Consultor Jurídico

Colunas

Senso Incomum

No Brasil, de onde menos se espera... dali mesmo é que não sai nada

Comentários de leitores

  • Página:
  • 1
  • 2

21 comentários

Direito

Paulo Moreira (Advogado Autônomo - Civil)

"Venha para para o curso tal. Os maiores nomes do Direito"...
Nomes em quê? Em usar, e.g, funk ou pagode para tratar de ramos seríssimos, como o Direito Penal? Ou aqueles "pós-doutores" em métodos mnemônicos, que inventaram o "socidivaplus" (fundamentos da CF)?
Como sabido por todos, antes da CRFB/88 o Estado era uma verdadeira "Torre de Babel": o preenchimento de inúmeros cargos era feito "pela janela". Certamente era prejudicial, pois o nepotismo e o "apadrinhamento" (ou "conchavo", como queiram) predominavam e os demais (meros mortais como eu e os comentaristas daqui da Conjur) não concorriam em pé de igualdade.
Contudo, mesmo com todo os disparates, restavam imperiosos a ética, o respeito e... a eficiência -princípio da adm. pública que nem sequer elencava a constituição vigente à época. Claro, em tempos idos, quem saía de qualquer faculdade (não apenas Direito, mas todas) é porque "sabia muito", ao contrário dos tempos atuais. Vale lembrar, igualmente, que as remunerações não eram constituídas por inúmeros "penduricalhos". Sim, uma das poucos privilégios para uma certa "casta", era o "Opalão preto" com motorista.
Logo, é possível comparar, refletir e indagar: em relação ao Direito "lato sensu" melhorou alguma coisa? Na minha humilde opinião (até porque não sou daquela época), não.

Responder

Curso (com) Ênfase

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

Acabo de ouvir "reclame" da Uninove, no rádio.
Curso de Direito, blA bla bla... E enfatiza que, cursando direito na Uninove, o aluno poderá ser advogado OU optar por carreira jurídica. Advogado é despachante?
Se cursar direito na Uninove, pode ser "despachante" OU optar por concurso?
Se cursar Direito (Direito com "D") na USP, na PUC, na UERJ, UFRJ, UNB pode-se optar por ser Advogado (Advogado com "A"), Juiz, Promotor, Procurador... Mas se estudar direito (direito com "d") na Uninove a única possibilidade será o concurso?
Talvez a publicidade esteja mesmo sendo honesta...
Parabéns!
Fundo do poço!

Responder

Sr. Rode, há modelos gratuitos!

Eduardo. Adv. (Advogado Autônomo)

http://www.conjur.com.br/2017-jan-31/turma-recursal-desconstitui-sentenca-copiada-integra-juiza

Responder

Curso Ênfase

Armando do Prado (Professor)

O tal Curso Ênfase em chamadas publicitárias convida advogados para serem "Heróis" do Brasil: Seja um Herói do Brasi: juiz federal ou Procurador...

Razão tinha Sto Agostinho: a justiça é uma 'graça'. Muito engraçado...

Responder

Insisto e repito...

Armando do Prado (Professor)

E pensar que o Brasil perdeu a oportunidade de ter Lênio Streck como ministro do STF, para ter Weber, Carminha, Fux 'Mato no peito', Barbosa, Gilmarzinho Dias, et caterva...

Responder

Parabéns Observador.. (Economista)

Eliakim Seffrin do Carmo (Advogado Associado a Escritório - Civil)

Caro colega, meus parabéns por este lúcido comentário. Precisamos de mais pessoas assim no nosso país.

Responder

Entrevista

Observador.. (Economista)

http://veja.abril.com.br/brasil/o-judiciario-se-acostumou-a-nao-ser-cobrado/

Responder

Barão gaúcho da chatice

Macaco & Papagaio (Outros)

Num país hipócrita, cínico e cansativo, soluções que é bom nada...enquanto isso as reformas da Previdência não atige os barões dessa juristocracia brasileira que vampiriza o Brasil há séculos .

Responder

A saída está na Política

George Rumiatto Santos (Procurador Federal)

Num link com a "questão dos heróis", o problema está no descrédito em relação ao Parlamento.
-
A sociedade precisa entender que não há saída para os problemas da nação que não seja pela Política.
-
Afinal, é o Parlamento o palco próprio para que se discuta e se decida sobre os rumos da Pólis.
-
O que se vê, no entanto, é um Executivo central hipertrófico que legisla por medidas provisórias e executa unilateralmente suas próprias medidas, sem diálogo com a sociedade. E um Judiciário hipertrófico que pretende "corrigir" o Direito posto com decisões assentadas numa moral subjetiva (o tal solipsismo). Ou seja, também legisla nesse vácuo de Poder.
-
Enquanto isso, o Congresso caminha num ritmo bem mais lento, até pela pulverização de ideias própria de uma sociedade plural, diversificada e pouco acostumada à democracia.
-
A corrupção endêmica e a representatividade política marcada deturpada por líderes patrimonialistas não podem servir de argumentos para que se jogue fora a instituição Congresso Nacional.
-
Isso vale, evidentemente, para as ordens jurídicas parciais.
-
Quando percebermos que o país só pode avançar por meio de um consenso que parte de ideias e projetos opostos, aí haverá terreno para o aperfeiçoamento da democracia e do Poder Legislativo.

Responder

Nada com nada

rode (Outros)

Falou nada com nada e ainda tem comentários! Impressionante o que não faz um texto abstrato.
Criticou os cursos de concursos. Bem! Pelo menos ensinam algo. Mas e que tal falar dos inúmeros sites sobre petições prontas? Já viu site de sentenças prontas? Não, né? Então! Quem é quem nesse história?

Responder

Sr. Observador

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Concordo com suas colocações sobre a exposição do tratamento dispensado aos presos "ricos". É o mesmo tratamento que sempre foi dispensado, há muitos anos, para os presos "pobres" e ninguém divulgava como "notícia". A questão das humilhações é muito séria porque não ocorre só nos casos extremos como na Justiça criminal. Nos processos cíveis, sem mais nem menos, juízes e desembargadores fazem comentários sarcásticos às peças processuais e nada acrescentam à questão discutida em juízo. E muitas outras manifestações como elevador privativo, detector de metais, etc. Quando o Dr. Lenio insiste em mudanças na forma de ensino do Direito, muitas vezes penso que a mudança mais urgente é a da formação jurídica. O que devemos entender e aplicar (e reverenciar) como formação jurídica? Li em outro comentário seu que o senhor foi piloto militar. Pois é, estou falando desse tipo de formação, claro, "mutatis mutandi", uma formação com a qual a pessoa assume um compromisso de vida, O militar não é militar só no horário de trabalho. Eu fico talvez um pouco mais indignada do que os outros com a magistratura e o MP atuais, os profissionais que estão no Tribunal e a 1a. instância experiente, porque é a minha geração e a geração anterior era muito mais brilhante, corajosa e competente. Nem precisa falar que eram muito mais justos. Acho que o foco dos professores hoje em dia deve ser mais voltado para a definição de uma "formação jurídica".

Responder

Verdade, mas..

Rafael Sato (Advogado Autônomo - Civil)

Segundo sítio do MPRS: (http://www.mprs.mp.br/imprensa/noticias/id16885.htm?impressao=1) temos a banca examinadora do XLV Concurso para Ingresso à Carreira do MP.

O professor Lênio (leio e sempre acompanho. É muito inteligente e coloca bem as palavras), infelizmente, na oportunidade em que compôs a banca, não a aproveitou.

Veja uma das perguntas:

Assinale com V (verdadeiro) ou F (falso) as afirmações abaixo:
( ) Se a lei Y é revogada pela lei X e esta (a lei X) for declarada inconstitucional, revigora-se a lei
Y.
( ) Se a lei Y, uma vez revigorada, também for inconstitucional, perderá automaticamente a sua
validade.
( ) Uma lei municipal pode ser declarada inconstitucional por intermédio da ação direta de
inconstitucionalidade interventiva.
( ) O efeito ex nunc em sede de ação direta de inconstitucionalidade exige quorum de maioria
absoluta.
( ) Cabe concessão de li minar em ação declaratória de constitucional idade (ADC).
A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é
(A) V - F - V - F - F.
(B) F - F - F - V-V.
(C) V - F - F - F - V.
(D) V-V-V-V-V.
(E)F-F-F-F-F.

Parece familiar, não!

Segue abaixo o link para a prova:
http://www.mprs.mp.br/areas/concursos/arquivos/xlv_promotor_2008/prova_xlv_concurso.pdf

Como mencionado, é fácil escrever, já na prática.....

Responder

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

Observador.. (Economista)

Interessante sua analogia.Um bom filme.
Que surja, de tudo isto, um país melhor.
Quanto ao Eike ser rico, como alguém postou aqui,e por isso gerar "pena", pelo cabelo perdido, discordo; muita gente ficou sabendo das exigências para o corte de cabelo agora .Um pouco antes,talvez, com Sérgio Cabral.
Mas haviam os que sabiam, no tempo da "prisão de pobre" , e tentaram fazer algo.Como demonstrado no artigo, tendo fracassado a tentativa, como está no despacho.Apenas mulheres estão livres disso.Bom para elas.
Não consigo ver esta luta de classes que querem, ainda, manter no país. Rico e pobre. E há muito agente público que, de acordo com certas análises econômicas, pode ser considerado rico, em país de miseráveis e desempregados.
Quanto a prisão ser só para pobre.Tem pobre homicida que responde em liberdade.Nos jornais há vários.Que são presos por outros crimes e a polícia descobre que estão, em liberdade, respondendo por crimes graves. Basta querer procurar.
Humilhação nada tem a ver com cadeia.Quem, julgado, fez algo que deve levá-lo à cadeia, que vá. Mas o desejo de humilhar certas pessoas é claro. E isto tem a ver com ideologia e não com justiça. Tem a ver com comportamento humano, não com justiça.Tem a ver com escolhas, não com justiça.Tem a ver com mídia, corações e mentes, não com justiça.

Responder

Link do Direito & Literatura

Ian Amparo (Outros)

Perdão, professor, mas o link apontado na nota [1] está errado, o site da Unisinos retorna "Página não encontrada".

Responder

Tragicômico

Thiago Bandeira (Funcionário público)

Sei que os fatos aqui relatados pelo Prof. são sérios e trágicos, mas não como não rir da sua ironia. Hoje eu ri muito disso:

"... um olhar intermediário entre os princípios da afetividade e da felicidade como modo de derrotar o direito civil posto indevidamente pelo legislador”

Responder

Excelente

Ruby Falleiro (Estudante de Direito - Criminal)

a pergunta é.. quando isso vai mudar? quando os estudantes de Direito pensarão em outra coisa a não ser um cargo público com um bom salário?
Em nenhum país no mundo o sujeito faz concurso somente para querer ficar rico. Coisas de Pindorama.

Responder

Batman begins

Rejane Guimarães Amarante (Advogado Autônomo - Criminal)

O filme Batman begins mostra de forma artística tudo o que estamos vivendo. Às vezes, é necessário um herói porque a corrupção atingiu todos os níveis de autoridade e os cidadãos não sabem em quem confiar. Até que acordem e se organizem, só alguns heróis vão conseguir criar dificuldade para os bandidos. Disfarçados, é claro, como na ficção. Com relação ao despacho da juíza, como mulher, sinto-me no dever de repudiar. O que a meritíssima fez foi a mesma coisa que os homens faziam há décadas atrás, menosprezar as mulheres de forma generalizada com estereótipos. Naquele tempo, seria chamada de "meretríssima", a meu ver, com muita propriedade. E vamos seguindo na aventura brasileira. Quem sabe teremos um final feliz.

Responder

Rio, que muda o caminho

Professor Edson (Professor)

São 700 mil cabeças raspadas anualmente , agora esperar acontecer isso com um figurão rico pra reclamar do sistema mostra à clara parcialidade, o problema nesse país foi começar a prender rico, 30 anos ensinando que cadeia foi feita pra pobre, 30 anos ensinando que alguém só pode ser preso depois de 1400 recursos protelatórios, e agora né professor? O que vou ensinar!!! Entendo o dilema, todo rio corre para um lado, mudaram o caminho do rio, com isso a turma defensiva parcial não sabe mais como agir, eu entendo, acredite eu entendo.

Responder

Parabéns Professor

Observador.. (Economista)

Mesmo quando divirjo nas idéias, o respeito ao senhor permanece. Pois quando admiramos alguém - de fato - não é necessário a bajulação ou uma concordância permanente.
Eu havia, no dia da prisão do Eike, comentado em outro artigo do Conjur sobre a humilhação do empresário. Como fui piloto militar, histórias da aviação eram comuns em meu meio. Uma delas era sobre o Hanói Hilton. Prisão no Vietnam, durante a guerra, para onde eram levados pilotos americanos abatidos em combate. O único propósito do "Hanói Hilton" era humilhar as forças americanas em geral e os pilotos combatentes em particular. Eram tiradas fotos, eram filmados em situações humilhantes e tudo servia como "propaganda" para atingir corações e mentes do inimigo.
Não mudamos um país mostrando recalque (e há muito nesta história toda) , abusando do poder ou bancando o "boçal e soberano" (como se brinca nas FFAAs), demonstrando apenas as limitações intelectuais de muitos que se acham ungidos por terem passado em concurso. Também fui concursado . E lendo o despacho publicado pelo senhor, justificando o corte de cabelo, só me deixa mais convicto de que ainda estamos muito mal. Muito mal.
Continuando assim, o povo irá escolher um solução "a lá Trump", aqui em Bruzundanga, até por uma questão de curiosidade com o diferente. E talvez seja bom isto. Pois há muita gente acomodada nesta nação, que prega retidão e moral para o outro, nunca olhando para o próprio umbigo.Gente viciada em privilégios, poder, altos salários e na completa ausência de controle social para suas funções.
Nos tornamos um país hipócrita, cínico e cansativo.
Isto foi feito sem ramificação alguma em outros poderes?Empresários e um punhado de políticos se reuniram para saquear e ninguém viu ou ouviu nada?
Acredite quem quiser.

Responder

Links do programa Direito e Literatura

Alexandre W. (Advogado Autônomo)

Prof. esse link do Direito e Literatura está dando como "página não encontrada". Esses links estão funcionando: http://www.unisinos.br/mestrado-e-doutorado/direito/presencial/sao-leopoldo/direito-e-literatura
https://www.youtube.com/playlist?list=PLkdJ9gZlZDoml_-ERGj1M2EOfYTOLAMO6

Responder



  • Página:
  • 1
  • 2

Comentar

Comentários encerrados em 10/02/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.