencaminhá-lo para bem servir a essa mesma sociedade...
https://pt.wikipedia.org/wiki/Pris%C3%A3o).
Bom dia senhoras e senhores! Bem vindos ao espetáculo de horrores! Ou alguém tem alguma dúvida, que uma hora ou outra isso iria acontecer? E que pode continuar acontecendo? Sabem porque? Prende-se e jogam a chave fora!!! Cadeia não conserta ninguém! Não este tipo de cadeia/prisão que temos em nosso país. Costumo dizer que o Direito na teoria é lindo!! Mas na prática, Deus me livre! Ora senhores, seja qualquer tipo de prisão (temporária, preventiva, em fragrante, qualquer...) se pode prender antes do trânsito em julgado, em 1ª instância ou em última, sabemos todos e não sejamos hipócritas que, quem tem recursos para custear uma boa defesa, dificilmente serão presos, se bem que se caírem no sul, a coisa ficará nebulosa! Vivemos em um Estado centralizador, com ranço do passado, com cheiro de naftalina, onde se custeia do alfinete ao elefante! Certa feita o Ministro Celso de Melo ao responder a determinado ministro da justiça que preferia a morte a ser preso no Brasil, disse caber ao mesmo a gestão dos presídios ( vide http://www.mj.gov.tl/?q=node/459). Não faltam vozes que defendem a ideia de privatização dos presídios ( não sei quais atendem a legislação/ modelo) , mas passou da hora de discutirmos o tema ou deixaremos propagar o extermínio de pessoas, sejam por facções ou uma porta mal trancada ou .....

Prende muito mas prende mal

Leandro Prusch (Engenheiro)

Não é o punitivismo o problema, mas sim o crime que se organiza dentro dos presídios. É tão difícil ver que com cada novo preso estamos alimentando a máquina criminosa? Essa máquina virtualmente impede a ressocialização e obriga o ex-detendo à reincidência. Não temos que parar de prender, mas temos que ter bons presídios.

Mentes brilhantes improdutivas

Valentin (Advogado Sócio de Escritório - Internacional)

Número de mortes de condenados nas prisões–supostos bandidos –é inferior ao massacre constante que a criminalidade impõe à sociedade. E com um agravante: vítimas nos presídios são INDENIZÁVEIS enquanto que a SOCIEDADE DE BEM é massacrada sem maiores preocupações, principalmente de criminalistas como o articulista com seus clientes. Criminalidade nas prisões, apesar de “MENTES BRILHANTES” pensarem de modo diverso, é reflexo da criminalidade sem controle no país todo – e não só nas prisões como casos isolados

E como resolver tal situação

Corradi (Advogado Autônomo - Civil)

(concluindo) ... cospem nos delegados que os prendem, dos PMs que morrem ou ficam na linha de tiro desses marginais, na certeza de que no dia seguinte estão na rua fazendo exatamente a mesma coisa. Roubando, assassinando. estuprando e por aí vai. Se matar é a solução para acabar com a criminalidade, eu não sei. Pelo menos quem assumir praticar crime vai saber, de antemão, que vai ficar no corredor do paredão. Mas enquanto não tivermos isso aqui, a única solução é o encarceramento, que o Judiciário e o Estado terão que cumprir, rigorosamente, para manter vivos aqueles que alimentam os impostos para que as autoridades possam ter seus salários em dia. Bandido não paga imposto. Se bandido puder atuar livremente, o Estado vai ter que dar Carteira de Trabalho e garantir o INSS em caso de "acidente ou aposentadoria", como já quase pode ocorrer com os pequenos delitos, que estão liberados. Então, se bandido não deve ser preso, não deve ficar em cama sem colchão, tem que ter alimentos de primeira enquanto o povo passa fome, todos os que se beneficiam dessa "liberdade" sugerida, deveriam também oferecer uma solução para o fim da criminalidade (ou dos criminosos) e segurança para a sociedade. Só pretender liberdade para bandidos, não dá. Não adianta dizer que é falta de trabalho, falta de moradia digna, falta de apoio do Estado e aqueles conversas fiadas todas que já conhecemos. Bandido é bandido e não adianta oferecer trabalho para ele, porque trabalho cansa. Então, senhores especialistas em sugerir liberdade para criminosos, ofereçam também solução para acabar com a criminalidade e para garantir a segurança da sociedade de bem. Ou insistam, até que pessoalmente ou que um de seus familiares seja vítima de crime violento, daí pensarão melhor a respeito.

Um problema de gestão

Rodrigo Phanardzis Ancora da Luz (Advogado Autônomo - Dano Moral)

A meu ver, o maior problema é de gestão dessas unidades prisionais, o que também se torna prejudicado quando há falta de recursos financeiros e de condições para melhor administrar o serviço. Pois, independentemente do debate interminável sobre o punitivismo estatal e da polêmica questão da "guerra às drogas", o Brasil precisará de penitenciárias bem como de casas de custódia adequadas. De qualquer modo, não nego que muitos problemas do sistema prisional brasileiro seriam amenizados caso ocorressem mudanças nas nossas leis penais e nas políticas públicas capazes de reduzir a super lotação.

E como se resolve a criminalidade?

Corradi (Advogado Autônomo - Civil)

É impressionante a quantidade de teorias aqui sugeridas para facilitar a vida de criminosos. Advogados criminalistas criticam o Estado que prende, não dá colchão, não dá caviar, cerveja e salgadinhos após o futebol. Juízes, colocam reiteradamente bandidos reincidentes na rua porque o Estado não dá cadeia suficiente. As pessoas de bem, que tem seus familiares assassinados por esses mesmos bandidos, muitas vezes ficam também sem poder pagar aluguel, sem poder comprar alimentos, sem ter onde morar enquanto esses marginais protegidos, estão sendo beneficiados por essas teorias insanas. Estão rindo da cara de advogados, de juízes e cuspindo na cara de delegados

Escola de Frankfurt explica

Afonso de Souza (Outros)

É mesmo?? E o que fazer com assassinos cruéis, estupradores, assaltantes, líderes de quadrilha, etc?? Seriam levados ao psicólogo? Quem pagaria?
Juízes pela Democracia (Socialista). Um oximoro, claro.

Não se pune crime no Brasil

Ludwig Von Mises (Advogado Autônomo - Tributária)

Esta matéria do Sr. Marcos de Vasconsellos é o tipo de mentalidade esquerdista que me faz acreditar que o Brasil não irá para frente.

A culpa é do "punitivismo", é isso mesmo?

De acordo com ICPS, o Brasil tem a 34º prisão carcerária do mundo se considerarmos dados com presos por cada 100 mil habitantes, e não os números absolutos divulgados pelo governo petistas. Em números absolutos, é óbvio que o país com 200 milhões de pessoas terá maior número de presos do que um Japão.

Fora isso, somente 08% dos casos de homicídios no Brasil costumam ser solucionados. O sr. Marcos prefere reduzir esse percentual para quanto, 02%? 1%?

Esse texto mostra como os intelectuais brasileiros estão longe da realidade, na sua bolha esquerdista onde fazem de tudo para encaixar sua narrativa.

Marxismo Cultural

Thiago Bandeira (Funcionário público)

Aprendam, quem discorda do Ramiro é um fascista de dois neurônios.

A culpa é dos "direitos humanos"

Roberto Cavalcanti (Advogado Autônomo - Administrativa)

Beleza, eu também não acredito que o encarceramento é a fórmula mágica. Porém, nosso sistema contaminado pela nociva ideologia dos "direitos humanos", além de favorecer a impunidade, não permite penas eficazes na prevenção do crime, como por exemplo "trabalhos forçados", "pena de morte" e "castigos físicos".

caso prático

Servidor estadual (Delegado de Polícia Estadual)

acabo de identificar um simpático desses que vem recebendo os benefícios legais: Idade: 21, anos, ocorrências: receptação em setembro 2014, posto em liberdade; estupro em outubro de 2014, posto em liberdade, lesão corporal em novembro de 2014, posto em liberdade, homicídio na forma tentada em 2015 (não houve flagrante), furto em setembro de 2016, posto em liberdade, identificado como autor de uma série de roubos em agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro de 2016, não houve flagrante.Entre 2015 e 2016 ele passou parte do tempo na Bolívia e parte do tempo em São Paulo, por isso meu sistema (talvez) não registre ocorrências em seu nome. Volto a defender: foi autuado em flagrante deve ser apresentado ao juiz, o promotor deve ofertar a denuncia se existir elementos para isso (oral), a defesa apresenta sua defesa (oral), o promotor deve ter o poder de barganhar a pena, e o juiz de homologar e desde logo sentenciar. Casos como esse o individuo deve mesmo ser segregado e, olhe que esse caso não é dos mais graves.

Vejam como se divertem...

Observador.. (Economista)

Enquanto aqui se gasta linhas mostrando erudição, quem promove crimes acha "engraçado".
Pois percebem como a sociedade fica atônita, confusa e ainda conta com a ajuda de "intelectuais" para confundir ainda mais as coisas.
Sendo que o crime bárbaro e sem compaixão tem uma "mãe"...que é a "mãe de todos os crimes".
Impunidade.
Só isso.Impunidade.
Enquanto não mudarmos, eles, aí da reportagem abaixo, tiram selfie rindo, após massacres...

http://veja.abril.com.br/brasil/o-xerife-do-massacre-em-manaus/

A vítima é a culpada!

Neli (Procurador do Município)

A vítima é a culpada!
Talvez quem considere o Estado brasileiro punitivista, não conheça a "história da violência no País”.
A violência começou a se exacerbar, quando foi editada a lei Fleury que abrandou a execução penal.
Depois, a Lei de Execução Penal dando regalias para os presos e culminou com a Constituição de 1988.
O Constituinte original confundiu preso comum com preso político dando cidadania para aquele. E de lá para cá a violência urbana (ou não) só aumentou!
O estado pode ser punitivista para quem está encastelado na linda e maravilhosa Brasília ou para quem anda cercado de segurança.
Hoje a violência disseminou no Brasil.
Infelizmente, não se pode dizer que existe violência apenas num Estado X ou num local Y.
Há violência urbana, como metástase, está em todo o Brasil.
Lamento as mortes , mas, deveria verificar quem morreu, se havia algum inocente, até para receber maior indenização.
E se deve cobrar dos políticos a melhoria dos presídios.
Onde estavam os intelectuais do direito que se calaram quando os governos anteriores torraram dinheiro público em estádios de futebol, copa do mundo e olimpíadas?
Ah,ideologicamente não era interessante cobrar?
Li, dias atrás, por aí que o Brasil é o vice-campeão mundial em estupros...se pegar um estuprador (se!), deve ser solto? E a vítima? Ela é culpada por nascer mulher e no Brasil?
Mata mais no Brasil do que na Síria ou Iraque: mais de 50 mil mortes por ano. Se for homicídio doloso a punição será apenas para a vítima? O homicida ficará solto?
Em suma, na Jabuticaba's Republic: o estado é punitivista,
ser criminoso compensa e ... a vítima é a culpada!
Data máxima vênia.

Comentar

Comentários encerrados em 11/01/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.