Consultor Jurídico

Atuações distintas

TRF-1 nega pedido de Cabral para unificar duas ações contra ele na "lava jato"

A 1ª Turma do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (RJ e ES), negou, por dois votos a um, o pedido da defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB) para unificar dois processos a que ele responde na operação “lava jato”.

Para desembargadores do TRF-2, Sérgio Cabral agiu de forma distinta nos dois casos
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Em Habeas Corpus, a defesa de Cabral pediu que tramitassem juntas duas ações penais, uma referente à operação apelidada de calicute, por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa, e a outra relacionada às obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das favelas e à reforma do estádio Maracanã, por fraude à licitação e formação de cartel.

Os desembargadores federais concordaram com o argumento do Ministério Público Federal de que os dois movimentos do ex-governador ocorreram em momentos e intenções diferentes, e, por isso, não devem ser associados.

Réu em outros 13 processos da operação “lava jato”, Cabral foi condenado a 14 anos e 2 meses de prisão pelo juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sergio Moro. Com informações da Agência Brasil.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 30 de agosto de 2017, 19h22

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 07/09/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.