Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Execução antecipada

Cármen nega pedido da defesa e mantém prisão de Paulo Maluf

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia negou pedido de liberdade do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP). Em decisão desta quinta-feira (21/12), já no plantão, ela manteve decisão o ministro Luiz Edson Fachin de determinar o início do cumprimento da pena do deputado, mesmo sem o trânsito em julgado da condenação.

Maluf foi condenado a sete anos e nove meses de prisão por lavagem de dinheiro. A defesa dele, feita pelo advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, havia impetrado embargos infringentes para tentar levar o caso ao Plenário. O ministro Fachin, relator, negou o pedido e determinou a prisão imediada. Maluf está preso desde quarta-feira (20/12) em São Paulo, mas deve ser transferido para Brasília.

A prisão foi duramente criticada por advogados e juristas ouvidos pela ConJur. O deputado tem 86 anos.

AC 4.373
AP 863

Revista Consultor Jurídico, 21 de dezembro de 2017, 18h19

Comentários de leitores

8 comentários

Parabéns, Ministra.

Neli (Procurador do Município)

Ainda que tardia, Justiça é Justiça.
A justiça deve ser célere para não deixar impune quem errou e não deixar o inocente preocupado.
Ainda que tardia, Justiça é Justiça.
A idade não é impedimento para o cumprimento da pena imposta.
A Constituição Nacional não pode ser um valhacouto para quem tripudiou sobre a Norma Penal.
Parabéns, Ministra pela escorreita r. decisão.
Ainda se deve ter esperança no futuro do Brasil.

acertou

LAV (Outros)

Até que enfim a M. Carmem acertou. Chega de regalias para bandidos de colarinho branco. Parabéns a Fux, Barroso, Rosa e Fachin. Quem tiver pena do crápula que vá se juntar a ele na prisão. Falta agora a devolução do dinheiro

Viva a decisão

Pyther (Advogado Autônomo - Administrativa)

Quiçá este cidadão pudesse cumprir a pena pelo tempo que enrolou a justiça.
"Ah mas ele tem 86 anos"... sim, acaso não fossem manejados inúmeros recursos, legais porem amorais, esse cidadão já estaria preso.
Acasos também,vetustos defensores das liberdades a Interpol igualmente estaria errada?
Meu Deus... esse país nunca irá para frente com esse falso moralismo de nossos colegas que só pensam nos seus honorários à despeito dos milhões mortos todos os dias por corrupção.
E clamam pq corruptos vão para a cadeia e não pq miseráveis passam fome e morrem todos os dias.
Hipócritas.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 29/12/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.