Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Disputa acirrada

Eleição para presidente, vice e corregedor do TJ-SP terá segundo turno

Por  e 

As eleições para os cargos de direção do Tribunal de Justiça de São Paulo terão segundo turno. Em votação na manhã desta quarta-feira (6/12), no Palácio da Justiça, nenhum dos três candidatos à Presidência conseguiu a maioria absoluta de 180 votos necessários para se eleger em primeiro turno.

Pereira Calças ficou como primeiro colocado no primeiro turno da votação.
Jorge Rosenberg

O desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, com 175 votos, e Ademir de Carvalho Benedito, com 93 votos, farão o segundo turno, que terá votação aberta das 13h30 às 15h30. Eros Picelli ficou em terceiro na disputa, com 76 votos. Foram 344 votos válidos, dois brancos e um nulo.

Os primeiros colocados já integram a cúpula da corte: Pereira Calças é corregedor-geral de Justiça, enquanto Ademir Benedito é vice-presidente.

Ademir Benedito recebeu 93 votos no primeiro turno e disputa nova rodada.
Jorge Rosenberg/Anuário da Justiça

Para disputar a Vice-Presidência, vão ao segundo turno os desembargadores Artur Marques da Silva Filho (149 votos) e Renato de Salles Abreu Filho (141 votos). Os três menos votados que disputavam o cargo foram João Carlos Salett (29 votos), Walter da Silva (16 votos) e Carlos Henrique Abrão (7 votos). Foram 342 votos válidos, um branco e um nulo.

Para corregedor-geral da Justiça, farão o segundo turno os desembargadores Fernando Antônio Maia da Cunha (147 votos) e Geraldo Francisco Pinheiro Franco (140 votos). O terceiro candidato, Márcio Orlando Bártoli, recebeu 58 votos. Foram 345 votos válidos, um branco e um nulo.

A Presidência da Seção de Direito Privado também terá segundo turno. Por apenas um voto, Heraldo de Oliveira Silva não alcançou a maioria absoluta necessária. Ele somou 95 votos, contra Gastão Toledo de Campos Melo Filho, que recebeu 84 votos. Foram registrados um voto branco e um nulo.

Desembargadores acompanham apuração no Palácio da Justiça, nesta quarta (6/12).
Klaus Silva Pinto

Até agora, foram definidos o presidente da Seção de Direito Criminal, Fernando Antônio Torres Garcia (74 votos de 78 possíveis); e o presidente da Seção de Direito Público, Getúlio de Evaristo dos Santos Neto (77 votos de 87 possíveis). Ambos foram candidatos únicos ao cargos.

A chapa vencedora para comandar a Escola Paulista da Magistratura é a do desembargador Francisco Loureiro, também única inscrita, que recebeu 347 votos de 379 possíveis.


OS ELEITOS
Presidência da Seção de Direito Criminal
Fernando Antonio Torres Garcia

Presidência da Seção de Direito Público
Getúlio Evaristo dos Santos Neto

Direção da Escola Paulista da Magistratura
Diretoria: Francisco Eduardo Loureiro
Vice-diretoria: Luís Francisco Aguilar Cortez
Conselho consultivo e de programas
Seção de Direito Privado: Tasso Duarte de Melo e Milton Paulo de Carvalho Filho
Seção de Direito Público: Aroldo Mendes Viotti e Eduardo Cortez de Freitas Gouvêa
Seção de Direito Criminal: Francisco José Galvão Bruno e Hermann Herschander
Juiz de entrância final: Gilson Delgado Miranda


SEGUNDO TURNO
Presidência

Ademir de Carvalho Benedito
Manoel de Queiroz Pereira Calças

Vice-Presidência
Artur Marques da Silva Filho
Renato de Salles Abreu Filho

Corregedoria-Geral da Justiça
Geraldo Francisco Pinheiro Franco
Fernando Antonio Maia da Cunha

Presidência da Seção de Direito Privado
Gastão Toledo de Campos Mello Filho
Heraldo de Oliveira Silva

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

 é repórter do Anuário da Justiça.

Revista Consultor Jurídico, 6 de dezembro de 2017, 13h21

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 14/12/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.