Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Distinção preconceituosa

Churrascaria que identificou cliente como "negro" pagará indenização de R$ 10 mil

Diferenciar cliente por sua cor, nacionalidade ou características físicas é ato preconceituoso. Com base nesse entendimento, a 20ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou os donos de uma churrascaria localizada na zona norte da capital fluminense a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais a um cliente.

Em março de 2013, no momento de pagar a conta, ele percebeu que sua comanda estava identificada pela palavra “negro”. Ao questionar a razão, o garçom explicou que era para diferenciá-lo dos demais clientes.

Ele então foi à Justiça pedir indenização por danos morais. Segundo o cliente, não havia nenhuma outra comanda com qualquer escrito que fosse. Além disso, ele apontou que o garçom que o atendeu confessou, durante depoimento na delegacia, ter sido o autor do ato, com a finalidade de diferenciá-lo dos demais consumidores.

A churrascaria foi condenada pela na 2ª Vara Cível de Madureira, mas recorreu. .No TJ-RJ, o relator do caso, desembargador Alcides da Fonseca Neto, classificou como ato de preconceito o sistema de identificação adotado pelo funcionário da churrascaria.

“Não se trata de uma forma de identificação de clientes, mas de verdadeiro ato preconceituoso, haja vista que, para ‘identificar’, o escrito acaba por, na realidade, discriminar essas pessoas, seja pela sua cor, pela sua nacionalidade ou pelas suas características físicas. Se o objetivo fosse, de fato, diferenciar os clientes, por que não escrever então ‘branco’, ‘brasileiro’, etc. para todos os demais?”, questionou. Ele foi seguido pelos demais integrantes da 20ª Câmara Cível. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ.

Processo 0030501-54.2013.8.19.0202

Revista Consultor Jurídico, 17 de agosto de 2017, 12h55

Comentários de leitores

3 comentários

"Desfrutando o mundo branco..."???

Adriano - servidor público (Serventuário)

Somos pretos e queremos desfrutar deste país que não corresponde a "mundo branco" algum. Não percebeu?

Desfrutando o mundo branco e vitimando-se quando precisar

O Trovador (Outros)

Gosta de branquear-se para viver, adora "negrear-se" para faturar uma indenizaçãozinha! Apesar da churrascaria fazer uma desnecessária identificação do negro, o indivíduo aproveitou-se da situação para encher o bolso, a reação do cara não era pra tanto! A suposta "vítima da sociedade"... hehe, sei...

O negro no mundo dos brancos

O IDEÓLOGO (Outros)

A indenização não atinge o âmago do descumprimento da lei. Foi, excessivamente, branda (corrigindo branca).
Possivelmente, quem julgou o processo do afro-brasileiro é branco, e pendeu para o "lado branco", porque viu o ato como um branco.
É a vida.

Comentários encerrados em 25/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.