Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Disputa pelas bolinhas

Supremo Tribunal Federal reafirma que Sport é o campeão brasileiro de 1987

O campeão do Campeonato Brasileiro de 1987 é o Sport Clube Recife, reafirmou nesta terça-feira (5/12) o Supremo Tribunal Federal. A 1ª Turma da Corte rejeitou de forma unânime os embargos de declaração do Flamengo, que naquele ano venceu um torneio disputado pelos principais clubes, mas que não foi organizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O Flamengo queria, disseram os ministros, dar efeitos infringentes aos embargos declaratórios.

Decisão do STF faz com que Taça das Bolinhas fique com São Paulo. Reprodução 

A disputa jurídica se dá por conta da Taça das Bolinhas, troféu que a CBF estipulou em dar ao primeiro clube que fosse pentacampeão brasileiro ou tricampeão de forma seguida. O Flamengo alega ter chegado ao penta em 1992, contando com o título de 1987. Já o São Paulo clama ser o primeiro pentacampeão atingindo o feito em 2008.

A confusão começou em 1987, quando a CBF organizou um campeonato em dois módulos, que seriam como primeira e segunda divisão do torneio nacional. Os vencedores de cada um se enfrentariam. Porém, o Flamengo, após vencer os maiores times do Brasil, recusou-se a jogar contra o Sport.

Assim, a CBF declarou o Sport como campeão brasileiro daquele ano – o time de Recife inclusive representou o Brasil na Taça Libertadores da América.

Uma decisão judicial em 1994 determinou o Sport como campeão. A CBF chegou a declarar que os dois clubes eram campeões daquele ano, mas voltou atrás por conta de uma decisão da Justiça.

Dessa forma, o troféu deve ficar com o São Paulo.

Muitas emoções
"O único fato novo entre a decisão e hoje é que o meu time foi sagrado campeão", disse o ministro corintiano Alexandre de Moraes. "Teve outro: meu time saiu da segunda divisão", completou a ministra Rosa Weber, torcedor do Internacional.

A turma entendeu que não houve omissão, contradição ou obscuridade na decisão de mérito. "O que há é muita emoção", afirmou o flamenguista Marco Aurélio.

Revista Consultor Jurídico, 5 de dezembro de 2017, 17h10

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 13/12/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.