Consultor Jurídico

Notícias

Alvo da "lava jato"

Moreira Franco vira ministro e ganha foro por prerrogativa de função

Comentários de leitores

5 comentários

Moreira franco

O IDEÓLOGO (Outros)

Moreira Franco é o camaleão que começou nas esquerdas, se evaporou e foi buscar a satisfação de sua fisiologia nos governos eleitos. Agora, o Juiz Moro, o gênio da raça, o espera, ansiosamente.

Proteção

O IDEÓLOGO (Outros)

Todos integrantes do Governo Temer precisam de proteção, inclusive o Presidente. E no final? Serão acolhidos em Curitiba, quando dançarão o "Baile da Felicidade?

Conveniência e Seletividade

Weslei Estudante (Estagiário - Criminal)

Ora, agora não é desvio de finalidade?

Na minha opinião o elemento/requisito do ato administrativo ou político, sendo a finalidade pública, pois tal motivação assim foi dada. Ambos os casos, nomeação de Lula pela ex-presidente(a) Dilma quanto do Moreira Franco pelo presidente Temer, são discricionárias e não o tiram da justiça, apenas muda o juiz da causa, por força constitucional.

Entretanto, como o direito “torto” se apresenta agora, em menos de 10 meses. As panelas fazem feijão e os protestos contra “a corrupção” não existem mais.

Portanto, revela-se o direito do AUTOR, digo não só penal e, sim o direito “lato sensu”, pois o FATO continua o mesmo, porém muda-se o AUTOR...temos a “conveniência e seletividade” do direito.

Para quem discorda do meu comentário, basta clicar no link “impediu” acima e verificar quem foi a favor da tese do “desvio de finalidade” e tentarem ler algum comentário dos respectivos operadores do direito nesse mesmo FATO por aqui. Mais do que provado a prática do direito do AUTOR.

http://www.conjur.com.br/2016-mar-18/gilmar-mendes-suspende-nomeacao-lula-casa-civil/c/1

Blindagem de conveniencia. E os errados eram os petralhas?

hammer eduardo (Consultor)

O artigo resume bem o que é uma fácil percepção de quem ainda não esta alienado totalmente , temer nomeou o "gato angorá" Ministro em agradecimento a sua canina fidelidade e de quebra para blinda-lo contra "ventos inconvenientes" originários de Curitiba.
Moreira franco já foi citado varias vezes em vários processos ligados a Lava jato porem ainda não existia uma "formalização" já que a "delação do fim do mundo" ainda não decolou em sua plenitude.
Agindo desta maneira rasteira , temmer se nivelou ( por baixo deixemos claro) com dilmão que nos estertores de seu desgoverno catastrófico lançou mão de uma ultima cartada para salvar o pescoço do apedeuta que QUASE foi preso nomeando-o "ministro" em caráter emergencial , vide aquela lambança que foi gravada e "São Teori" anulou quando dilmão num telefonema para o molusco o avisou que o tal "Bessias" ia levar o papel para ele assinar , os problemas de dislexia deixemos claro , são anteriores a tentativa de nomeação do apedeuta que foi um dos espetáculos mais patéticos de seu ultimo baile da Ilha Fiscal.
Agora dispondo do repugnante "foro privilegiado" , fica mais difícil alcançar o "gato angorá" segundo o saudoso e malandro Leonel Brizola. Moreira agora terá que se esconder ate o final do governo do porteiro do castelo mal assombrado embaixo da saia da conveniência e da covardia publica através deste "golpe de mão" de quem entrou roncando grosso mas que a cada dia que passa se mostra perigosamente próximo do modelito anterior. E segue o baile...

Impunidade

Zeitgeist (Delegado de Polícia Estadual)

Já está mais do que na hora de essa "prerrogativa de foro" ser extinta. Atualmente somente serve para blindar acusados que possuem ligações com poderosos e desacreditar o judiciário.
Faltou coragem ao MPF para incluir o fim da prerrogativa de foro nas 10 medidas contra a corrupção. As polícias federal e civil e os MPs têm que ter o poder de investigar qualquer pessoa suspeita de prática de crime, a prerrogativa de foro é uma das maiores fintes de impunidade atualmente, pois protege, principalmente, os altos mais escalões das instituições.
Está na hora de o MPF, Polícias, OAB, sociedade civil etc., começarem a levantar essa bandeira.

Comentar

Comentários encerrados em 11/02/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.